2 de setembro de 2013

Resenha: O Inferno de Gabriel - Sylvain Reynard @editoraarqueiro

Informações do livro:                                 
Título: O Inferno de Gabriel
Título Original: Gabriel's Inferno
Autor: Sylvain Reynard
Editora: Arqueiro
Páginas: 512




Sinopse: A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher. Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites. O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados. Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante – um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer. Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir. Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.




Resenha: É muito difícil expressar todas as emoções que senti durante a leitura deste livro. Tanto é que demorei quase um mês para terminar de ler. Durante as primeiras páginas fiquei meio deslocada e não gostei nem um pouco da narrativa maçante, e por esse mesmo motivo comecei a ler mais devagar. 

Porém com o decorrer dos acontecimentos, fui me envolvendo mais com os personagens e me adaptando com a linguagem da trama, apresentando uma própria personalidade. Só que o fato é que realmente quem me incomodou foi a personagem Júlia Mitchell, com seu jeito tímido, inseguro e desajustado, e por ela ser representada de uma maneira tão santificada e ingênua. 

Enquanto Gabriel Owen Emerson chegou como aquele personagem durão e repleto de problemas e mistérios, e mesmo assim, é muito bem construído e passou uma segurança maior, demonstrando carisma de acordo com sua personalidade forte, instigante e conquistadora.


“ – Vou ser expulso do Paraíso amanhã, Beatriz. Nossa única esperança é que você me encontre depois. Procure por mim no inferno.” Pg. 67


Claro que um dos destaques dessa trama gira em torno das referencias artísticas por Dante e Beatriz de A Divina Comédia do italiano Dante Alighieri, bem como outras referencias de obras, locais, músicas e clássicos diversos. 

Gabriel é professor de uma universidade em Toronto e especialista em Dante, e logo nota-se que ele esconde algum mistério, exatamente por suas ações contraditórias: as vezes é grosseiro e impaciente e em outros momentos, calmo e romântico. Em muitos momentos, ele se apresenta de maneira explosiva de um modo bem impetuoso com as pessoas a seu redor. Uma personagem secundária que se destacou bastante foi a irmã de Gabriel – Rachel – que praticamente ajudou no desenvolvimento da relação dos dois.


"Mas, aninhada nos braços de Gabriel na noite anterior, uma onda de emoção a tinha dominado, e todas suas frágeis defesas foram arrastadas para o mar como um castelo de areia. O amor que sentia por ele continuava ali, uma pequena chama que ardia de tal forma que nem toda a água do oceano conseguiria apagar. Então talvez agora não tivesse escolha, por já ter feito sua escolha antes. Quando ele lhe pediu sua mão e ela a estendeu sem questionar. No instante em que Gabriel a tocou, Julia soube que pertencia a ele. Desde então, ele sempre havia estado ali, nas sombras, como um fantasma que se recusava a ir embora. E agora o fantasma tinha decidido que a queria. Mas Julia acreditava que ele nunca, nunca iria amá-la." Pg.263.


O fato é que os personagens vão se revelando de acordo com as necessidades emocionais. Os atos seguem o caminho do descobrimento, da redenção, perdão e condição, assim como uma trajetória de sedução e envolvimento. A atração é inevitável, porém existem muitas barreiras que impedem essa relação, como por exemplo, a possível exposição do envolvimento entre aluna x professor. 

Assim acredito que o ponto alto deste primeiro volume foi a revelação dos sentimentos expostos por cada personagem e consequentemente a libertação de ambos, assim como apresenta a ideia de uma segunda chance na vida de duas pessoas que se perderam em algum momento. 


“– Então deixe-me cuidar de você – sussurrou ele, seu olhar intenso e fixo.
- Você poderia ter a qualquer mulher que quisesse, Gabriel.
Ele franziu a sobrancelhas.
- Eu só quero você.
Ela descansou a cabeça no peito dele e sorriu.
- Estar sem você, Julianne, é como suportar uma eterna noite sem estrelas.” Pg. 328


Outro favor positivo é que o(a) autor(a) investiu mais nas cenas de sedução do que nas próprias cenas de apenas e somente sexo, valorizando ainda mais a narração e suas características. Provavelmente vou ler “O julgamento de Gabriel”, porém não sei se vai ser por agora...


Classificação SEL: 3/5


4 comentários:

  1. E eu com certeza vou querer ler os dois livros.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Bem minhas amigas dizem q esse livro e maçante so nas primeiras 100 pgs. Elas estao mais anciosas q eu mesma pra ler ...kkkk e sobre a questao d ser uma ex fanfic d crepusculo eu realmente nao ligo pois ja li varias e adorei enfim gostei muito da rezenha e logo logo vou ler e ter uma opniao formada !

    ResponderExcluir
  3. Esse é o livro que estou lendo!!!!!!
    Acredito que a trama realmente deslancha a partir dos 100 primeiras páginas, vale a pena ler e refletir

    ResponderExcluir
  4. Acho que Julianne Mitchel foi injustiçada . Ela realmente parece ser uma sonsa , mas a medida que a trama se desenvolve percebe-se que há uma razão de ser pra isso . Ela é um contraponto em relação ao professor Emerson , o poderoso , garanhão , machão ,mas tanto um quanto o outro aprende ou conhece um lado que eles deixaram de enterrados . A sexualidade de Julianne que desabrocha , de tímida passa a ser decidida , a cena em que ela espulsa um professor do Museu na Italia é ótima . Já Gabriel tem seu lado cruel , hedonista suprimido a medida que Julianne lhe ensina sobre , amor , fé e perdão .
    Á principio eu não gostei do livro , achei que fosse mais um crepusculo da vida , mas percebi que os personagens tem uma certa profundidade . Li os três e gostei .

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo