6 de dezembro de 2014

Resenha: Mar da tranquilidade - Katja Millay @editoraarqueiro

Informações do livro:
Título: Mar da tranquilidade
Título original: The Sea of Tranquility
Autor: Katja Millay
Editora: Arqueiro
Páginas: 368





Sinopse: Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele. A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida. À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer. Eleito um dos melhores livros de 2013 pelo School Library Journal, Mar da Tranquilidade é uma história rica e intensa, construída de forma magistral. Seus personagens parecem saltar do papel e, assim como na vida, ninguém é o que aparenta à primeira vista. Um livro bonito e poético sobre companheirismo, amizade e o milagre das segundas chances.


                                                                                            
Resenha: Mar da tranquilidade” apresenta uma história marcante, diante de tantos mistérios, peculiaridades, relações conturbadas, sentimentos inesperados e ainda mais pretensiosos. Há muitas passagens em que é possível analisar os possíveis traumas e dilemas, seja por conta de mensagens deixadas nas entrelinhas ou pelo texto complexo. Não que o enredo seja previsível, mas se o leitor prestar bem atenção aos detalhes, consegue identificar o que de fato é importante.

A personagem Nastya Kashnikov é uma verdadeira incógnita, talvez pelo fato de não falar nada – com ninguém – ou por se sentir tão temerosa e gostar de se sentir solitária. Claro que a autora deixa claro que aconteceu alguma coisa, e é justamente esse suspense que torna a trama tão instigante e reveladora.

A narrativa também é intercalada com outro personagem, este que se torna responsável pelos momentos de descontração e calmaria. Os dois até que parecem ser bem parecidos e isso foi apenas um dos momentos que fizeram com que Nastya se interessasse por seu modo de viver e de perceber as coisas ao redor.

Nastya e Josh já sofreram bastante e tudo isso se dá ao fato de perdas ao longo de suas vidas. Mas, independente das tristezas, é muito interessante acompanhar o trajeto dessa amizade, que começa a se tornar cada vez mais forte. Muitos dos episódios podem ser classificados como inesperados, mas são eles que fazem com que haja tantos encontros determinantes.
                                         
O romance é um dos principais pontos positivos, já que é paciente e consolador. Ambos conseguem se entender diante dos problemas, facilitando o diálogo e a abertura para novos conhecimentos. Sabe-se que é preciso muito mais para uma relação dar certo, só que há uma compreensão enorme sobre o desenvolvimento do mesmo.

O desfecho é bem emocionante, principalmente porque dá para entender todas as conseqüências de atitudes equivocadas. Não há muito o que falar sobre as tragédias expostas, mas é algo que se torna extremamente tocante porque a gente sabe o quanto é triste e desolador. É uma leitura simples, mas que se mostra intensa pela explosão de emoções.


“Só temos que esperar. Alguns minutos, e ninguém repara em mim ou me reconhece. O anonimato é legal. Pergunto-me quanto tempo irá durar. Olho para as minhas roupas. Não estou arrumada. Eu esperava entrar, preencher uns formulários, entregar a caderneta de vacinação e ir embora. Não contava com hordas de alunos na secretaria.” Pg.09

                                                
Classificação SEL: 4/5 


2 comentários:

  1. Olá, tudo bem?

    Esse livro já está na minha lista de desejados já faz um tempo. Antes eu só lia resenhas cinco estrelas dele, mas agora estão surgindo as quatro e até três, mesmo assim, quero muito ler. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. aii, estou muito curiosa para ler este livro!!
    a trama dele parece ser ótima, e estou empolgada principalmente por só ter visto resenhas positivas até agora ;~~
    espero conseguir ler ele logo, porque tenho certeza que vou me emocionar! *-*

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo