3 de outubro de 2014

Resenha: Alma da fera - Diana Peterfreund @galerarecord

Informações do livro:
Título: Alma da fera
Ordem da Leoa - Livro 02
Título original: Ascendant (Killer Unicorns #2)
Autor: Diana Peterfreund
Editora: Galera Record
Páginas: 350




Sinopse: Astrid Llewelyn é agora uma caçadora de unicórnios treinada. Mas não pode resolver todos os problemas com magia de alicórnio. Ou um montante ancestral. Mesmo um com uma curiosa inscrição em latim. O namorado deixou Roma para fazer faculdade em Nova York, o Claustro passa por sérias dificuldades financeiras, as habilidades de suas companheiras caçadoras estão desaparecendo sem explicação, e o sonho de se tornar uma cientista parece cada vez mais distante. Sem contar a Igreja, que finalmente resolveu se envolver com a Ordem da Leoa. Aliás, de uma maneira nada fashion: hábitos camuflados! Sério? Então, quando surge a oportunidade de abandonar a casa capitular e seguir para o interior da França para usar o intelecto na procura pelo mítico Remédio, ela embarca de cabeça. No quartel-general da Gordian Phamaceuticals, Astrid questiona todas as suas decisões. O amor por Giovanni, a lealdade ao Claustro e, acima de tudo, seu dever como caçadora. O mundo precisa ser salvo dos unicórnios? Ou são os unicórnios as verdadeiras vítimas?




Leia também:
Ordem da leoa #1 - Caçadora de Unicórnios - Diana Peterfreund (Galera Record)



Resenha:Alma da fera” é a sequencia de Caçadora de Unicórnios, da autora Diana Peterfreund. A série Ordem da Leoa esbanja surpresas e expectativas, principalmente por causa das cenas criativas e dos personagens complexos. Agora, a história deixou de ser introdutória e se mostra ainda mais profunda, e finalmente expressa todas as emoções e questionamentos por conta dos próximos acontecimentos.

A heroína Astrid Llewellyn está em Roma com a Ordem das Leoas e agora está cada vez mais determinada e capacitada para finalizar suas missões envolvendo a eliminação dos unicórnios assassinos. O dilema em questão não é nem o fato de ela ter poderes especiais, poder sentir os unicórnios e de precisar cumprir essas tarefas. Afinal de contas, como qualquer adolescente a menina também tem anseios e problemáticas características do período.

Em paralelo, entra em jogo algumas questões envolvendo o romance e ela já nem sabe mais o que pensar diante de algumas novidades em sua vida. Tem o fato de estar longe do seu namorado, depois se depara novamente com um ex-namorado e ainda há as avaliações sobre lealdade e deliberação, além da relevância da virgindade. Realmente não é fácil suportar tanta pressão em um período tão curto.

É complicado perceber que suas escolhas já não fazem tanta diferença, mas quando surgem novas oportunidades para investir no futuro, a protagonista se sente ainda mais insegura e perplexa sobre qual caminho seguir. Será que está fazendo a coisa certa? Impossível não se questionar sobre a ética nesse processo de extinção. E no final de contas, o que importa mesmo é a vontade de mudar e fazer esforços para ter uma boa educação profissional.

O estudo sobre os unicórnios e as considerações sobre um antidoto para seu veneno estão mais profundos, e é extremamente fascinante entender um pouco mais sobre essa espécie. É muito interessante também perceber o quanto Astrid se vê envolvida com a ciência, e por isso desempenha um papel importante na busca por mais conhecimentos nessa area. Melhor ainda é a maneira como ela tenta conciliar essas duas personalidades: a da caçadora e a da especialista.

Um dos principais destaques é que neste enredo é possível conferir mais informações sobre a ordem, assim como dos unicórnios, entre tantas outras questões relevantes na area de estudo. Por outro lado, um ponto negativo que precisa ser evidenciado é em relação a alguns capítulos que dão a impressão de terminarem inesperadamente, representando assim uma narrativa apressada depois ter tanta ação e reviravoltas.

Existem muitas pesquisas que são fundamentais para a obra e a autora conseguiu introduzi-las muito bem nas cenas. Enfim, o desfecho até que não deixa aquela sensação ansiosa por uma continuação, mas é claro que ainda existem muitas perguntas sem respostas e é justamente por esse detalhe instigante que há a necessidade pelo próximo livro.




“O unicórnio deu o último suspiro. Dentro de seu peito, o coração tremeu e parou. A menos de 20 metros de distância, eu o senti morrer, e o mundo voltou ao normal. O fogo e a inundação diminuíram, o túnel se alargou, e meus pensamentos voltaram a ser meus. Baixei o arco e corri até o corpo do animal, uma corrida humana, em ritmo humano, quase uma lesma em comparação à corrida recente instigada pela velocidade de caçadora. Inclinei-me sobre o corpo e retirei minha flecha.” Pg.09.




Classificação SEL: 4/5


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo