11 de março de 2014

Resenha: Verão Cruel - @AlysonNoel @NovoSeculo

Informações do livro:
Título: Verão Cruel
Título original: Cruel Summer
Autor: Alyson Noël
Editora: Novo Século
Páginas: 184



Sinopse: Colby Cavendish, uma ex-nerd, decide mudar radicalmente sua própria imagem. Está ansiosa por participar de festas descoladas com a turma da praia e, se tudo der certo, ficar com o cara mais gostoso da escola, Levi Bonham. Mas seus planos vão por água abaixo quando seus pais a mandam passar férias forçadas na Grécia com sua tia. Presa em uma ilha sem shoppings e sem sinal de celular, ela teme ser rapidamente esquecida por seus amigos. Mas eis que conhece Yanni, um deus grego, e tudo muda. Colby acaba confusa e tudo indica que aquele sentimento será mais que uma simples paixonite de verão..


Resenha: Verão cruel” é um livro que possui uma premissa leve, ao mesmo tempo em que transmite emoções complexas e dinâmicas. A autora Alyson Noël explica as situações com detalhes abrangentes e nem um pouco cansativos, valorizando a ambientação e as emoções vividas.

Colby Catherine Cavendish tem 17 anos, é uma menina alegre e está muito empolgada para sair com seus novos amigos, já que está próxima de Amanda Harmon, uma garota popular e repleta de conhecidos. Parecia que este seria o melhor verão de todos os tempos. Porém, seus pais a fazem viajar e tudo parece desabar de uma hora para outra. Os dramas adolescentes são o forte no início e a menina acha que seu verão está acabado. Será? O fato é que ela é muito intensa e seus pensamentos interagem muito bem com o próprio leitor.

As coisas não estão dando certo entre seus pais, já que estão se separando e vivem discutindo. Por isso essa viagem entra em cena para amenizar os conflitos e Colby não presencie tais problemas. Agora Colby vai passar um período na Grécia – ilha de Tinos – na casa de sua tia Tally. Personagem esta, cheia de peculiaridades e costumes, como viver tranquilamente, meditar, falar com as plantas e não acumular objetos aos quais sabe que não vai mais usar, entre outras atitudes. Ainda assim, sua tia e o namorado Tassos são pessoas bem compreensíveis e sabem dar o espaço necessário a Colby.

Mas o maior temor de Colby é que Amanda a esqueça e principalmente Levi Boham, o garoto desejado por ela há muito tempo e que finalmente haviam ficado juntos. As coisas aconteceram tão rápido que é visível o quando a menina ficou desnorteada e achando estar apaixonada por um cara bonito, mas insignificante por dentro.

Ela já estava perdendo as esperanças para encontrar algum local que pudesse se divertir ou pelo menos que dispusesse de internet. Até que encontra um cybercafé e resolve criar um blog, o “Verão cruel” para compartilhar seus momentos naquele lugar tão isolado e sem graça. O seu diário também é um dos destaques da trama, apresentando ideias irreverentes e sentimentos nostálgicos. O anônimo misterioso que comenta no blog também é um fator bem relevante nas ações citadas.

Mesmo se sentindo solitária e deprimida, acaba conhecendo alguém muito especial. Yannis e Colby se esbarraram algumas vezes no percorrer dos acontecimentos e logo que finalmente se falam ambos se divertem bem mais do que esperavam.

Mas porque o nome do blog é Verão cruel? Apenas um detalhe que realmente faz toda a diferença, e claro que não vou contar para não estragar a leitura. Só digo que todo o enredo, inclusive o título remete a conhecimentos, amizades, aflições, libertação e muito romance e mudanças positivas. É muito interessante acompanhar essa trajetória e perceber o quanto a personagem se adaptou, amadureceu e captou novas perspectivas por causa da convivência e das descontrações do seu dia-a-dia.




“Só porque meus pais decidiram acabar com a vida deles e se divorciar não quer dizer que eles podem acabar com a minha vida também. Não basta eles me tirarem de uma casa com pai e mãe, além de me afastarem de sua orientação, estabilidade e segurança?” Pg.15



Classificação SEL: 4/5 


5 comentários:

  1. li a resenha toda e fiquei com esta pergunta na cabeça: cade a crueldade do verão? hahaha não achei nada de tãããão cruel assim não kkkkkk
    já li alguns livros da Alyson, e ela é uma das autoras que tenho uma relação de amor e ódio =/
    espero conseguir ler este logo e gostar, é claro! hahaha
    arruma ali que você escreveu: "Mas porque o nome do "blog" é Verão Cruel?" ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rayme, então esse é um livro bem peculiar e você só entende o título quando lê mesmo. E tá certo o que eu escrevi porque a protagonista tem um blog =) Beijos, Fê

      Excluir
  2. AAAAH! Eu amo a Alyson, desde a série Os Imortais, se eu tivesse dinheiro compraria todos os livros dela já publicados aqui no Brasil, mas cadê o money? kkkkkkk'
    Enfim, eu adorei a resenha e agora estou doida para saber o motivo do nome do blog ser Verão Cruel, ficarei me torturando com isso até o dia em que eu conseguir ter esse livro em mãos *-*'

    Bjs :*
    srtabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Adoorei sua resenha e você me deixou louca para ler esse livro! Kkk.. É que eu vejo tantas pessoas falando mal da autora e de seus livros, que desanima às vezes. Eu li Os Imortais, e apesar de não gostar do desfecho da série, não acho ela uma autora ruim.. Enfim, vou dar uma chance a esse e descobrir o que torna esse Verão Cruel..

    ResponderExcluir
  4. Adoorei sua resenha e você me deixou louca para ler esse livro! Kkk.. É que eu vejo tantas pessoas falando mal da autora e de seus livros, que desanima às vezes. Eu li Os Imortais, e apesar de não gostar do desfecho da série, não acho ela uma autora ruim.. Enfim, vou dar uma chance a esse e descobrir o que torna esse Verão Cruel..

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo