3 de abril de 2014

Resenha: A Costureira - Kate Alcott @geracaobooks

Informações do livro:
Título: A Costureira
Título original: The Dressmaker
Autor: Kate Alcott
Editora: Geração Editorial
Páginas: 376



Sinopse: Uma jovem ambiciosa e uma estilista célebre sobrevivem ao maior naufrágio da História, mas são arrastadas pelo turbilhão de escândalos que se segue à tragédia. Tess Collins, uma jovem inglesa que sonha ser mais que uma empregada e ver reconhecido o seu talento para a alta costura, consegue emprego com a famosa estilista lady Duff Gordon a bordo do Titanic, que ruma para os Estados Unidos. Porém, a viagem que se iniciou de forma tão auspiciosa acaba se tornando a maior tragédia marítima de todos os tempos. Tess e lady Duff sobrevivem, a primeira para viver as aflições do amor e as chances de ascensão social, a segunda para se ver envolvida nos escândalos do inquérito sobre o terrível desastre naval. Com um pano de fundo histórico, mas sob um ângulo inédito, este soberbo romance acompanha a trajetória dessas duas mulheres apaixonadas pela linha e agulha, tão parecidas e tão diferentes, deleitando-nos com um retrato emocionante de uma época conturbada e de uma sociedade dividida. Tess simboliza a modernidade livre de preconceitos de classe e rica em oportunidades, enquanto lady Duff representa a decadente Belle Époque, um mundo de glamour e privilégio com os dias contados, assaltado pelas contestações sociais, indústria de massa incipiente e pressões da mídia.


Resenha: A Costureira” de Kate Alcott (pseudônimo de Patricia O’Brien), é carregado de ideais grandiosos, analíticos, densos e emoções contraditórias. É um livro complexo e enriquecido por narrativas fortes e realistas. Além da própria história da protagonista, os eventos descrevem momentos de prepotência, medo, ansiedade e discordâncias em meio à tragédia marítima.

Quem nunca ouviu falar do transatlântico RMS Titanic, em toda sua inicial grandiosidade e posterior tristeza?! Este enredo se torna peculiar e comovente justamente pela junção da realidade e ficção, valorizando pontos densos e cheios de expectativas.

Tess Collins é a protagonista desta trama e é apresentada com uma personalidade ousada, orgulhosa e insistente. Apesar de não ter muitos bens, num ímpeto decidido de loucura e/ou entusiasmo, resolve mudar algumas coisas em sua vida.  Sabe que tem jeito para a costura e por isso vai atrás de seus objetivos ao ingressar num luxuoso navio. Confesso que logo também torci pelos avanços da relação com o marinheiro Jim Bonney. A moça também faz amizade com o milionário Jack Brementon e desperta alguns interesses na ocasião.

Lucy Duff Gordon entra em cena para causar ainda mais alvoroço e determinação à Tess. Ela é uma personagem (real) conhecida por seu nobre trabalho de estilista. Uma relação tendenciosa e com alguns conflitos surge entre Lucy e Tess, que acaba exercendo serviços para a profissional um tanto quanto manipuladora.

Aos poucos é perceptível as influencias transmitidas pelas duas na época retratada, desde a maneira de pensar e agir, até as ações e adequações realizadas em conjunto. Mesmo sendo tão arrogante e fria, não demorou muito para Lucy perceber a potencialidade de sua auxiliar.

Claro que ninguém esperava que o navio fosse afundar por causa de um iceberg, mas isso de fato aconteceu. Tess, Lucy e outros passageiros da primeira classe conseguiram sobreviver e após disso inicia-se uma investigação e várias discussões sobre o ocorrido.

A visão do trabalho diante das produções, pesquisas, estruturas e planejamentos são narrados com uma estrutura bem desenvolvida e sutil. Outras questões relevantes são abordadas ao longo dos acontecimentos, como por exemplo, as exposições da imprensa, preconceitos, política, demandas sociais e escândalos diversos. A pressão da época é enorme, causando muitos efeitos aos envolvidos. A autora desvenda o desespero e as reconstruções de modo espetacular, mostrando várias reflexões nas entrelinhas.



“O navio estava agora quase perpendicular ao céu noturno estrelado, uma linha vertical, pairando como uma bailarina na ponta da sapatilha. As luzes das cabines e dos deques ainda estavam acesas, e um estranho brilho verde das luzes da parte submersa do navio iluminaram o mar escuro. Era, estranhamente, uma bela visão.” Pg. 64



Classificação SEL: 4/5

5 comentários:

  1. já ouvi vários comentários deste livro, e já vi várias resenhas positivas dele, mas apesar de pensar ser um ótimo livro, não tenho curiosidade em ler pois ele não faz muito o meu estilo ;x
    será este interesse do Sr. Jack, romantico ou com outras intensões?
    acho que isso não é um triângulo amaroso, mas sim um quadrado hahahaha

    ResponderExcluir
  2. Gostei do que li na sua resenha, já estou até imaginando o livro. Não li muitas resenhas dele, mas esta já me deu água na boca.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. Bom, para começar, eu nem sabia que o livro era sobre o naufrágio do Titanic! Eu gostei da capa, mas como odeio sinopses, não me dei ao trabalho de ler. Mas agora eu necessito este livro D=
    E, bom, sempre que pego um livro que passou por uma cuidadosa edição e diagramação, parece que os planetas se alinham e tudo vale a pena. Esse livro tem tudo para ser ótimo!

    Todos a ler galera! http://portugues.free-ebooks.net/ebook/A-Costureira
    (de nada! :P)

    ResponderExcluir
  4. Não sai que esse livro se passava na época da tragédia do Titanic, que interessante e tenso.
    Fiquei curiosa, adoro a capa!!! Bjos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  5. Estou lendo, é um livro muito bom.

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo