10 de setembro de 2013

Resenha: Ruínas do Tempo - Jess Walter @Verus_Editora


Informações do livro:                               
Título: Ruínas do Tempo
Título original: Beautiful Ruins
Autor: Jess Walter
Editora: Verus
Páginas: 364



Sinopse: Ano de 1962. Em um trecho rochoso do litoral italiano, um jovem dono de hotel olha para as águas incandescentes do mar da Ligúria e vê uma aparição; uma bela mulher se aproximando em um barco. Ele então descobre que se trata de uma atriz, uma estrela americana, e que ela está morrendo. A história dá um salto e recomeça nos dias atuais, a meio mundo de distância, quando um idoso italiano aparece em um estúdio de cinema procurando pela misteriosa mulher que ele viu pela última vez em seu hotel décadas atrás. O que se desenrola a partir daí é um romance que abrange cinquenta anos e algumas vidas. Da filmagem de 'Cleópatra' à agitação do Edinburgh Fringe Festival, o autor nos apresenta um emaranhado de vidas de uma dúzia de personagens - o apaixonado dono de hotel italiano e seu amor desaparecido; o conservado produtor que outrora conseguiu juntá-los e sua jovem e idealista assistente; o veterano do exército que se tornou escritor e o libertino Richard Burton, cujas vontades são responsáveis pelo desenrolar de toda a narrativa - ao lado dos amantes e sonhadores, celebridades e perdedores que povoam o mundo nas décadas que se seguem.




Resenha: Ruínas do Tempo do autor Jess Walter é um livro extasiante e conquista os leitores por apresentar uma cumplicidade realista e uma história detalhada e arrebatadora. O enredo foi conduzido de maneira perspicaz, revelando fatos complexos e muito sentimentais. Diante de uma narração forte, intercalada sob tempos, personalidades e situações diferentes e abrangentes (desde 1962 até dias atuais), pôde-se concluir também que cada detalhe revela uma perfeita compreensão da escrita desde o começo até o final, sem deixar nenhum rastro de dúvidas.


“E então o futuro colocou o chapéu debaixo do braço, abriu a porta, abaixou-se para passar sob o batente e entrou.” Pg. 22


Os personagens são igualmente intensos e Pasquale é um protagonista sonhador, que aos poucos vai relevando seus medos mais sombrios e anseios mais peculiares. Diante de uma vida simples e casual, logo que conhece uma atriz americana –fabulosa – chamada Dee Moray, ele percebe que sua vida nunca mais seria a mesma. O seu acompanhamento sobre cada passagem de sua vida torna as descrições mais interessantes e apresenta um olhar mais emotivo de acordo com as ações e decisões tomadas por Pasquale.


“A vida, pensou ele, era um ato flagrante de imaginação”. Pg.23


O ambiente foi acrescentado de maneira clara e objetiva, sendo que somos conduzidos à ilha de Porto Vergogna, na Itália, bem como Hollywood, Califórnia, ao qual são conduzidas de modo espetacular através de cada lembrança e por assim dizer pelas “ruínas do tempo”. A respeito dos personagens secundários, é possível destacar suas irreverências, mas principalmente o modo como foram trabalhados pelo autor, fazendo analises simples, porém muito relevantes e atraentes.


“Eu deveria estar feliz simplesmente por estar vivo, mas estava na parte mais depressiva da minha guerra, com medo, sozinho e percebendo fortemente o barbarismo à minha volta.” Pg.86


Para quem não sabe, a capa original deste livro apresenta apenas a ilha, então outro fator positivo foi o acrescido da mulher que deu um ar mais fugaz, mágico e determinado. Ruínas do tempo traz a tona uma mensagem clara de reafirmação, escolhas e diversos sentimentos como o amor, a inveja, decepções, felicidade, motivações, entre outros. A cada capítulo, a expectativa se torna maior justamente para saber o desfecho de cada evento atribulado. Em nenhum momento achei a obra maçante, pois compreende cenas maravilhosamente belas e surpreendentes. Vale destacar também as citações sobre Richard Burton e Elizabeth Taylor, colaborando para com o contexto de Hollywood.




“Esta é uma história de amor, diz Michael Deane. Mas, realmente, qual história não é?” Pg.349

Em geral, esta leitura pede uma analise mais critica e no final de tudo se torna admirável como a história entra em nossas mentes. É, sem dúvida nenhuma, um livro sagaz, inteligente, comovente e muito bem escrito.


Classificação SEL: 5/5


Um comentário:

  1. A primeira coisa que chamou minha atenção foi a capa, linda mesmo. Bom saber da capa original, assim podemos comparar \o/
    Parabéns pela resenha, adorei acompanhar os pontos que vc indicou.

    Bjos
    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo