12 de dezembro de 2014

Resenha: Homens, mulheres & filhos - Chad Kultgen @editorarecord

Informações do livro:
Título: Homens, mulheres & filhos
Título original: Men, Women, and Children
Autor: Chad Kultgen
Editora: Record
Páginas: 351




Sinopse: Homens, mulheres & filhos é a melhor obra de ficção já escrita sobre a sexualidade de adolescentes e adultos em tempos de Internet. O autor cria uma rede de personagens que levam vidas comuns e aparentemente normais, mas, no fundo, repletas de neuroses, fraquezas, pudores, perversões, inseguranças, ingenuidades, e cujo comportamento é influenciado diretamente pela mídia e pelo mundo virtual. O filho obcecado por videogames, a adolescente com mania de magreza, a mãe superprotetora, a filha rebelde, o jovem deprimido, a esposa que não se sente mais desejada, o marido que foi abandonado pela mulher, o pai viciado em pornografia on-line neste livro fantástico existe um personagem para cada um de nós. Homens, mulheres & filhos abre uma janela para mostrar, de um jeito direto, honesto, às vezes trágico, algumas vezes cômico, como funciona a cultura emocionalmente traiçoeira em que vivemos. Um livro extremamente bem escrito que vai entreter o leitor e, ao mesmo tempo, fazê-lo pensar. Homens, mulheres & filhos foi adaptado para o cinema e o filme (de mesmo nome) estreia no Brasil em 4 de dezembro. O filme foi dirigido pelo aclamado Jason Reitman e estrelado por Adam Sandler, Jennifer Garner, Emma Thompson, Judy Greer e Ansel Elgort (o jovem ator que interpretou o personagem Gus no filme A culpa é das estrelas). Homens, mulheres & filhos é um retrato sem paralelo da política sexual na era das redes sociais. Ele me faz lembrar do primeiro contato que tive com filmes como A primeira noite de um homem e Beleza americana. Jason Reitman, diretor de Juno e Amor sem escalas. Este livro mostra a solidão em um mundo no qual mensagens de texto no Facebook e chats on-line são considerados formas íntimas de comunicação. New York Times.




Resenha: Homens, mulheres & filhos” ganha destaque por apresentar uma narrativa explicita, sem rodeios e bem realista, levando em consideração a sociedade em si e suas perspectivas. O foco segue por conta da sexualidade e sua abordagem em faixas etárias distintas. Chad Kultgen descreve experiências únicas e tudo parece ser bem sincronizado, ainda mais porque há uma exploração de vários personagens.

Claro que é interessante acompanhar os pensamentos de jovens e seus respectivos pais sobre assuntos delicados envolvendo depressão, transtorno alimentar, pornografia, comunicação e perdas. Há também muitos questionamentos, inseguranças, influências, segredos, entre outros. São vários esclarecimentos, visto que a tecnologia também está presente com frequência, e se destaca por seus aspectos positivos e negativos.

O livro não apresenta muitos acontecimentos impactantes e isso pode pesar bastante na hora de classifica-lo.  É mais uma exploração sobre o cotidiano e as intervenções relacionadas a internet entre os adolescentes e em paralelo sobre a relação sexual de casais. Dá para entender que as cenas são idealizadas dessa forma de propósito, para chamar a atenção diante de temas que, querendo ou não, fazem parte de nossas vidas.

Os personagens foram conectados com facilidade e isso é um ótimo aspecto, sendo que é muito melhor do que falar sobre pessoas aleatórias, que não se conhecem. Sobre isso também é possível refletir o quanto conhecemos quem convive perto da gente. Sempre há um mistério e por fim a conclusão é que nunca conheceremos alguém tão bem.

A leitura não funcionou muito bem no meu caso, mas é claro que o livro não deixa de ter vários pontos positivos. Leitores podem mesmo ter muitas reações diferentes. O caso é que eu não estou muito acostumada a ler algo tão franco, grosseiro e imoral, e talvez por isso não achei algo muito confortável. É aquele tipo de obra que após o desfecho a gente já nem sabe mais o que pensar a respeito – é mais ou menos como uma relação de amor e ódio.

De qualquer forma, não o definiria sendo como erótico, mas novamente preciso afirmar que o tema é o sexo num todo. Ainda assim, admito que o autor é fantástico por conseguir fazer ligações tão marcantes e impressionantes sobre cultura, tecnologia e descobertas diversas. Ele reconhece a vulnerabilidade do ser humano e ao expor os detalhes passa o leitor muitas certezas, assim como tantas outras dúvidas.



“O que viu encheu sua mente de pensamentos e reacoes que foram difíceis de conciliar.” Pg.11


Classificação SEL: 3/5

Confira o trailer do filme:



3 comentários:

  1. eu estava bem curiosa para ler este livro. não tinha lido nenhuma resenha dele ainda. só tinha noção da trama dele através da sinopse e do trailer do filme.
    pensando bem, após ler os seus comentários, acho que o livro não vai me prender muito.
    provavelmente esperarei pelo filme :P

    ResponderExcluir
  2. Comprei o livro.. não me prendeu mto não... Espero algo melhor do filme.

    ResponderExcluir
  3. Olááá
    Estou louca para ver o filme e muito curiosa pelo livro que trás um tema muito interessante e presente, adoro ler sobre essas coisa e conversar também.
    Sua resenha está ótima, parabéns

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/12/resenha-delirio-lauren-oliver.html

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo