5 de abril de 2014

Resenha: Arrabal e a Noiva do Capitão - Marisa Ferrari @Novo_Conceito

Informações do livro:
Título: Arrabal e a Noiva do Capitão
Ficção Brasileira
Autor: Marisa Ferrari
Editora: Novo Conceito
Selo: Novas Páginas
Páginas: 368



Sinopse: Giordano e Giuseppe são idênticos na aparência, mas suas almas não poderiam ser mais diferentes. O bravo Giordano é o capitão-chefe da Guarda Real. Giuseppe é um ator de coração puro e alegria contagiante que viaja com sua trupe para se apresentar nas praças e castelos da região. De caráter inflexível, Giordano tem como sua maior missão proteger o Rei. Por sua vez, o sonhador Giuseppe deseja escrever uma peça de teatro com diálogos, o que seria uma inovação para a época. Embora não sejam propriamente amigos, os dois irmãos vivem uma espécie de acordo de cavalheiros, respeitando o espaço um do outro e lidando com o delicado estado de saúde de sua mãe. Até que a formosa Luigia acaba com a paz da família Romanelli... Arrabal e a Noiva do Capitão nos transporta para a incrível Nápoles do século 18, magistralmente reconstruída por Marisa Ferrari. Uma história que resgata a magia do teatro e nos convida a compreender a beleza que existe nas contradições.




Resenha: Arrabal e a Noiva do Capitão”, de Marisa Ferrari, proporciona aos leitores visões sensatas e objetivas a respeito da história irreverente e dos próprios personagens. A autora expõe pontos de vista interessantes sobre a trama, que é ambientada em Nápoles, século XVIII.

Gioconda deu a luz a gêmeos e Carlo Giacomo Romanelli não pôde ficar mais emocionado. O tempo passou e Giordano e Giuseppe começaram a demonstrar seus momentos de fúria, brigas, contratempos e, as vezes, algumas risadas de descontração. Trinta anos depois a preocupação constante era somente da reaproximação dos irmãos e dos tumultos que poderiam causar. Teresa Mosso trabalhava para a família e entendia de perto toda a angustia e desespero deles.

Giuseppe é também conhecido como Arrabal e se tornara um poeta e ator. Possuía uma imaginação sonhadora e infinita, e gostava de recriar as histórias que ouvia, com sensações livres, ousadas e emocionantes. O teatro é o destaque do enredo, garantindo cenas carismáticas e tocantes.

Giordano parece ser o mais sério, com seu jeito acatado e seguro. Ele é o maior orgulho do pai, já que resolvera seguir os caminhos sonhados pelo pai, ao contrário do irmão. Pai e filho mantêm uma relação reservada, porém repleta de respeito.

Luigia Di Medinacelli, já tivera um casamento fracassado e sofrido, e agora viúva, só espera encontrar o amor verdadeiro e apesar de tudo que já vivenciou tem a esperança de ser feliz. Quando conhece Arrabal a atração dos dois é imediata e forte. O leitor se apaixona junto com eles, a medida que os acontecimentos são citados.

Mas claro que apesar de estarem certos sobre os seus sentimentos, uma decisão é tomada e para a triste surpresa deles – e a nossa – o casamento de Luigia e Giordano é planejado sem que houvesse uma decisão séria a respeito. Os caminhos já estavam sendo traçados e só uma pessoa poderia realmente decidir o destino de todos. O principal seria como finalizar o triângulo amoroso que, inevitavelmente, acabou se formando diante da convivência e das passagens cheias de promessas.

Vários personagens secundários surgem durante a narrativa e garantem episódios breves e descontraídos. A mãe dos gêmeos se mostrou um pouco confusa por causa de suas atitudes e muito dramática, mas a percepção clara é que sofria problemas dos nervos e não conseguia se controlar muito. O pessoal do teatro também foram bem trabalhados e todos possuem personalidades distintas e especiais.

O desfecho é sensacional e os detalhes do romance se concretizam com precisão e eficácia. Cada ação se torna incrível, talvez pela atmosfera minuciosa ou pelos fatos polidos. É um enredo carregado de compreensões, analises, decisões, coragem e muitas emoções conflituosas.


“Desde que ele e Giuseppe eram pequenos, Carlo já tinha todo um destino traçado, sem autorização, para os dois. Giordano seria um general importante, comandaria exércitos, defenderia a pátria; Giuseppe, por ser mais extrovertido e exuberante, seria um diplomático, cuidaria das relações com outros países, apoiando o rei. Giordano acabou aceitando aquilo que o pai lhe predestinara, mas o irmão rompera muito cedo as amarras e escrevera ele mesmo o próprio destino.” Pg.22


Classificação SEL: 4/5

2 comentários:

  1. sinceramente, não gosto muito de livros ambientados em anos (principalmente em séculos) passados. dificilmente eu consigo entrar na história =/
    mas tenho interesse em ler este pelo fato de a autora ser brasileira.
    espero que, quando eu ler, não me decepcioanr com a história e conseguir gostar tanto quanto você! :D

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo