9 de julho de 2013

Resenha: Como eu era antes de você - @jojomoyes @intrinseca

Informações do livro:                                
Título: Como eu era antes de você
Título Original: Me Before You #1
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 320






Sinopse: Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro. Como eu era antes de você é uma história de amor e uma história de família, mas acima de tudo é uma história sobre a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.




Resenha: Esse foi um daqueles livros que me deixou sem ação e sem perspectivas. Na verdade criei, no decorrer dos acontecimentos, certa esperança para um possível final feliz. Nunca soube ao certo como poderia ser o desfecho, apesar de ter algumas ideias, me via desprovida de sentimentos ou na maioria das vezes, absorta por eles. 

Como eu era antes de você” é na verdade uma história para refletir. Bastante. Acerca de nossa própria vida, das oportunidades conquistas e das perdidas, sobre o tempo e de como é preciso saber aproveitá-lo com sabedoria e atenção. Precisei escrever essa resenha o mais rápido possível, pois fiquei com uma sensação angustiante e sabia que precisava falar com alguém, ou no caso, escrever sobre a trama.


“Ele se vira, e nesse milésimo de segundo, percebe que a coisa vem em sua direção, que não há como sair da frente. Surpreso, abre a mão e o BlackBerry cai no chão. Ouve um grito que talvez seja meu. A última coisa que vê é uma luva de couro, um rosto dentro de um capacete, o choque nos olhos do homem refletindo o dele próprio. Há uma explosão quando tudo se parte em pedaços. E então não há nada.” Pg.10


Louisa Clark, aos vinte e seis anos, trabalhava num café e vivia sob uma rotina tediosa diante de uma família sem grandes ambições, assim como ela própria e um namoro de quase sete anos que parecia não ter muito futuro. Na verdade, ela nunca havia pensando em mudar algo em sua vida e pode-se dizer que não sabia dizer quem era ou o que queria da vida, mas o destino havia preparado outros planos. 

Frank, o proprietário do café resolveu fechar o negócio e então, Lou se encontrava oficialmente desempregada. O problema é que ela sofria uma grande pressão dentro de casa, já que era a maior responsável por custear os gastos. Lou precisou ir a procura de outro local de trabalho, que no caso era bem diferente ao qual ela estava acostumada.


“Surpreendentemente, eu havia me acostumado às suas necessidades físicas. Parecia injusto que, além de não poder usar ou sentir as mãos e os pés, eles ainda causassem tanto desconforto. Apesar de tudo, ele não reclamava. Por isso levei semanas para perceber que estava sofrendo. Agora eu conseguia decifrar o cansaço em seu olhar, os silêncios, o jeito como ele parecia se refugiar dentro de si mesmo.” Pg.88


Foi assim que Lou virou cuidadora assistente de Will Traynor, um tetraplégico amargurado que aos 35 anos, se via numa situação complicada, e não pelo caso de seu estado de cuidados extremos, mas por se encontrar desiludido e mal-humorado com a vida e as pessoas ao seu redor. 

Ele sempre foi muito disposto, porém depois do acidente, perdeu tudo que havia adquirido: seu emprego, sua namorada e suas aventuras. A relação dos dois não começou muito amigável, pois ele se encontrava muito fechado e indisposto. O mais comovente foi, na verdade, ver o desenvolver lento do envolvimento de Lou e Will, uma vez que criava um ambiente pacifico de emoções e anseios.


“Talvez Will e Nathan tivessem razão. Talvez eu fosse chata. Talvez eu fosse a pessoa menos capacitada do mundo para inventar coisas que pudessem instigar a vontade de viver em Will.” Pg.179


Os personagens secundários também representaram grande importância no enredo, como os integrantes da família de Will e Lou. Destaque para Treena, a irmã de Lou e Nathan, enfermeiro de Will. Por outro lado, preciso desabafar que o namorado de Lou – Patrick – é um chato e eu realmente não gostei nem um pouco de sua conduta. É perceptível também, como a autora se empenhou nas pesquisas sobre a deficiência abordada no livro, fazendo com que a narração focasse num ângulo orientado e descritivo.


“Embora nenhum de nós dissesse isso, Louisa Clark tinha se tornado nossa última possibilidade de mantê-lo vivo.” Pg.258


Will já havia tomado uma decisão muito antes de conhecer Lou. Era simples e triste: ele não tinha mais vontade de viver. Mesmo assim, a moça vai lutar para reverter esta situação ou mesmo fazer com que os dias dele se tornem mais felizes. Será que ela conseguiu? Por meio de muitas ideias criativas – ou desastrosas – o que realmente vale a pena é o aprendizado que ambos ensinaram um ao outro. Verdadeiras lições de vida numa história emocionante e digna de muitas lágrimas.


“– Acho que podemos fazer de tudo. Sei que essa não é uma história de amor como outra qualquer. Sei que há motivos para eu nem dizer isso. Mas eu amo você. De verdade.” Pg.282


Classificação SEL: 4/5


6 comentários:

  1. Eua tempos penso, se comprou ou não esse livro! rs
    Ele parece ser muito bom, mas não sei se é tudo que eu espero entende? rs
    Bom.. acho que vou ter que ler e tirar a dúvida! rs
    ótima resenha! :D

    http://tamigarotaindecisa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Li esse livro no final de semana. Amei, chorei e odiei o Patrick! hahahahahaha
    As questões que nos fazem pensar a respeito do que fazemos com o nosso tempo, as oportunidades, as nossas vontades, achei bem legal... até porque o tempo passa tão depressa...!!
    Adorei sua resenha, tive as mesmas impressões e sentimentos que você!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oiee Linda, tudo bem ??
    Vi seu endereço lá no facebook e resolvi passar aqui para conhecer o seu cantinho e simplesmente também amei...Tá de parabens por tudo aqui.
    Olha, já estou te seguindo, poderia me seguir também e curtir minha fanpage ? Ficarei feliz de saber que você está com as pessoas que eu gosto em meu blog.

    Outra coisa, eu gostaria de oferecer o selinho do I LOVE MY BOOKS para você trazer aqui. Porque eu simplesmente amei seu blog.
    E se quiser uma parceria me avise para que eu te linke.
    beijinhos minha linda e parabens por tudo aqui viu ?!!

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Acho que não tem como não desejar ler este livro.
    Desde do lançamento que quero muito ler, sem contar que os elogios a ele são grandes.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Imaginar um final de várias formas diferentes me faz querer conhecer este livro.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha, esse realmente deve ser um livro para se refletir depois de lê-lo, que bom que você veio logo nos contar sobre ele, já estou emocionada só de pensar como deve ter sido o final do livro e por você dizer que ele é digno de lagrimas.

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo