16 de janeiro de 2014

Resenha: O Sol Negro - M. C. Pereda - @editoraschoba

Informações do livro:
Título: O Sol Negro
O retorno das sociedades secretas do Vril
Ficção Brasileira
Autor: M. C. Pereda
Editora: Schoba
Páginas: 432



Sinopse: Uma trama envolvente baseada em sociedades secretas que ressurgem no Brasil quando muitos acreditavam que tivessem sido apenas um mito na história entre o fim da Primeira Guerra Mundial e o desfecho da Segunda, cheia de fatos históricos aceitos ou controversos. Muita ação, suspense e romance, tornam “O Sol Negro” único em sua narrativa ousada, direta e sensorial. Em 2011, trabalhando como Diretora de Pesquisa Científica em uma indústria farmacêutica de capital germano-americano, a Dra. Maya Angel introduzia às suas principais colegas de trabalho noções sobre o que ela chamava de “a real história do mundo”, a qual era diferente da contada oficialmente nos livros de história. Muito do que ela apresentava às amigas eram informações e personagens provenientes de sociedades secretas, consideradas por ela como mais “positivas” e focadas no bem da humanidade. Em meio a isso, ela narra a história de Francis Bacon como sendo um dos dois filhos escondidos da Rainha Elizabeth I, apontado também como o real escritor das obras de Shakespeare. As vidas de Francis Bacon e Walter Raleigh são brilhantemente mescladas com a do mago real, John Dee, o qual em 1578, juntamente com eles e Francis Drake, o principal pirata da Rainha, escondem em um poço de uma ilha do Canadá, na Nova Escócia, cristais poderosos conhecidos como as “Chaves de Enoch”. Estes cristais eram as chaves para o domínio da poderosa energia Vril, tão procurada pelos nazistas entre 1939 e 1945. Em meio a assassinatos cometidos pela Seita Vril, liderada pelos alemães que a ressurgiram em São Paulo tal qual era na época de Hitler, surge uma caçada pelos cristais que leva a Dra. Maya e seu novo amor, David Bacon, pertencente a uma sociedade secreta com boas intenções intitulada Sociedade Thule, a resgatar os cristais, antes que eles caíssem em mãos perigosas. Assim, desesperadamente, Maya, David e seus amigos, seguem por vários locais e sítios históricos nas Américas, culminando com o resgate de David Bacon em 12 de Dezembro de 2012, no platô de Marcawasi no Peru, após terem conseguido ativar os cristais, assim gerando uma grande transformação, tanto no planeta como na vida deste casal.




Resenha:O Sol Negro” proporciona uma história complexa e repleta de fascínios e descobertas admiráveis. A autora consegue explorar assuntos ligados à humanidade e sociedades secretas de uma maneira ágil e muito bem detalhada. O mistério segue em todos os momentos e garante várias surpresas durante cada acontecimento.

Mais interessante é poder adentrar numa atmosfera ligada à simbologias alternadas e devaneios sobre o passado. É uma obra que exige bastante atenção por parte do leitor já que apresenta muitas passagens particularizadas. Consequentemente haverá maior objetivação no estudo da cultura e de fato todos os elementos poderão ser considerados com êxito.

Na trama, o desenvolvimento se baseia em dados referentes à real Sociedade Thule e Sociedade Vril, formadas após a Primeira Guerra Mundial e desenvolvidas ao longo da Segunda Guerra Mundial. No contexto é possível entender mais sobre a ampliação destas sociedades, acerca de teorias e da importância de cada uma nas ocorrências de suas respectivas épocas.

A ambientação se situa na cidade de São Paulo, mas há várias passagens de outros lugares ao redor do mundo. A protagonista se chama Dra. Maya Angel e é uma cientista muito instruída, inteligente e determinada que trabalha em uma empresa farmacêutica. Por se envolver com estas sociedades a moça acaba conhecendo David Bacon, uma pessoa especial, e juntos arriscam muitas coisas e se unem numa aventura perigosa e desconhecida. Logo eles também percebem que tem muitas coisas em comum.

No começo ela se viu um tanto receosa quanto à procurar David já que ele se mostrou tão enigmático, mas inegavelmente sedutor. Por causa de um encontro ocasional, os dois acabam se aproximando e compartilham uma conversa sobre uma pesquisa que fascina à ambos. 

Posteriormente ela acaba descobrindo algumas verdades, as quais sempre estudou e analisou o máximo que pôde. Fala-se muito sobre o Vril, que seria uma energia utilizada nas sociedades secretas. Tal força pode ser atingida através de avaliações, sacrifícios, entre outras ações. Um poder que pode resultar em algo positivo ou negativo.

Como leitora, sempre gostei muito de ler livros que abordam algum ramo da ciência. Essa foi a base de incentivo para que concluísse essa leitura agradável. Como já citei anteriormente, é um tema que requer vigilância e é bom ler em um tempo admissível e de acordo com as nossas emoções. É uma obra completa, ousada e criativa! Só um ponto negativo: acho que a sinopse poderia ser menor.
  


“Minha vida tem um propósito... Sinto que há algo que preciso fazer, mesmo que ainda não saiba o que é. É maravilhoso perceber que, após tantos anos de estudos e dedicação, seja lá a que area me refiro, tudo está se conectando, ficando sincrônico, abrindo novos despertares, o quais importam só para mim, pois foram feitos pelo meu eu interior, superior, seja lá o nome que se deve dar para isso, o qual me projetava em direções que eu nem mesma entendia, ou melhor, não captava na totalidade a mensagem que recebia, entretanto, o que eu sabia era que tinha que estocar estas informações e que elas faziam parte de um contexto mais completo, um quebra-cabeça, formado em si um corpo, o qual finalmente teria uma expressão e comunicação de uma mensagem especial.” Pg.13





Classificação SEL: 4/5 


Um comentário:

  1. Apesar de ser um tema que eu gosto muito, não vou querer lê-lo, por estar procurando livros diferentes, mas no futuro sim, acredito que leria.

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo