24 de fevereiro de 2014

Resenha: 12 anos de escravidão - Solomon Northup @ed_pensamento

Informações do livro:
Título: 12 anos de escravidão
Título original: Twelve Years a Slave
Autor: Solomon Northup
Editora: Seoman (Grupo Editorial Pensamento)
Páginas: 232



Sinopse: Filme vencedor do 71º Globo de Ouro e indicado para o Oscar 2014 em 24 categorias, é adaptação de livro que será publicado este trimestre pela Seoman. 12 Anos de Escravidão é um livro de memórias angustiantes sobre um dos períodos mais sombrios da história norte-americana. Ele relata como Solomon Northup, nascido um homem livre em Nova York, foi atraído para Washington, D.C., em 1841, com a promessa de um emprego, e então drogado, espancado e vendido como escravo. Ele passou os doze anos seguintes de sua vida em cativeiro, trabalhando, na maior parte do tempo, em uma plantação de algodão em Louisiana. Após seu resgate, Northup escreveu este registro excepcionalmente vívido e detalhado da vida escrava. Tornou-se um sucesso imediato e, hoje, é reconhecido por sua visão incomum e eloquência, como um dos poucos retratos realmente fiéis da escravidão americana, redigido por alguémtão culto quanto Solomon Northup — uma pessoa que viveu sua vida sob a óptica de uma dupla perspectiva: ter sido tanto um homem livre como um escravo. Nas telinhas do Cinema, Solomon Northup será interpretado pelo ator Chiwetel Ejiofor e Brad Pitt interpretará o abolicionista canadense que ajudou Solomon a reconquistar sua liberdade, além de ser o produtor do filme. Um relato surpreendente de um importante período, que conta em detalhes históricos, os perigos, os horrores e humanidade da vida de um grande número de escravos. Uma peça inestimável da História: as memórias de Solomon Northup.



Resenha: “12 anos de escravidão” expõe um relato íntimo, angustiante, expressivo e complexo de um homem que viveu um longo período de sofrimento e tumultos, mas ainda assim a esperança contínua de ser novamente um homem livre. A narrativa é densa, como já é mesmo o esperado, e ao longo das cenas o leitor conhece os detalhes com muitas afirmações sobre o tratamento ao qual esta pessoa passou.

O relato segue fiel a história de vida sobre Solomon Northup. Este que vivera certo tempo desfrutando sua liberdade acabou sendo sequestrado e vendido como escravo. Enfim, fora resgatado no ano de 1853, mas já haviam se passado 12 anos nesta condição. Seu testemunho resgata emoções de dor, perda e muita revolta. Não tem como não absorver toda a seriedade da trama, visível em qualquer passagem.

Solomon veio de uma família que já conhecera de perto a escravidão, apesar de que seu pai tivera sido respeitado por seu jeito disciplinado. Ele sempre o ajudou em tarefas simples nos trabalhos da fazenda. Quando tinha tempo livre, gostava de ler ou tocar violino. Em 1829 se casou com Anne Hampton, e é notável o quanto se dedicava ao trabalho e o bem estar da família. São pessoas simples e que batalham por seu sustento, dignos de integridade e humildade.

Há ainda a exposição de sua rotina, de modo a ter conhecimento sobre cada mudança, desde os filhos que concebeu até os diversos planos concretizados e planejados com cuidado. Muitos fatos demonstram a alegria nesta família, mas até esse ponto também eram comuns, seguindo um caminho com pouco progresso. De acordo com Solomon, pode haver certa impressão de que tudo aconteceu rápido demais. Em 1841, ele caminhava despretensiosamente pela cidade de Saratoga Springs, até que dois cavaleiros o abordaram e fizeram uma oferta tentadora – ao qual não foi recusada.

Após ter vivenciado alguns momentos benéficos, ele custou a acreditar que de fato fora sequestrado. Pensara até que poderia ter sido confundido com alguém ou seria um triste engano. Afinal de contas Solomon era um homem livre e não deveria ser tratado de maneira desumana. Claro que logo foi se conformando e percebeu que a situação era bem mais crítica do que jamais previra. Se sentiu desolado, solitário, amargurado e neste tempo se perdia nos próprios pensamentos.

O enredo é revelador e muito comovente, ainda mais levando em consideração que tudo realmente aconteceu. São fatos muito importantes para a própria história e todos devem ter o conhecimento de tal conteúdo. Há muitas cenas envolvendo perigos assustadores, sob uma atmosfera terrível e alguns aspectos corajosos, repletos de bravura. As memórias históricas deste homem merecem mesmo uma atenção e reconhecimento maior.


“Não seria admissível que um cidadão livre de Nova York – que jamais fizera mal a homem algum, nem violara qualquer lei – fosse tratado com tal desumanidade. Todavia, quanto mais eu contemplava a minha situação, mais absolutamente confirmavam-se as minhas suspeita. Aquele era um pensamento realmente desolador. Senti que não poderia depositar confiança em homens tão destituídos de compaixão, e encomendei meus sentimentos ao Deus dos oprimidos. Baixei minha cabeça, olhando para minhas mãos agrilhoadas, e prorrompi no pranto mais amargurado.” Pg.26

Classificação SEL: 4/5


5 comentários:

  1. sem palavras perfeita resenha
    mega curiosa agora
    bezosssssssssss

    ResponderExcluir
  2. nhanhanhanha america e uma merda o filme e verdadeiro e espetacular

    ResponderExcluir
  3. Muito bom me ajudou muito para o meu trabalho do colegio

    ResponderExcluir
  4. e incrive pois : o filme dedicase em os fatos reais da escravidao esplica o que ocorre ao longo do tempo almadicoado pois a escravidao e orrivel.

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo