25 de setembro de 2013

Resenha: Refém da Obsessão - Alma Katsu @Novo_Conceito

Informações do livro:
Título: Refém da Obsessão
Título Original: The reckoning
Autor: Alma Katsu
Editora: Novo Conceito
Páginas: 352



Sinopse: Havia uma parte em Lanny que queria ser punida. Um pedaço de seu coração que acreditava que ela merecia o horror de ser imortal, a tristeza de ver todos aqueles que amara partirem, enquanto ela só podia conviver com as perdas e as lembranças. Terríveis e solitárias lembranças. Este “dom”, oferecido pelo mais malvado dos homens, Adair, era, para ela, a resposta a uma pena que ela deveria cumprir. Mas, apesar das culpas e do castigo que pensava merecer, ela ainda sonhava. E esperava ser redimida por ter dado a Jonathan — seu grande amor — o esquecimento que purifica todo ser de sua dor: a morte. No entanto, bem no fundo de sua alma, ela suspeitava que, fosse o que fosse que a atraísse para Adair (e para sua maldade), fosse qual fosse o infeliz sentimento que os aproximara, este sentimento não fora totalmente exorcizado. Não importava que ela tivesse chegado ao cúmulo de emparedar aquele homem mau e deixá-lo para apodrecer, não importava que o tempo tivesse passado, nem que, hoje, ela pudesse contar com o apoio e os braços fortes e acolhedores de Luke... Adair estava por perto, ela podia senti-lo, e seu poder era inexorável. “Este é o segundo livro da trilogia de Alma Katsu, que começou com o bem recebido Ladrão de Almas. Esta sequência mantém-se fiel ao primeiro título da autora...” --Publishers Weekly





Pode – ou não – conter spoilers do primeiro volume.



Resenha: Refém da Obsessão” é o segundo volume de uma trilogia da autora Alma Katsu, publicada pela Editora Novo Conceito. Esta sequência se mostra ainda mais eletrizante e reveladora, captando o lado mais sombrio dos personagens. O que na verdade leva a observar outros pontos de vista, principalmente o de Adair que no primeiro livro se destacou por sua frieza e maldade. Agora que ressurgiu, é possível analisar cada ato de sua existência. Mas será que tudo tem explicação?

O poder da imortalidade pode confundir a cabeça de qualquer pessoa. Diante das fraquezas humanas, conseguimos captar os anseios e medos deste antagonista (Adair), representando sentimentos íntimos e confusos. Parece meio contraditório, mas é bem isso mesmo que acontece pois assim que começamos a perceber que existe algo a mais em sua personalidade, Adair se torna mais encantador aos olhos de quem vai absorvendo sua trajetória.

A partir disso, existe outra analise que pode ser observada. E ainda há uma mensagem por traz de cada linha e que absorve a mente do leitor. Este título – Refém da Obsessão – não poderia ter sido melhor, pois Lanny ainda se mostra obsessiva com seu amor por Jonathan, mas o caso é que ela é apenas mais uma que se prendeu diante dos desejos mais complexos. Luke é um exemplo fiel disso, pois largou tudo e se arriscou para seguir a mulher que antes era apenas uma desconhecida. O problema é que depois dos últimos fatos, Lanny sabe que não pode ficar ao seu lado. E claro que ainda há Adair, com suas decisões sombrias e vinganças articuladas.
                                              
A sensação é de que, mais cedo do que se imagina, o passado pode retornar, para assustar a vida de todos os envolvidos. E causa medo, angustia e aflição diante de uma procura incansável e perturbadora. Mas a pergunta que segue é: será que uma pessoa pode realmente mudar?
          
      

“Sempre me orgulhei de seguir meu coração, mas eu não iria, não podia aceitar isso. Era um desejo desvairado ou algum tipo de atração doentia fantasiada de amor. Era algum truque, um dos feitiços dele para me fazer pensar que o amo. Era a insanidade trazida pela morte de Jonathan. Não podia estar apaixonada por um monstro. Não me permitiria estar apaixonada pelo demônio.” Pg.142



Assim como no primeiro volume, este também se destaca por suas descrições e por causar uma sensação de maior envolvimento com que está lendo. E é justamente sob esta perspectiva que existe a emoção e o desejo de querer conhecer mais a fundo as cenas apresentadas.

Há muito mais do que um drama paranormal, e todo o enredo se concentra em um drama que parece não ter mais fim, explorando as qualidades e os defeitos de uma maneira excepcional. Parece mesmo que Adair está sendo visto com outros olhos e é fato ser querido e desejado por tantos leitores.

O desfecho deste volume é instigante e faz com que o leitor anseie por mais, diante de tantas expectativas. O próximo livro se chama “The Descent” terceiro livro da trilogia Taker.



Classificação SEL: 4/5


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo