18 de março de 2014

Resenha: Quando tudo volta - @corey_whaley @Novo_Conceito

Informações do livro:
Título: Quando tudo volta
Título original: Where things come back
Autor: John Corey Whaley
Editora: Novo Conceito
Páginas: 224



Sinopse: Uma morte por overdose. Um fanático estudioso da Bíblia. Um pássaro lendário. Pesadelos com zumbis. Coisas tão diferentes podem habitar a vida de uma única pessoa? Cullen Witter leva uma vida sem graça. Trabalha em uma lanchonete, tenta compreender as garotas e não é lá muito sociável. Seu irmão, Gabriel, de 15 anos, costuma ser o centro das atenções por onde passa. Mas Cullen não tem ciúmes dele. Na verdade, ele é o seu maior admirador. O desaparecimento (ou fuga?) de Gabriel fica em segundo plano diante da nova mania da cidade: o pica-pau Lázaro, que todos pensavam estar extinto e que resolveu, aparentemente, ressuscitar por aquelas bandas. Em meio a uma cidade eufórica por causa de um pássaro que talvez nem exista de verdade, Cullen sofre com a falta do irmão e deseja, mais que tudo, que os seus sonhos se tornem realidade. E bem rápido.




Resenha: Quando tudo volta” é inovador em diversos aspectos, primeiro por sua maneira consistente de apresentar os fatos e personagens, e principalmente porque há aquela interação essencial com o leitor. A capa deste livro é muito bonita e de acordo com a história.

O protagonista se mostra forte desde o princípio, e fica aquela dúvida se ele tenta ser dessa maneira ou se realmente é o que demonstra. Cullen Witter trabalha alguns dias da semana em uma loja de conveniência, tem uma vida entediada, deslocada e sem grandes novidades ou emoções. É um adolescente bem comum, levando em considerações todos os seus pensamentos sarcásticos e ações peculiares.

Tem um melhor amigo chamado Lucas Cader e se vê apaixonado por uma garota popular – e meio complexa, afinal os namorados de Ada Taylor sempre costumam morrer. No mínimo, é bem estranho. Um fato irreverente sobre ele? Vive criando títulos para possíveis livros que pretende escrever. Sua imaginação é o que o faz ser mais intenso e dinâmico.

Gabriel é o irmão mais novo, tem 15 anos e é muito mais sociável e interessante. O destaque está na convivência dos dois. Cullen vê uma admiração em Gabriel, não sente ciúmes dele, e ainda o acha uma pessoa extrovertida, disposta e carismática.

Seu primo Oslo faleceu de Overdose e depois disso muitos fatos estranhos começaram a acontecer. Há passagens relacionadas com a bíblia e um pássaro conhecido como Pica-Pau Lázaro e que deveria estar extinto. John Barling afirma tê-lo visto e por isso virou notícia instantaneamente. Outro personagem que entra em cena é Benton Sage, um missionário que possui certos contratempos e tenta definir suas missões com afinco e aptidão.

Lily, em Arkansas é uma cidade pequena onde quase todos se conhecem. Cullen acha que esse assunto do pássaro pode não passar de besteira e tenta se distrair com outras amenidades. Até que seu irmão desaparece misteriosamente e sem deixar rastros. O foco – ou pode-se dizer obsessão – da cidade está completamente no pássaro e Cullen não consegue acreditar nas convicções das pessoas e como são interpretadas com facilidade. Seu irmão desapareceu e poucos se preocupam com o episódio.

Existem muitas conexões – que antes não tinham nenhuma ligação – que são reveladas ao longo da narrativa questionadora. Tudo faz sentido quando as partes se encaixam / se colidem. É uma leitura rápida, porém não muito envolvente já que algumas coisas não parecem ter perspectivas e consequentemente há pouca ação e é meio superficial. Entretanto, o desfecho elimina muitas dúvidas e caracteriza boas surpresas para a trama.


“Por ter 17 anos e viver entediado em uma cidade pequena, gosto de fingir, às vezes, que sou pessimista. ‘As coisas são como são e nada pode me tirar disso. A vida é horrível na maior parte do tempo. Tudo é uma droga. A escola é péssima. Você vai para a escola, trabalha por cinquenta anos e, então, morre.’ Mas não consigo manter isso por muito tempo, porque meu desejo natural de idealizar entra em cena.” Pg.13


Classificação SEL: 3/5

4 comentários:

  1. Olá, adorei o seu blog e a sua resenha.
    Ainda não fiz a leitura deste livro, mas talvez ainda o faça.
    Beijos!

    http://palacioliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. AAAH! A novo conceito deixa todo mundo doido com os livros deles DD;
    Estou querendo muito esse livro, parece ser simplesmente incrível e eu como uma amante de capas, estou apaixonada por essa *-*'
    Nem preciso comentar que sua resenha ficou maravilhosa, já deve saber, adoro o seu blog e suas resenhas ooo/

    http://srtabookaholic.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei do livro justamente pela aparente simplicidade - é simples como são as cidades pequenas, desanimador como a adolescência é para quem é questionador - mas achei que o autor soube conduzir muito bem seu texto em um livro que trata de relações humanas. Mas entendo seus pontos.

    Dois abraços.

    ResponderExcluir
  4. Acabei de ler esse livro, e procurando uma resenha encontrei a sua. Maravilhosa por sinal, mas eu sinceramente me envolvi com o livro. Para mim um dos melhor que já li. Com certeza entrará na lista dos melhores de 2015
    Beijos
    Ingrid

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo