23 de outubro de 2013

Resenha: Dois Rios @tgwood505 @Novo_Conceito

Informações do livro:
Título: Dois Rios
Título Original: Two Rivers
Autor: T. Greenwood
Editora: Novo Conceito
Páginas: 448


Sinopse: Harper Montgomery vive ofuscado pela tristeza. Desde a morte de sua mulher, há 12 anos, ele aprisionou-se em uma pequena cidade, Dois Rios, onde todo mundo se conhece, porque ali — justifica-se — poderia criar melhor sua única filha. Atormentado pelo desgosto, Harper prefere esconder-se. Mas a verdade é que a morte de sua mulher é somente um dos motivos de sua dor. Além de sofrer por sua perda, ele se sente culpado por um ato abominável: quando mais jovem foi cúmplice de um crime brutal e sem sentido. Há muito sentimento em jogo quando se trata de sua vida cheia de remorsos... Então, um acidente de trem oferece a Harper a chance de redenção: uma das sobreviventes, uma menina de 15 anos, grávida, precisa de um lugar para ficar, e ele se oferece para levá-la para casa. No entanto, a aparição dessa menina, Maggie, não tem nada de simples acaso, talvez, ela tenha alguma coisa a ver com o crime do qual ele participou um dia...



Resenha: Dois Rios” de T. Greenwood é uma história complexa que aborda assuntos relevantes sobre questões sociais, escolhas que podem mudar uma vida inteira e segredos envolvendo o passado e o presente. Há um misto de sentimentos de ódio, perdão, aflição, compaixão, amor e até cumplicidade.

Com uma narrativa detalhada em épocas distintas e muito bem escrita, o autor cria um quebra-cabeça e é tentador o modo como o leitor precisa desvendar o mistério que cerca cada peça do jogo, para que se encaixe com exatidão.

Harper Montgomery vive em Dois Rios, Vermont com sua filha Shelly. Ele é um homem triste, solitário, deprimente e conservador, e se ficou assim foi após a morte de sua mulher Betsy e por ter feito algo horrível. O modo como narra suas experiências passadas, diante de memórias que lhe assombram, expõe um lado de sua vida que parece não ter tido um bom desfecho e depois de 12 anos ele ainda se martiriza por suas escolhas e atos.

Quando acontece um acidente de trem o leitor pode pensar que a narração irá se focar neste ato, porém não é que acontece. Por outro lado, as descrições do ambiente se mostram adoráveis e vividas, e as características justificam toda a profundidade do enredo, bem como as sensibilidades dos personagens. Dá uma vontade enorme de conhecer esse lugar tão belo e encantador.

O livro expõe assuntos como o racismo, gravidez, morte e doenças. Quando uma adolescente grávida, chamada Maggie, entra na vida de Harper as coisas começam a acontecer rápido demais, ela lhe conta uma história desesperadora e vai morar por um tempo com ele e a filha – e nem tudo parece ser o que é – e a partir desse momento as reviravoltas surgem para surpreender ainda mais o enredo e intimidar qualquer tipo de situação.

É uma história tumultuada, melancólica e opressiva, além de que requer muita analise sob o ponto de vista de cada um e da bagagem emocional que os personagens carregam. Independente de tudo, o mais interessante é poder perceber que existe uma conexão real que envolve a história de cada figura apresentada.

Apresenta também várias mensagens de comoção, envolvendo laços familiares, o verdadeiro amor e a valorização das pessoas que estão ao nosso redor. Nos obriga a pensar em nossas próprias ações e o caminho que escolhemos para determinadas circunstâncias.



“Amoras-pretas. A pele do homem traz à sua memórias as amoras-pretas do verão anterior. A cor de quase meia-noite. A cor de uma escoriação. É nisso que Harper pensa quando olha para o homem que eles levaram até o rio, aquele que, agora, está com água até a cintura, implorando pela vida: o milagre da pele humana de possuir a mesma tranqüilidade preto-azulada de uma fruta madura, da noite, da própria angústia.” Pg,13
                                                                                                                  


Classificação SEL: 4/5


Um comentário:

  1. Adorei a sinopse, e a resenha também! Me parece uma leitura super intrigante, daquelas que nos prendem desde a primeira página e fiquei super curiosa para ler *---*.

    Beijocas http://meudiva1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo