14 de agosto de 2013

Resenha: Anjos da Neve - James Thompson @editorarecord

Informações do livro:                                 
Título: Anjos da Neve
Inspetor Kari Vaara
Título Original: Snow Angels
Autor: James Thompson
Editora: Editora Record
Páginas: 266



Sinopse: Em uma pequena cidade do extremo norte da Finlândia, uma jovem somali é encontrada morta e mutilada. Decidido a encontrar o culpado pelo crime horrendo antes que o caos e a indignação tomem conta do país, o inspetor Kari Vaara precisa investigar a vida de cada morador local para chegar ao cerne do crime. Porém, a busca pela verdade no gélido clima ártico envolve pessoas que ele conhece muito bem, e o culpado pode estar mais perto do que ele imagina.



Resenha: Eu não esperava ler esse livro, pelo menos não tão cedo, então foi uma surpresa quando o recebi da Editora Record. Surpresa maior mesmo foi no decorrer da leitura, quando percebi que a narração fluía naturalmente de um jeito intenso e envolvente. Fazia tempo que eu não li algo relacionado ao gênero policial e por esse motivo me vi receosa de início. 

Ainda bem que resolvi dar uma chance à história, que se mostrou bem estruturada e complexa. Somos apresentados a Kari Vaara, um detetive que precisa desvendar um grande mistério que envolve uma moça somali. 

As cenas se passam na Finlândia e representam na maior parte do tempo, um cenário tempestuoso, frio e assustador. Essas características são trabalhadas de modo a fazer com que o leitor se habitue com os fatos narrados e com cada detalhe apresentado. Somos redirecionados também, a conhecer as pessoas que habituam esse ambiente um tanto quanto hostil e devastador, assim como seus costumes e crenças diversas.


“A Finlândia tem uma população de apenas 5,5 milhões de habitantes, mas os crimes que acontecem por aqui costumam ser muito violentos. Se considerarmos a média per capita, a nossa taxa de assassinatos é a mesma de muitas das grandes cidades norte-americanas.” Pg.12


Analisando pelo ângulo de escândalos, este assassinato tem o poder de abrir um caso extenso de investigações, não pelo fato de a vítima ser famosa, mas por ser negra. E são justamente esses tipos de ocorrência envolvendo racismo, que geram um enorme falatório, por se tratar de um tema tão delicado. 

Sufia Elmi foi encontrada nua com o corpo incrustado na neve e de acordo com a descrição da cena, o homicídio foi muito cruel e ainda fora planejado. A modelo possui uma beleza incomum e o principal pensamento foi de que ela pôde ter sido alvo de algum tipo de interesse invejoso e/ou maligno/odioso.


“A atmosfera é de isolamento e desolação. Parece o lugar ideal para um assassinato. Imagino o assassino no instante em que sai da rodovia principal, desliga o motor do carro, apaga os faróis e deixa que o carro deslize até parar mais adiante. O céu está cheio de nuvens, não há nem lua nem estrelas para iluminar a noite escura. Num dos lados, as casas mais próximas estão a uma distância equivalente a um campo de futebol. O assassino teve privacidade e tempo. Se ouvisse algum barulho ou avistasse luzes, tudo o que precisava fazer era ligar o carro e ir embora antes de ser visto.” Pg.17


Muitas versões povoam a cabeça do inspetor, e todas elas só fortalecem a tragédia diante de um cadáver mutilado. A narração feita em primeira pessoa só serve para incrementar as sensações de angustia e tristeza sobre um acontecimento aparentemente sem solução e sem pistas. 

Os detalhes são muito bem trabalhados e explicitados, impactando ainda mais as ocorrências e fazendo com que o leitor consiga analisar cada informação repassada. Por meio das investigações, percebemos também o modo hostil e surpreso da população, que traceja esse dia como algo imenso de tristeza. Diante desse caos e do lugar diferenciado, Kari tenta fazer o possível para que a mulher Kate consiga se habituar de alguma maneira.


“O lugar onde Sufia estava hospedada pode ser considerado um local de crime secundário. Vou descobrir onde ela estava, procurar evidências, levantar impressões digitais e, em seguida, irei para a autópsia. Depois disso, vou tentar descobrir onde ela estava quando foi sequestrada. Alguma pergunta?” Pg.48


A trama se desenrola cheia de suspense, complexidade e misterios. O desfecho não me surpreendeu muito, porém revelou os traços concretos nas pesquisas realizadas pelo protagonista, o que acertou a realidade do lugar, de uma forma assustadora e infelizmente realista demais. A história nos faz entrar em um universo abrangente e é como se adentrássemos como verdadeiros detetives especializados.


Classificação SEL: 4/5


Um comentário:

  1. Gosto do estilo, gostei da capa e do título.
    valeu pela dica.
    Parabéns pela leitura e resenha.
    bjos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo