6 de março de 2016

Resenha: Livro ao meu filho - Renato Schmekel @VermelhoMarinho

Informações do livro:
Título: Livro ao meu filho
Tudo que eu gostaria que ele soubesse até os 20 anos
Autor: Renato Schmekel
Editora: Vermelho Marinho
Páginas: 325




Sinopse: Você tem alguma dúvida de que seria uma pessoa melhor se soubesse aos 20 anos tudo o que sabe hoje? Este livro aborda mais de 30 temas fundamentais da vida de forma clara e surpreendente, sem ser dogmático. Da amizade à carreira, do sucesso à inteligência emocional, do amor à inveja, dos prazeres à solidão, do dinheiro à morte, o autor se despe de qualquer preconceito e comenta sobre os erros e acertos que ele, bem como a maioria das pessoas, continua repetindo em suas relações com a sociedade. Tendo perdido os pais muito jovem, Renato Schmekel não teve quem o orientasse ao longo da vida e, desde então, sem qualquer apoio, aprendeu que o trabalho árduo é o melhor atalho para o sucesso. Dever de casa feito, Renato hoje é um homem realizado, com uma trajetória de sucesso pautada na ética nas mais diversas áreas. Ao fim do livro, você irá perguntar aos seus pais: Por que não me contaram sobre estas coisas antes? Um livro escrito para filhos, mas essencial também aos pais e educadores.





Resenha: Livro ao meu filho - tudo que eu gostaria que ele soubesse até os 20 anos”, é escrito por Renato Schmekel, e publicado pela Editora Vermelho Marinho. A edição é muito bem elaborada, e ainda conta com capa dura, nota do autor, prefácio, agradecimentos, um bom tamanho de fonte, entre outras características.

O autor tem como principal objetivo demonstrar por meio de relatos, alguns aspectos considerados simples para alguns e que ao mesmo tempo podem ser extremamente relevantes para outros. Ele repassa alguns conselhos que considera serem úteis para as experiências que serão vividas por seu filho. Pessoalmente, creio que é um incentivo maravilhoso, além de poder ajudar outras pessoas por meio dessas mensagens.

A narração é feita em primeira pessoa e direcionada especialmente ao filho. Por isso mesmo que tudo se torna ainda mais sensível e envolvente. É interessante destacar que o autor tinha ideias firmes quando decidiu escrever a obra, e nesse decorrer desenvolveu outras considerações que serviram para acrescentar novas representações e outros temas abordados.

O autor explica suas intenções e tudo parece mesmo ser bem realista e proveitoso. Afirma também que, como perdeu o próprio pai muito cedo, acredita que é mais um ponto positivo para poder melhorar a convivência familiar. Por mais que tente soar o mais correto possível, isso não quer dizer que ele esteja tentando provar teorias. Pelo contrário, deseja mostrar suas opiniões da maneira mais sincera e aceitável possível.


A revisão foi concluída quando seu filho tinha 8 anos de idade e percebe-se, ao longo das páginas, que a narrativa é bem descontraída e atrai a atenção do leitor por elaborar pontos tão críticos. Os valores morais também são apresentados, e diante de tantas reflexões é impossível não aproveitar as recomendações valorizadas.

Esses pontos de vista devem ser abordados por todos que se sintam a vontade com o ideal proposto. Mesmo porque é uma forma de compartilhamento para desenvolver metas, emoções e a própria autoestima dos demais jovens. Se essa não fosse a real intenção, o autor poderia ter feito apenas uma cópia ao seu filho. Por isso, está de parabéns pela oportunidade demonstrada.


“Se este livro não cumprir nenhum outro objetivo, no mínimo você terá um registro de como seu pai se autojulgava – uma vez que essa não é a visão dos outros sobre mim, e sim a minha própria, mesmo que carregada pelo viés de minha interpretação.” Pg.18


Classificação SEL: 4/5


5 comentários:

  1. Olá!

    Nunca havia visto um livro desta forma. :o

    Não sei se chamaria minha atenção para uma leitura imediata.
    Mil beijos
    www.modaeeu.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ei, tudo bem?
    Achei a proposta bem inovadora, visto que não conheço nenhum livro desse estilo. É legal como um complemento as conversas feita entre pai e filho em casa, e pode ser bem interessante. Não sei se usaria com meu filho (quando eu tiver um), mas creio que ajudará muitos jovens, pois nem todos tem a atenção dos pais em certos aspectos.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  3. Oi, Fê!
    Interessante a proposta do livro; pelo quote que você deixou, é como se quase se assemelhasse com uma autobiografia, ou algo do gênero. Não me atrai em nada, porém, esse tipo de narrativa às vezes me deixa um pouco cansada da leitura, sendo bem sincera, mas é uma ideia interessante para se dar uma guiada, de certa forma, aos caminhos de alguém que ainda tem muitas experiências importantes por vir - e para então saber, em seguida, como absorver cada uma delas.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir
  4. Que ideia genial, eu não curto muito literatura de não ficção, mas confesso que a trama me atraiu bastante. Eu achei demais o pai dar todas essas lições para o filho, e ao mesmo tempo ser algo que qualquer pessoa pode aproveitar. Se eu puder ler, vou fazer isso com certeza!
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  5. Oie, Fê!
    Eu não conhecia o livro, mas parece trazer uma mensagem muito bonita e delicada. Mas acho que essa capa não favoreceu o livro, mesmo a edição sendo boa. Um mensagem tão tocante para um filho merecia uma capa condizente... bom, ao menos a mim, não agradou.
    Beijinhos
    Anna - Letras & Versos

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo