10 de janeiro de 2014

Resenha: A Queda de Lúcifer - Wendy Alec, Editora Jangada

Informações do livro:
Título: A Queda de Lúcifer
As Crônicas dos Irmãos Celestiais - Livro 01
Título Original: The Fall of Lucifer 
(Chronicles of Brothers #1)
Autor: Wendy Alec
Editora: Jangada
Páginas: 304




Sinopse: Um épico arrasador, ambientado em palácios celestiais opulentos e mundos infernais aterrorizantes, A Queda de Lúcifer conta uma epopeia mais antiga que o próprio universo, sobre demônios e anjos guerreiros, sobre amor obsessivo, traição e um mal antigo que não conhece limites. O próprio universo será abalado por uma guerra entre três irmãos angelicais – Miguel, Gabriel e Lúcifer. Uma guerra travada pelo maior prêmio do universo: a raça humana.



Resenha:A Queda de Lúcifer” apresenta uma história intrigante em diversos aspectos, relevando o lado pela religião; expõe pontos de vista fundamentados e faz com que o leitor critique/ou não, o mundo ao seu redor da maneira como o vê. A história dos anjos Gabriel, Miguel e Lúcifer sempre foi muito conhecida e possui várias controvérsias. A premissa é muito interessante e leva a crer que o enredo será mesmo emocionante e citará ainda conceitos novos e coerentes.

Mas... Em certo momento, o leitor se prende mais aos detalhes narrativos sobre cada personagem do que com os próprios acontecimentos. Não há uma interação firme e os fatos detalhados se tornam repetitivos e sem graça. O ponto negativo é: precisa ter mais argumentação. E o ponto positivo é: a beleza dos ambientes, que são apresentados com muitas idealizações e uma estrutura digna de preciosidade. Os céus remetem a um lugar bem mais realista – como nunca havia pensado antes – envolvendo cargos poderosos e funcionários. A hierarquia e a nobreza parecem ser bem organizadas e formais.

Tudo leva a crer que Lúcifer fez tudo por que estava protegendo Deus da própria humanidade e de suas atitudes. Como explicar que antes ele era o exemplo da bondade, o portador da luz e outrora se tornara a personificação do mal?! Ele fica com muitos ciúmes, se torna corrosivo e começa a agir com maldade e más intenções. No decorrer das cenas há ainda o acompanhamento da convivência entre os irmãos angelicais, pensamentos e decorrências diversas, além de abranger um período importante de surgimentos. Os conflitos são explorados, mas por ser algo fantasioso deveria conter mais ação e leveza na escrita.

Os sentimentos de Lúcifer merecem destaque pois são o ápice central da trama. As ações redirecionam emoções fortes e perigosas, sendo que o leitor consegue imaginar tais anseios e perspectivas. Dá para notar o quanto ele manteve o remorso e o ódio, e mesmo que em alguns momentos deu a entender que poderia estar se arrependendo, a aversão ganhou poder cada vez mais.

É claro que é possível se envolver nos acontecimentos da história, mesmo porque é notável o quanto Deus se abala pelas escolhas do anjo. Foram concedidas várias chances para que pudesse voltar atrás, mas todas sem sucesso.




“A Guarda de Elite, os dez mil generais angelicais do alto-comando de Lúcifer, envergavam seus trajes mais cerimoniosos. Os diamantes negros das barras de condecorações brilhavam, as cabeças erguiam-se, altivas, e os comandantes encarregados de um terço das hostes angelicais tinham o olhar voltado para as enormes portas de ouro e ônix da Câmara da Assembleia, situadas a distância. Aguardavam o comando supremo” Pg.93




Classificação SEL: 2/5 


Um comentário:

  1. Bem, não é o tipo que livro que procuro no momento, por agora não leria.

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo