10 de maio de 2014

Resenha: Vinte garotos no verão - Sarah Ockler @Novo_Conceito

Informações do livro:
Título: Vinte garotos no verão
Na verdade, as coisas não vão embora. Elas se transformam em algo diferente. Em algo mais bonito
Título original: Twenty Boy Summer
Autor: Sarah Ockler
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288



Sinopse: Quando alguém que você ama morre, as pessoas perguntam como você está, mas não querem saber de verdade. Elas buscam a afirmação de que você está bem, de que você aprecia a preocupação delas, de que a vida continua. Em segredo, elas se perguntam quando a obrigação de perguntar terminará (depois de três meses, por sinal. Escrito ou não escrito, é esse o tempo que as pessoas levam para esquecer algo que você jamais esquecerá). As pessoas não querem saber que você jamais comerá bolo de aniversário de novo porque não quer apagar o sabor mágico de cobertura nos lábios beijados por ele. Que você acorda todos os dias se perguntando por que você está viva e ele não. Que na primeira tarde de suas férias de verdade você se senta diante do mar, o rosto quente sob o sol, desejando que ele lhe dê um sinal de que está tudo bem.



Resenha: Vinte garotos no verão” apresenta uma história complicada, que gira em torno de alguns segredos, sentimentos escondidos, aprendizados e amizade. Os personagens expõem seus lados dramáticos justamente para que o leitor entenda suas atitudes e opiniões. O que mais me surpreendeu foi o enredo surpreendente, já que o título sugere algo mais despretensioso e leve, mas me enganei ao perceber uma trama envolvente, cheia de reflexões e expectativas.

Anna, Frankie e Matt sempre foram bons amigos inseparáveis. Anna nunca contou a Frankie que nutria sentimentos fortes pelo irmão Matt, com medo de acabar com a amizade. Porém algo muda quando Anna e Matt enfim se beijam, e sabem que precisam contar para Frankie. Era o segredo deles e tudo parecia bem, apesar da farsa que precisou ser mantida durante um tempo.

Matt estava planejando contar para a irmã durante uma viagem, porém antes disso acontece um trágico acidente de carro e Matt não resiste. Anna tem a plena consciência de que precisa deixar suas emoções de lado para apoiar totalmente a família de Matt. Não é fácil lidar com a perda de uma pessoa tão próxima e querida, por isso é fato de que a reação seria diferente para cada um.

Todos se encontram devastados, mas Frankie se mostrou a mais distante e diferente, tentando esconder sua dor em meio a idealismos enlouquecidos e sendo alguém mais rebelde em seus atos. Em meio a tudo isso, propõe a amiga que ao viajarem para Califórnia, Anna possa conhecer vinte garotos nesse tempo, para que enfim encontre um amor verdadeiro.

O grande problema é que Anna já encontrou um amor verdadeiro, só que Frankie nem imagina que foi o irmão dela. Claro que a menina aceita o desafio, mesmo com todos os pensamentos voltados para a Matt e com uma imensa dor no coração. Mas ela não poderia decepcionar a amiga e se vê diante de uma situação enrolada, com medo de revelar seus sentimentos.

Anna fica presa ao que sente por Matt. Para ela, só importa saber que ele foi o seu grande amor, e não consegue imaginar se envolver com outra pessoa. A autora conseguiu trabalhar esse seu lado mais fraco com uma desenvoltura impressionante. A personagem amadureceu neste período, entendendo suas próprias razões e anseios mais íntimos. E a mensagem ao qual era precisou focar é que, independente, de seu amor por Matt, ela inevitavelmente encontraria outras pessoas. E isso não significa que o passado não tem sua importância.

Confiança, companheirismo e aprendizados são temas presentes nesta narrativa que exibe tantas passagens emocionantes e compreensíveis. Põe a risco amizades que precisam de mais atenção e muitas conversas, assim como há algumas cenas mais descontraídas e agradáveis.



“Enquanto Frankie enfiava uma colherada de sundae na boca do irmão, rindo sua risada amena, senti uma pontada de culpa no estômago. Até a noite anterior não havia segredos entre nós três, exceto o que eu mantinha para mim mesma – meus sentimentos silenciosos e não correspondidos por Matt. Eu mal podia olhar para ele sem sentir algo revirar por dentro. Por favor, por favor, conte para ela.” Pg.17


Classificação SEL: 4/5


3 comentários:

  1. Li esse livro ha um tempinho e gostei bastante dele... Nao e nada extraordinario mas e um assunto interessante...
    http://foreverabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Adorei sua resenha, ficou ótima.
    Comprei o livro e estou louca para ler haha amo essa capa e a sinopse me atrai muuuito.

    Beijinhos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/05/tag-marcadores-de-livros.html
    Comenteee ;))))

    ResponderExcluir
  3. estou muito curiosa para ler o livro, ainda mais vendo resenhas ótimas dele assim...
    a história parece ser muito boa, e sinto que vou me emocionar ;~~

    gostaria de te convidar a participar do sorteio que está rolando no blog onde eu escrevo. estamos sorteando ingressos para assistir divergente no cinema :D
    www.futilmasinteligente.com/2014/05/10-pares-de-ingressos-para-divergente.html

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo