15 de março de 2014

Resenha: Brilho - Amy Kathleen Ryan @geracaobooks

Informações do livro:
Título: Brilho
Em Busca de Um Novo Mundo - Livro #1
Título original: Glow (Sky Chasers #1)
Autor: Amy Kathleen Ryan
Editora: Geração Jovem
Páginas: 354


Sinopse: A mais fascinante trilogia desde Jogos Vorazes A Terra não existe mais, e em duas naves que procuram um novo mundo no espaço, uma menina de 15 anos precisa casar e engravidar para garantir a sobrevivência da humanidade. Enquanto isso, uma sucessão de acontecimentos eletrizantes torna a jornada pelo espaço algo absolutamente imprevisto. Temas como religião, a escolha da mulher e a ideia de poder e dominação vão aparecendo muito suavemente articulados ao longo da trama, amarrando o leitor com surpresas e reviravoltas estonteantes. São temas universais, postos num livro por uma escritora surpreendente e que promete arrasar a cena literária a partir desta sua fantástica criação.




Resenha: Brilho” pode ser definido em uma palavra: consistente. Isso é que me vem a cabeça quando penso na atmosfera inovadora criada por Amy Kathleen Ryan, mas claro que existem muitos outros adjetivos para definir a história. É emocionante, pessoal e assustadora nas doses certas, com complexidades e dificuldades inimagináveis. A capa também é simplesmente incrível. Só um detalhe: sem comparações com Jogos Vorazes, já que cada história se diferencia a sua maneira.

Muito tempo se passa e a terra já não é mais um lugar habitável. Por isso há diversos questionamentos e rumores sobre os problemas enfrentados sobre a fertilidade e o local de habitação mais seguro. A Empyrean e a New Horizon são naves espaciais que seguiram caminhos distintos para encontrar a Nova Terra. Porém algo inesperado acontece e um ataque por parte da nave New Horizon é realizado com o objetivo de raptar todas as garotas.

Waverly e Kieran já namoram há um bom tempo e existe aquela pressão sobre o casal para que se casem e logo constituam família. Ele se declara totalmente apaixonado por ela, só que a garota se sente muito dividida, justamente porque se acha nova para tal ação, assim como não tem certeza sobre seus reais sentimentos. Ainda assim o fato de ser necessária a propagação da raça humana pode complicar um pouco as decisões e desejos. As circunstâncias não são as melhores – para ninguém –, mas é compreensível o modo de lutar pela sobrevivência da espécie.

Kieran está próximo de se tornar o novo capitão e se mostra bem determinado nas situações de perigo. Ele se mostra mesmo apaixonado por Waverly, mas em alguns momentos surgiu algumas dúvidas, como por exemplo: as vezes de tanto ser pressionado, o rapaz pode se sentir confuso quanto as suas emoções e óbvio que o caos e o dever refletem no relacionamento. Os outros meninos que aos poucos se revelam no enredo, trazem episódios marcantes e bem surpreendentes sobre suas personalidades e escolhas. Eles também sofreram bastante no decorrer das ações.

Waverly é uma protagonista bem decidida, forte e inteligente. Mede suas ações já pensando no futuro e nas implicações. O mais importante é que ela sabe do que é capaz e deixa claro seus objetivos. Ela é um tanto impulsiva e acredito que esse seja seu ponto negativo.

Muitos assuntos são citados como causas e conseqüências de cada atitude, seja por causa da natureza ou envolvendo a religião, liderança, sacrifícios, controles adicionais e capacidades de cada indivíduo. Sobre esta última parte, uma reflexão se faz presente, por causa de atitudes e influências que cercam certos poderes.

O mais importante é: o que uma pessoa é capaz de fazer para atingir seus objetivos? Pelo visto, não se importar é a base de tudo e a dominação predomina. Muitas mentiras são desvendadas aos poucos, ideias se mantém acumuladas e algumas perguntas pairam no ar, em sinal de ansiedade para os próximos volumes da série, ainda sem publicação no Brasil.



“Kieran não sabia por que ainda se davam ao trabalho de gravar os webcasts... Durante anos, eles não tinham recebido nenhuma comunicação vinda da Terra. A Empyrean estava tão longe de sua terra natal que qualquer sinal de rádio levaria anos para alcançar seu destino. E, no momento em que isso ocorresse, estaria tão distorcido que seria necessária uma boa correção antes que a mensagem pudesse ser compreendida. Kieran talvez nunca viesse a saber se havia alguém lá na Terra ouvindo seus noticiários, o que fazia com que se sentisse um representante de precisamente... nada.” Pg.18



Classificação SEL: 4/5 

Um comentário:

  1. confesso que tenho curiosidade em ler o livro, mas o que me desanima é o fato dele possuir continuação.
    ultimamente, pela falta de tempo, estou fugindo de séries, e estou preferindo bem mais os livros de volume único.
    quem sabe uma hora dessas eu leia ele, porque ele parece ser bom sim, e com uma história bem viciante!
    ah, impulsividade é sempre um ponto negativo né...

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo