31 de março de 2017

Resenha: Véu do tempo - Claire R. McDougall, Editora Jangada

Informações do livro:
Título: Véu do tempo
Título original: Veil of Time
Autor: Claire R. McDougall
Editora: Jangada
Páginas: 368



Sinopse: A medicação para a epilepsia mantém Maggie num estado permanente de torpor, mas não consegue aliviar sua dor por ter perdido a filha em decorrência da mesma doença. Com o fim do seu casamento e o filho mais velho num colégio interno, Maggie se muda para uma casa de campo nas ruínas de Dunadd, o local histórico que um dia foi a sede da realeza da Escócia. Tudo muda em sua vida após uma convulsão, e Maggie desperta num vilarejo dentro dos muros de Dunadd do século VIII. Mesmo sem saber se isso realidade ou apenas uma alucinação causada pela doença, ela é atraída pela presença de Fergus, irmão do rei e pai de Illa, uma menina que tem uma semelhança impressionante com a sua falecida filha. Mas, com as demandas do presente chamando-a de volta, conseguirá Maggie deixar para trás o príncipe escocês que já a chama de meu amor?


Resenha: "Véu do tempo", de Claire R. McDougall, apresenta uma história emocionante, e eu realmente não esperava me surpreender tanto, mas a narrativa se mostra empolgante desde as primeiras páginas. Tudo é muito bem desenvolvido, desde os personagens até o cenário, que chama muito a atenção pelo lado histórico.

Maggie tem crises de epilepsia, e apesar de haver o controle com as medicações e de tentar levar uma vida tranquila, ela não consegue deixar de se culpar pela morte de sua filha. Seu outro filho se muda para um colégio, e não demora muito para que o marido queira se separar dela.

E é assim que Maggie decide ir para uma casa de campo, ao qual já havia tirado férias anteriormente. Muitas coisas estranhas rondam o local, porque na verdade, o próprio texto já deixa transparecer que existe algo enigmático nesse cenário. Claro que isso garante uma empolgação ainda maior para com o leitor.



As convulsões começam a ser mais frequentes, e é numa dessas situações que acontece algo muito estranho, e até inesplicável: ela se vê em outro tempo. Esse tempo, em especial, se mostra extremamente atraente para a protagonista. Se sente diferente, dentre outros sentimentos, além de poder encontrar Fergus e sua filha, Illa. A menina em questão se mostra muito parecida com a própria filha de Maggie, o que gera um interesse ainda maior.

O leitor fica na dúvida mesmo se tudo isso gira apenas em torno das crises de epilepsia de Maggie ou se realmente é de verdade. As coisas se mostram complicadas desde o começo, mas é impossível não torcer pela felicidade da personagem. Ela passa mesmo por muitas situações difíceis, o que dá ainda mais raiva ao perceber que não possui o apoio familiar esperado.

Enfim, essa é uma leitura maravilhosa, e que nos deixa encantados e ao mesmo tempo tristes com o caminho traçado por Maggie. Há muitas sensações difíceis de explicar mesmo, mas o enredo possui um toque muito marcante, e é por isso que o torna mais inesquecível ainda. Fiquei muito feliz de poder ter a oportunidade de conhecer essa história!

Classificação SEL: 4/5


8 comentários:

  1. Fer quero muito ler este livro!
    Amo capas assim é esta sinopse é maravilhosa.
    Livros de viagem no tempo mexem demais comigo.muito bom saber q VC curtiu e triste pela Maggie não ter o apoio da família da forma q ela precisava!Vou ler e volto para te falar. Oq achei

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Oie,
    Esse livro realmente parece ser muito bom, embora não seja meu tipo de leitura, eu gosto de uma coisa mais mórbida e sangrenta haha
    Mas você está de parabéns pela resenha e pelo blog viu?
    Tudo uma fofurinha <3

    ResponderExcluir
  4. Interessante a premissa do livro. Fico abalada em como a "ficção" retrata com tanto afinco a realidade. A verdade, na maioria das vezes, é bem isso que acontece: pessoas que sofrem com doenças tão ingratas (como a da protagosnista, no caso) são abandonadas por seus entes em lugares que muita das vezes não há nem fiscalização. Já me decepcionei com enredos nesse estilo, ilusão/realidade, mas fiquei bem interessada em embarcar nas aventuras da Maggie.
    Bjs e até mais!

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/?m=0

    ResponderExcluir
  5. Oi, gostei bastante da premissa do livro e de como vc falou sobre. Parece que vou precisar de uns lencinhos, mas a leitura parece valer a pena. Bja

    ResponderExcluir
  6. Essa abordagem de convulsões deve ser interessante, mas o que me chamou atenção no livro é que a gente fica torcendo pela personagem, o que prova que existe um envolvimento do leitor. Fiquei bem curiosa.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Gosto muito dos livros da Editora jangada, são maravilhosos. Fiquei encantada com sua resenha, parece de fato uma obra linda e emocionante. Ando fascinada por livros que me arranquem lágrimas e me faça refletir.
    Anotado a dica
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  8. Oi, Fê

    Interessante a abordagem da doença. Foge um.pouco da "febre" do câncer. Eu achei uma vibe meio Outlander, sei lá. Em todo caso, acho que seria uma leitura diferente, e, caso tivesse a chance de ler, leria.

    Beijos

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo