15 de abril de 2014

Resenha: Hyperbole and a Half - @AllieBrosh Editora Planeta

Informações do livro:
Título: Hyperbole and a Half
Situações lamentáveis, caos e outras coisas que me aconteceram
Título original: Hyperbole and a Half: Unfortunate Situations, Flawed Coping Mechanisms, Mayhem, and Other Things That Happened,
Autor: Allie Brosh
Editora: Planeta
Páginas: 224



Sinopse: Em Hyperbole and a Half situações lamentáveis, caos e outras coisas que me aconteceram, a autora apresenta alguns dos textos mais lidos e comentados em seu blog e também muito material novo, inclusive histórias sobre seus cachorros, um deles aparentemente com leves problemas mentais, sua luta para lidar com a depressão e ansiedade que insistem em dominá-la, além de anedotas hilárias sobre sua tumultuada infância. Sim, Allie foi uma criança difícil, Talvez a mais difícil de todas. Por exemplo, uma vez ela comeu um bolo inteiro só de burra porque sua mãe a proibira. E ela também atazanou a vida da família quando ganhou um papagaio de brinquedo que repetia tudo - tudo - que ela queria. Inteligente, irônico e absurdamente engraçada o livro traz o estio inimitável de Allie nos textos e nas ilustrações, além de alguns de suas típicas reflexões que conquistaram o coração de inúmeros leitores.



Resenha: Hyperbole and a Half”, é o nome de um famoso e premiado blog americano. A autora Allie Brosh narra histórias aleatórias, de modo peculiar, simples e engraçado. É um livro que chama a atenção principalmente pela edição repleta de dinamismo, imagens e cores variadas. A primeira coisa que pensei ao segurá-lo foi: tem um cheiro diferente, de... giz de cera.

A escrita é irônica e não tem como não se admirar com a imaginação fértil ao ter vivenciado tantos momentos espontâneos e íntimos. Todos os textos são sensacionais, desenvolvidos com clareza, realismo e envolvimento. São passagens do dia-a-dia que qualquer um já pode ter vivenciado, mas ela soube encontrar expressões habilidosas ao narrar suas aventuras.

O primeiro texto se chama sinais de alerta e conta o momento em que Allie lê uma carta – escrita com giz de cera – que ela mesma escreveu aos dez anos de idade endereçada para si mesma no futuro. A partir disso as descrições se tornam nostálgicas por causa de lembranças da infância, seus pensamentos, escolhas e atitudes. A interação é a base principal desta obra.




Estou apaixonada por sua cachorra que pode ser levemente retardada – aiiii gente – só porque ela não consegue entender bem que a dona está tentando treiná-la. Em outra passagem cita a importância da motivação, assim como quem não quer nada e com exemplos bem bobos e meio incoerentes, aqueles que quando a gente vai perceber são mesmo boas citações e são de fato importantes. Pode ser uma ocasião de achar uma solução, mudar alguma coisa ou apenas e simplesmente procrastinar.

Tem também um bolo citado como fantástico e o leitor se motiva a torcer pelos alcances de Allie e conquistas sobre suas revelações. Quanta determinação e audácia! Um papagaio de brinquedo merece seu devido destaque na história e como já era de se esperar arranca risadas por mostrar tanta irreverência e dedicação.

Todos os textos são divertidos e conseguem entreter o leitor com facilidade. É uma obra direcionada para uma criança, para um adolescente, um adulto e um idoso – o certo é dizer logo que não tem um público alvo especifico, afinal, todos deveriam ler e ponto final.




Sério que as ilustrações são muito boas e espirituosas demais (dá vontade de compartilhar esse livro com todo mundo). Parei em diversas páginas e não conseguia mais parar de rir das situações! É uma leitura leve, deliciosa e carismática. Mesmo com tantas brincadeiras, há muitas mensagens nas entrelinhas, visíveis nos sentimentos verdadeiros e aprendizados anunciados pela autora.

Eu já citei mesmo que Hiberbole and a Half é divertido demais e possui ilustrações maravilhosas? É... acho que já, (fui muito repetitiva? Ok. Não consegui evitar) mas vocês precisam ver por si mesmos. Se divirtam e se encantem assim como eu!! Depois que terminei a leitura, chamei a família inteira para ler comigo novamente.


“Que erro. Treinar um cachorro não só é absolutamente difícil, como também é de partir o coração. Ela fica querendo me agradar. Cada fibra de seu ser treme pelo desejo de fazer um bom trabalho.” Pg.27






Classificação SEL: 5/5


8 comentários:

  1. estou bem curiosa para ler este livro. vi muita gente postando fotos no instagram e parece ser bem divertido mesmo!
    não sabia que este nome era de um blog :O

    ResponderExcluir
  2. O livro parece ser bem divertido e gostoso de se ler. Acho que deu pra dá boas risadas. Sem falar que está lindo a diagramação.
    Gostei, beijos.

    ResponderExcluir
  3. Parece mesmo ser bem divertido. Adorei, bjs

    ResponderExcluir
  4. Nossa esse livro parece ser maravilhoso, estou doida pra ler!

    ResponderExcluir
  5. Dude eu lento essa resenha *--*, esse livro é tão fofissimo, nao vejo a hora de poder lelo!!!

    ResponderExcluir
  6. Fiquei muito curiosa para ler este livro também! É bem diferente de tudo que já li, são tantas ilustrações engraçadas e as histórias contadas parecem ser hilárias também. Não conhecia o blog da autora mas fiquei curiosa para conhecer suas histórias também, é muito bom saber que, mesmo sendo bem simples e engraçadas, passam uma mensagem interessante! :)
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Tenho lido algumas resenhas sobre esse livro, e a maioria são positivas. O trabalho gráfico é mesmo bem legal. Creio que as histórias também devem ser bem divertidas. É bem aquele livro leve e divertido, ideal pra nos botar pra cima. Espero ler em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  8. Achei bem interessante a ideia - mesmo que os desenhos não tenham ficado lá grande coisa kkk - o importante é a criatividade,

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo