27 de junho de 2013

Resenha: O silêncio das montanhas - Khaled Hosseini @GloboLivros

Informações do livro:                                 
Título: O silêncio das montanhas
Título Original: And the Mountains Echoed
Autor: Khaled Hosseini
Editora: Globo Livros
Páginas: 352


Sinopse: O Silêncio das Montanhas traz como protagonista os irmãos Pari e Abdullah, que moram em uma aldeia distante de Cabul, são órfãos de mãe e têm uma forte ligação desde pequenos. Assim como a fábula que abre o livro, as crianças são separadas, marcando o destino de vários personagens. Paralelamente à trama principal, Hosseini narra a história de diversas pessoas que, de alguma forma, se relacionam com os irmãos e sua família, sobre como cuidam uns dos outros e a forma como as escolhas que fazem ressoam através de gerações. Assim como em O Caçador de Pipas, o autor explora as maneiras como os membros sacrificam-se uns pelos outros, e muitas vezes são surpreendidos pelas ações de pessoas próximas nos momentos mais importantes. Segundo o próprio Hosseini, o novo título "fala não somente sobre a minha própria experiência como alguém que viveu no exílio, mas, também sobre a experiência de pessoas que eu conheci, especial os refugiados que voltaram ao Afeganistão e sobre cujas vidas tentei falar tanto como escritor quanto como representante da Organização das Nações Unidas. Espero que os leitores consigam amar os personagens de O Silêncio das Montanhas tanto quanto eu os amo". Seguindo os personagens, mediante suas escolhas e amores pelo mundo - de Cabul a Paris, de São Francisco à Grécia -, a história se expanda, tornando-se emocionante, complexa e poderosa. É um livro sobre vidas partidas, inocências perdidas e sobre o amor em uma família que tenta se reencontrar.



Resenha: Como não amar um livro de Khaled Hosseini? Confesso que iniciei esta leitura com ótimas expectativas e claro, não me decepcionei em nenhum momento. Na trama conhecemos várias histórias que se entrelaçam no decorrer dos fatos e ao mesmo tempo fazem com que o leitor sinta as experiências vividas de um jeito único e envolvente. 

Emoção define esta leitura do começo ao final, e é como se o leitor conseguisse sentir tudo que o autor descreve, projetando as cenas de uma maneira concreta e especializada. O autor mantém seu estilo de escrita forte, intenso e ao mesmo tempo persuasivo, fazendo uma ótima descrição dos que estão envolvidos na trama.


“Então, é isso. Vocês querem uma história, e eu vou contar uma. Mas somente uma. Nem pensem em me pedir mais. É tarde e temos um longo dia de viagem pela frente, Pari, você e eu. Você precisa de uma boa noite de sono. E você também, Abdullah. Estou contando com você, garoto, enquanto sua irmã e eu estivermos fora. E sua mãe também. Bem. Uma história, então. Escutem, vocês dois, escutem com atenção. E não me interrompam.” Pg.11


Como falei anteriormente, os personagens estão mesmo ligados, cada um a sua maneira. Porém a apresentação de ambos é tratada em capítulos alternados. A trama inicia com o pai de Abdullah e sua irmã Pari lhes contando uma fábula local. A relação dos irmãos é muito emocionante, e é tocante o modo como cada um revela o amor incondicional um com o outro. 

No decorrer dos acontecimentos, conhecemos a história longa e triste desses irmãos que acabaram tendo os caminhos separados. Neste sentido, aparecem os outros personagens que, apesar de não serem o foco central, chamam a atenção exatamente por suas histórias articuladas serem igualmente tristes, contadas durante gerações.


“Finalmente, faz sua escolha. Vira-se, abaixa a cabeça e anda em direção a um horizonte que não consegue enxergar. Depois, não olha mais para trás. Sabe que, se fizer isso, vai enfraquecer. Perderá a pouca certeza que tem [...]” Pg.70


De um modo geral, a temática de todo o enredo pode ser considerada crítica, de acordo com a narrativa peculiar encontrada. Digo isso, pois os assuntos infiltrados revelam um poder sobre a sociedade fragilizada, descrevendo casos sérios de descasos com condições precárias de moradia, problemas familiares, no ramo da saúde, da educação, entre outros. 

Acredito que a importância dos fatos está justamente relacionada ao tempo, as experiências e aos infortúnios da vida. E é nesse ambiente nostálgico que Khaled Hosseini conseguiu explorar com aptidões, as reflexões sérias e complexas acerca do abordado e de como cada atitude e escolha, podem representar várias consequências, uma mudança ou mesmo um desencontro.

No fim das contas se tornam perceptíveis as mensagens colocadas nas entrelinhas do livro e a real intenção de cada fundamento. O Silêncio das montanhas é cativante e apesar do tom dramático da narrativa, mostrou ser uma leitura centrada, envolvente e aberta à criticas construtivas. Além, é claro, de apresentar uma nova dimensão das culturas e suas necessidades apropriadas. Um livro que desperta o olhar do leitor para lições simples e ao mesmo tempo muito relevantes.



Classificação SEL: 4/5

2 comentários:

  1. Realmente já era de se esperar que o livro fosse bom. Espero ler ele em breve.
    Beijos...

    ResponderExcluir
  2. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços.

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo