10 de agosto de 2014

Resenha: O beijo - James Patterson, Jill Dembowski @Novo_Conceito

Informações do livro:
Título: O beijo
Bruxos e Bruxas - Livro 04
Título original: The Kiss (Witch & Wizard #4)
Autor: James Patterson, Jill Dembowski
Editora: Novo Conceito
Páginas: 304



Sinopse: No quarto livro da série Bruxos e Bruxas, Whit e Wisty, agora membros do Conselho, estão tentando reconstruir a cidade depois de derrotar O Único Que É O Único, o vilão mais malvado do mundo. Quando tudo parece correr bem, surge uma nova ameaça, personificada na figura do cruel Rei da Montanha. Ele é um mago indestrutível, que deseja a todo custo dominar a cidade. Sem água e prestes a ficar sem alimentos, a população conta com os irmãos Allgood para sobreviver. A aventura e o suspense fazem o leitor prender a respiração a cada vez que um capítulo termina. Mas, com um título como esse, não poderia faltar romance no novo livro de James Patterson... Wisty está encantada pelo jovem Heath, que compreende tão bem os seus dilemas afinal, ele também é um bruxo. Talvez Wisty possa se unir a Heath na guerra contra o Rei da Montanha. Mas o que será que Whit acha disso? Se você ama romance, mistério e ação, O Beijo é o seu livro! Páginas muito intensas, desfechos surpreendentes... Mais uma prova de que James Patterson é o maior autor da sua geração.




Leia também:
Bruxos e Bruxas #1 - James Patterson, Gabrielle Charbonnet (Editora Novo Conceito)
Bruxos e Bruxas #2 - O Dom - James Patterson, Ned Rust (Editora Novo Conceito)
Bruxos e Bruxas #3 - O Fogo - James Patterson, Ned Rust (Editora Novo Conceito)



Resenha:O beijo” é o quarto livro da série Bruxos e Bruxas e expõe acontecimentos inesperados e cheios de reviravoltas. A trama não é muito complexa, mas diferentemente dos volumes anteriores este parece oferecer momentos mais relevantes, principalmente por se tratar de tantas emoções intensas e revigorantes.

As coisas se mostram mais amenas desde os últimos episódios, mas é claro que há algumas controvérsias sobre a realidade atual dos irmãos Allgood. Whit e Wisty testemunharam mortes, destruições, ações tristes e participaram de muitos conflitos, por isso ficam mais relutantes sobre qualquer novidade que apareça no caminho.

A liberdade é um novo conceito para a população e agora todos podem acreditar no que querem, sem pressões ou julgamentos. Há mais empolgação na multidão e é muito interessante perceber o quanto eles se mantém perspectivos sobre o futuro. Agora existe um novo conselho com a missão de reestruturar a cidade diante das devastações e adversidades feitas pela Nova Ordem e O Único Que É o Único. E por conta de tantos feitos, tanto Whit como Wisty também se encontram nesse conselho.

Um dos destaques dessa série – como já devo ter citado nas resenhas anteriores – é a união dos irmãos e seus pensamentos firmes em seguir metas determinantes. Talvez seja isso que dê uma visão mais concreta a série e dê esperanças para caminhos proporcionados com mais expectativas. Ambos se concentram em suas responsabilidades e dão valor aos sentimentos, mesmo que cada um já tenha sacrificado alguma coisa.

A narração continua sendo feita pelos irmãos, e ainda há alguns capítulos narrados por outra personagem: Pearl Marie Neederman. Apesar da pouca idade, a menina tem muitas experiências para se fortalecer e consegue descrever suas emoções com clareza e polidez, além dos tantos conflitos que ainda presencia.

Apesar das transformações positivas no ambiente, existem forças que se impõem pouco a pouco. Atitudes são tomadas inesperadamente, assim como novos limites de poderes. E quando é possível perceber a extensão dos problemas, o mal se infiltra novamente entre eles. Personagens secundários ganham mais destaque, como por exemplo Heath, um bruxo mistério disposto a conquistar Wisty.

A fantasia continua sendo uma das principais peculiaridades da trama, assim como os momentos de ação, divertimento e aventura. Gostei mais deste enredo por causa das variações apresentadas, dando novas visões aos personagens e suas batalhas. Questões arriscadas também são impostas e escolhas precisam ser feitas, diante de um novo desafio intricado.




“Não sou uma pessoa estranha. Mas esse é um dos momentos mais estranhos da minha vida; Wisty adora os holofotes, mas eu? Eu prefiro escrever o roteiro.” Pg.27




Classificação SEL: 4/5 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo