5 de junho de 2014

Resenha: Geek Love - Eric Smith @EditoraGente

Informações do livro:
Título: Geek Love
O Manual do Amor Nerd
Título original: The Geek's Guide to Dating
Autor: Eric Smith
Editora: Gente
Páginas: 208


Sinopse: Eric Smith sabe mais do que ninguém que existem prazeres imensos na vida geek. Amigos incríveis, conversas até de madrugada sobre realidades alternativas ou até mesmo o simples prazer de ler aquele lançamento de quadrinhos. No entanto, chega um momento na vida de todo nerd em que o amor bate à porta e daí vem a hora de jogar o xadrez tridimensional que é o mundo dos solteiros. Não se desespere, jovem Padawan! Deixe Smith guiá-lo por esse caminho e descubra que amar é muito mais do que flores e bombons. Afinal, nada é normal na vida do nerd, e o amor não é senão o mais extraordinário dos fenômenos humanos.



Que o jogo comece! Pronto, Player 1?


Resenha:Geek Love” ganha destaque principalmente por sua diagramação bem trabalhada e cheia de detalhes e ilustrações carismáticas. O autor explora um mundo tão complicado quanto os jogos mais perigosos e desafiantes: namorar em uma época repleta de tecnologias. É um assunto tão abrangente que até me surpreendi com as poucas páginas desta obra. Claro que há várias informações, conceitos, conversas e discussões afins, mas ainda assim sempre há o que expor diante dessa temática.

A obra faz várias comparações (como heróis clássicos e jogos populares) e o melhor é que tenta obter respostas para as duvidas abordadas e planejamentos complicados. Assim, a narrativa é bem prática e convidativa, facilitando o entrosamento com as palavras e seus significados. Quer dizer que, se faz uma apresentação criativa sobre os motivos de escolhas de quem se define nerd – até os princípios e disposições peculiares. Ainda bem que uma das principais soluções é bem visível: usar a tecnologia a nosso favor!

É muito importante citar que há os passos para conhecer alguém legal nessa era metódica e objetiva. Planejar um encontro, puxar papo ou perceber as implicações se restringem ao fato de puro conhecimento. Essa é a primeira garantia para que algo dê certo ou que pelo menos ofereça algum tipo de consequência. 

E por isso mesmo que é muito interessante poder acompanhar e conhecer os tipos de nerds, suas listas de habilidade especiais, os nerds da cultura pop, realidades paralelas, entre outros tópicos enérgicos e persuasivos.

É um livro bem reflexivo, que me fez conversar, discutir e até brigar com as analises e contextualizações. Nesses sete capítulos, acredito que todas as lições são muito bem proveitosas, principalmente para poder avaliar nossos próprios relacionamentos – mesmo se quem ler não se considerar um nerd.

É muito admirável o modo com o autor fez as pequenas junções de palavras para acrescentar novas idealizações ou entendimentos. Eu, como leitora – e um tanto quanto nerd –, me senti tentada para acrescentar dicas ou dar objeções, e fazer muitas outras comparações. 

É muito divertido e sutil! Um exemplo disso são os títulos de cada capítulo, que sempre se mostram perspicazes e inteligentes. Algo do tipo: “Que o jogo comece! Planejando sua rota pelo Reino do Namoro” ou “Pronto, Player 1? Preparando-se para o encontro.

A modernidade já faz parte da sociedade e não tem como fugir de seus preceitos, ou seja, é imprescindível se adaptar nos ambientes e nas diversas atualizações. Com certeza, o texto faz disposições importantes diante de relacionamentos e desafia o leitor a entender todas as lições oferecidas. Dinamismo, conferições, apontamentos de riscos e desentendimentos são algumas das essências situadas nos argumentos. Apenas: sensacional!



“Então, como namorar num mundo em que as pessoas, até certo ponto, nem se encontram mais? Que se tornaram virtualmente próximas em vez de próximas na vida real, que se comunicam por meio de mensagens de texto em vez de conversas durante o jantar? Em que um telefonema para dizer que adoraria encontrar alguém hoje à noite ou uma longa pausa antes de perguntar se quer conhecer seu apartamento foram substituídas por um SMS que diz ‘e ai? ;-)’. Um mundo em que se precisa de um app chamado FaceTime para conseguir falar com uma pessoa sem ser pelo chat do Facebook?” Pg.11




Classificação SEL: 5/5 


4 comentários:

  1. primeira resenha que leio deste livro, e confesso que fiquei mais curiosa ainda para ler do que antes hahaha
    comprei ele para dar de presente para o meu namorado. ele adora esses negócios de tecnologia, então acho que ele vai acabar gostando... mas com certeza vou querer ler ele depois *-*

    ResponderExcluir
  2. Oi :)

    Estou com muita vontade de ler esse livro, tentarei comprá-lo ainda esse mês. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi
    O livro parece ser mt interessante, pretendo ler sim em breve, pois folheei algumas paginas e curti bastante, parece ser muito legal.
    Adorei sua resenha, querida.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/06/resenha-se-arrependimento-matasse-alma.html

    ResponderExcluir
  4. Um livro bem diferente. Não conhecia, a primeira vez que li algo sobre ele.

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo