30 de outubro de 2013

Resenha: 10 Coisas que Nós Fizemos (E Provavelmente Não Deveríamos) @SarahMlynowski @galerarecord

Informações do livro:
Título: 10 Coisas que Nós Fizemos 
(E Provavelmente Não Deveríamos)
Título Original: Ten Thing We Did 
(And Probably Shouldn’t Have)
Autor: Sarah Mlynowski
Editora: Galera Record
Páginas: 336


Sinopse: Se tivesse a oportunidade, que adolescente de 16 anos não mergulharia de cabeça na chance de ir morar com um amigo e viver sem os pais? Nesta engraçadíssima história, Sarah Mlynowski investiga o coração e a mente de uma garota que está, pela primeira vez, por conta própria. Para chegar ao fim do ano, ela precisará fazer malabarismos com um triângulo amoroso, aprender a lavar roupa e aceitar que seu mundinho pode estar prestes a ser detonado… por cada coisa que não deveria ter feito.



Resenha: 10 Coisas que Nós Fizemos (E Provavelmente Não Deveríamos)” de Sarah Mlynowski, é um livro incrível que possui uma leitura descontraída, leve e muito envolvente. Todos os personagens foram muito bem trabalhados, incluindo seus conflitos internos e externos.

Imagine poder morar longe dos pais e com uma amiga. Para alguns seria uma loucura, mas para April valia a pena tentar. Depois de uma conturbada separação dos pais, sua mãe se mudou para França junto com o irmão mais novo Matthew. Seu pai se casou novamente e junto com a esposa Penny pretendem se mudar para Cleveland. A menina entrou em pânico, pois não queria deixar para trás seus amigos, namorado e escola. Até que ela teve uma ideia: Morar com sua amiga Violet – ou apenas Vi – pelo menos por enquanto.

Suzanne, a mãe de Vi, vai passar um tempo em Chicago: eis a primeira complicação. No entanto, as duas criaram um plano muito bem elaborado envolvendo conversas ao telefone e emails explicativos. O pai de April impôs suas regras e apesar de não falar frente a frente com a mãe de Vi resolveu aceitar a situação (muito bem por sinal, lhe deixando motorizada e com uma mesada de dar inveja a qualquer um).

O que falar sobre Noah, o namorado de April? Não me enganou em nenhum momento e não gostei dele desde o começo. Com um jeito mais quieto e enigmático, era óbvio que escondia alguma coisa – e que coisa!  Sobre os amigos: Vi parecia mesmo ser bem controlada e Marissa mostrou ser uma verdadeira amiga. E quanto a Hudson, pode-se dizer que ele se destacou desde o início por seu carisma e atenção.

O enredo é focado nas diversas coisas que os adolescentes fazem – e que provavelmente não deveriam ter feito mesmo. Por fim as cenas se tornam tão dinâmicas e engraçadas que fica impossível parar de ler e não se apegar a história de April. Ela, que por sinal, é uma protagonista encantadora e divertida, por sua coragem infinita e principalmente por não desanimar, mesmo que tenha passado por situações tristes e complicadas.

Há ainda um misto de sentimentos e a abordagem principal ainda é sobre os relacionamentos: com sua mãe, com seu pai e com seus amigos, assim como os aprendizados sobre a liberdade em si e o próprio amadurecimento que acarreta muitas consequências. No decorrer da trama, ainda somos apresentados com algumas passagens do passado da vida de April e que se mantém relevantes e complementam ainda mais a história. 10 Coisas que Nós Fizemos é simplesmente brilhante e autêntico, repleto de dramas e muita diversão.

“Fechei os olhos. Depois os abri.
Dois garotos seminus na sala de estar. Um usando uma tiara.
Mais garotos seminus nos quartos.
Garrafas vazias de bebida alcoólica e copos jogados.
E a mãe de Vi em lugar nenhum.
Eu era uma princesa morta. Pg.10

Classificação SEL: 5/5


Um comentário:

  1. Acho esse livro interessante e após ler sua resenha confesso que se um dia tiver oportunidade o farei, mas não é uma prioridade. Parabéns pela leitura!!!

    Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo