19 de setembro de 2012

Resenha: Santos Dumont - Voar é para todos, Editora Viajante do Tempo

Informações do livro:
Título: Santos Dumont – Voar é para todos

Autor: Regina Gonçalves / Regis L. A. Rosa

Editora: Viajante do Tempo

Páginas: 360
SKOOB 




Sinopse: Baseada em fatos reais, esta viagem no tempo começa com Caio Zip, um jovem dos nossos dias, em um bosque nos arredores de Paris, quando ele ajuda um piloto a sair de seu estranho aparelho voador, que mais parece um ultraleve moderno. Chega um grupo de resgate, em um carro muito antigo, que agradece àquele estranho e hábil rapaz ter ajudado o piloto de testes do último modelo do avião Demoiselle, e Santos Dumont o convida a passar alguns dias em sua residência. Corre o ano de 1909 e Paris é de uma efervescência cultural, artística e tecnológica sem igual no mundo. Uma época de pensar com audácia em todas as áreas, de refletir e transgredir a ordem superficial das coisas. Por isso, além das personalidades interessantes que Caio conhece na área tecnológica, há também gente incrível que estava revolucionando outras áreas. Acontece o maior torneio internacional da aviação, com prêmios de altitude, distância e velocidade. Lá, Caio conversa com Voisin, Curtiss, Blériot e outros grandes pioneiros. O avião dos irmãos Wright há um ano era a sensação de Paris e nesse torneio ele vai ser definitivamente ultrapassado. Depois da história, há um estudo bem detalhado com uma descrição e análise de fatos do início da aviação. Há informações sobre os princípios do voo, os pioneiros e suas contribuições, as brigas de patentes, os acidentes fatais e outras curiosidades.



Resenha: "Santos Dumont – Voar é para todos" faz parte da série de livros: Caio Zip: O Viajante do Tempo. O livro nos leva a uma aventura baseada em fatos reias para nos apresentar a história mundial feita por grandes homens que fazem parte de nossa história. Caio Zip é um jovem que participa das descobertas e de grandes batalhas, amadurecendo e aprendendo cada vez mais por meio de suas viagens no tempo.

Nem ele sabe onde suas viagens irão parar, e por esse motivo, ele também se surpreende muito ao chegar em um lugar totalmente desconhecido, e só aos poucos percebe onde está. Nosso personagem vive a história tão intensa e emocionante, que se sente parte do momento – da história em si.

O livro é dividido em duas partes, onde na primeira é narrado como Caio encontra Santos Dumont, suas diversas lembranças, histórias, ações, inventos e mais eventos. E na segunda parte conhecemos mais a fundo sobre os inventores do voo – os princípios, os pioneiros, entre outros.

Depois de salvar um piloto que estava preso em cima de uma árvore depois de fazer uma aterrissagem forçada, descobre que ele na verdade é ela; e que a vítima da queda se chama Hélène Dutrieu. Logo em seguida, chega um grupo de resgate e entre eles, um homem que se apresentou como Santos Dumont – ou Santô, como os franceses pronunciavam.
Depois de uma conversa descontraída sobre livros, gostos e aviação, Caio diz que é um viajante e como não tem para onde ir, é convidado à ficar hospedado no apartamento do piloto.

A partir daí, a obra narra Caio sendo apresentado às lembranças e fatos acerca do aviador: leu várias notas de jornais da época e conversou muito com o piloto, ouvindo seus mais variados relatos sobre suas proezas realizadas no ar e os tantos prêmios que recebera. Conhecemos um pouco de sua infância e os motivos que o levaram a se interessar e seguir os caminhos para a aviação. Mais adiante, o livro  também cita sobre o 14 – Bis e mais histórias sobre Paris.


“(...) O Nome surgiu quando a aeronave foi acoplada ao balão n14 nas experiências pré-voo. O pessoal da imprensa viu a aeronave e ficou a reparar que a armação longitudinal lembrava um longo pescoço erguido, a ponta parecia um bico, e na outra extremidade eu estava de pé numa cesta a dominar a árvore, com as asas arqueadas em forma de V, prontas para voar. Foi daí que batizaram a aeronave de Oiseau de Proie (Ave de Rapina).
- Uma verdadeira ave que se lança no ar! – sorriu o pai.
- E o sonho de voar finalmente decolou (...)”. Pg. 87


Podemos notar o quanto os autores se empenharam nessa obra, sendo que ele é fruto de muitas pesquisas e estudos, baseada em livros e jornais de época. É um livro muito interessante e dinâmico, onde você se envolve com a história e ao mesmo tempo aprende mais sobre outras áreas citadas, como a arte, filosofia, ciências e a fundamental matemática. 

Vale destacar que também há uma seção com os segredos do livro, que são mais curiosidades e até imagens referentes aos nomes citados na obra, incluindo suas biografias e sobre as datas referentes.  Assim como podemos conferir ao final, na bibliografia mais livros e sites sobre o assunto (e mais uma vez podemos ver o quanto foi uma pesquisa extensa e detalhada), para caso você tenha interesse em ler e ir mais a fundo. É um livro muito envolvente que te faz vivenciar um momento muito importante e único de nossa história.


Classificação SEL: 5/5


7 comentários:

  1. Já tenho alguns títulos infanto-juvenis sobre Santos Dumont e com certeza também quero esse na minha coleção!

    ResponderExcluir
  2. Gente, adorei a capa haha quero ler esse livro.

    ResponderExcluir
  3. Esse livro, através de seu personagem Caio Zip, nos mostra parte da trajetória de Santos Dumont e seu sonho: voar. Aliás, era e é ainda o sonho de muita gente. Gostei da resenha e quero muito ler o livro.

    ResponderExcluir
  4. Adorei a capa, a resenha, interessei-me me ler :)

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo