12 de junho de 2014

Resenha: Belle Époque - Elizabeth Ross @veruseditora

Informações do livro:
Título: Belle Époque
Título original: Belle Epoque
Autor: Elizabeth Ross
Editora: Verus
Páginas: 294



Sinopse: Na Paris da Belle Époque, tudo está à venda — inclusive a beleza. Quando Maude Pichon foge de casa, na provinciana Bretanha, e vai para Paris, seus sonhos românticos evaporam tão rápido quanto suas economias. Desesperada para arrumar um emprego, ela responde a um estranho anúncio de jornal — a Agência Durandeau está em busca de jovens pouco atraentes a fim de fornecer a suas clientes um serviço singular: uma moça sem graça contratada para acompanhar as damas da sociedade e fazê-las parecer mais belas. A condessa Dubern precisa de uma acompanhante para Isabelle, sua voluntariosa filha, e Maude é considerada o adorno perfeito para tornar a moça mais bonita. Isabelle nem desconfia de que sua nova “amiga” foi contratada pela mãe, e a mera presença de Maude entre a aristocracia depende de que consiga guardar esse segredo. No entanto, quanto mais ela conhece e se afeiçoa a Isabelle — uma jovem determinada a desafiar as expectativas da sociedade e a estudar ciências na universidade —, mais sua lealdade é posta à prova. E, enquanto a farsa persistir, Maude terá muito a perder. Belle Époque se passa no auge da boemia parisiense, quando a cidade efervescia, homens e mulheres estavam no ápice da elegância e a moral estava em franca decadência. Esta é uma história de coragem, paixão e desafio que se desenrola sobre o pano de fundo de um dos períodos mais importantes da história da Europa.



Resenha: Ouso dizer que, dentre os tantos livros da minha estante, “Belle Époque” tem uma das capas mais bonitas e com detalhes visivelmente atraentes. É uma das características mais marcantes, sendo que posteriormente o destaque está no enredo histórico e suas discrições sutis e significativas. De qualquer modo, há uma concentração enorme a respeito de mudanças que remeTEm a várias consequências, o que torna a trama um pouco carregada e ainda mais intrigante e respeitável.

A protagonista Maude Pichon é uma jovem que apresenta ser bem corajosa e espontânea. É uma pessoa fácil de se identificar, não tanto por suas escolhas, mas pelo modo de ver a vida e de tentar seguir seus sonhos. Após fugir de casa por não aceitar um acordo de casamento que seu pai havia lhe arranjado, ela vai para Paris e lá começa uma trajetória complicada e com algumas dificuldades.




A moça vai a procura de um anúncio de emprego – que parece ser uma oportunidade promissora inicial, mas claro que nem imagina do que se trata. É algo tão peculiar e que se move primeiramente por interesse calculista de ambas as partes. A agência gostaria de contratá-la como Repoussoir, para que ela faça companhia às madames da alta sociedade e as evidencie perante os outros.

É um conceito bem simples: mulheres feias devem estar ao lado de madames bonitas, e é óbvio que esta teria maior destaque. Por isso a autora Elizabeth Ross apresenta uma narrativa sensível para mostrar como uma repoussoir se sente. Parece um termo tão repugnante e irreconhecível. Infelizmente, depois de algum tempo, Maude percebe que não tem opções e precisa mesmo aceitar o serviço, que em sua concepção é humilhante, terrível e imperceptível demais.

As moças acabam passando por treinamentos para aprenderem a se portar direito, tem aulas de boas maneiras e principalmente para saber quais são as suas reais obrigações. O problema é que as falhas e seus defeitos são apontados a todo o momento, dificultando qualquer sinal de afeição ou benefícios pelas tarefas que serão oferecidas. A autoestima dessas mulheres se torna questionável, assim como qualquer tipo de confiança e precauções.

A Condessa Dubern acha Maude ideal para fazer companhia a sua filha Isabelle Dubern e a auxiliar nas apresentações nos próximos eventos em Paris. Só que há muitas implicações e segredos nessa ocupação. É visível o quanto a condessa é fria, ambiciosa e não mede esforços para atingir os objetivos de casar a filha, e ela se torna mais abusada a cada situação constrangedora. 

Já Maude e Isabelle iniciam uma bela amizade, que com o decorrer do tempo e da convivência, requer novas percepções de veracidade. Muitas coisas mudam, ainda mais quando Maude conhece Paul, fazendo com que ela se torne cada vez mais questionadora sobre seus projetos.

O que torna a trama mais empolgante é que Maude, mesmo com suas inúmeras dúvidas, percebe que o caminho que segue não é o mesmo que ela gostaria. Por ser tão sonhadora, acaba tendo pensamentos conflituosos sobre o rumo de sua vida, ainda mais depois de perceber que é uma pessoa forte e espirituosa. Pelo menos suas intenções não se tornaram obscuras e ela se tornou motivada a cada dia que passava.

A ambientação da história faz com que os episódios se complementem, ainda mais considerando o fato de haver tantas determinações, novidades e progressos. Gostei bastante das citações sobre a época, principalmente sobre as estimações da arte na sociedade em questão. É uma ótima leitura, que nos remete a ter reflexões sobre nossos próprios devaneios e a luta por realizações.



“Não é de se espantar que eu esteja confusa, pois comecei a economizar demais na comida nos últimos dias. Faz poucas semana que cheguei a Paris e já gastei a maioria dos meus francos com o aluguel de um quarto lúgubre em um sótão. No fim das contas, fugir foi a parte mais fácil; lutar para sobreviver um dia depois do outro é que é difícil. Talvez eu devesse ter ficado no vilarejo e aceitado o destino que papai havia arranjado para mim. Eu não estaria com fome, com certeza, não como esposa de um açougueiro.” Pg.10.




Classificação SEL: 5/5 


5 comentários:

  1. Que capa incrível! Fiquei muito interessada pela história. Não conhecia esse livro, mas já quero muito. Ótima resenha. Beijos, Nati

    ResponderExcluir
  2. não gosto muito desses livros ambientado em outras épocas, mas achei esta capa linda mesmo!
    a trama parece ser boa, e eu ainda não conhecia o livro... não tinha lido nada sobre ele...
    parece ser ótimo, mas não sei se me agradará tanto =/

    ResponderExcluir
  3. Olha o livro de começo não tinha chamado muita minha atenção, mas depois que li sua resenha eu gostei bastante, principalmente pela história...achei interessante isso da menina ser acompanhante e ainda ter que passar dificuldades. Achei que deve ser uma história linda. E é verdade o que você disse...A CAPA É LINDA. Eu simplesmente amei. Espero tê-lo em minha estante logo para poder aproveitar também a leitura =] Se cuida linda e parabens pela sua resenha. LINDA!!!

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Fê realmente essa capa ficou um capricho só. Confesso que fiquei curiosa mas pela sua resenha achei o enredo um pouco confuso mas mesmo assim interessante. Enfim valeu pela dica. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  5. Acho esse livro tão impressionante, é tão forra do que estamos acostumados no undo YA! Adora as percepções e sentimentos da Maude, ela não quer seguir sendo só por consequências de outras pessoas e mostra que não precisa ser estonteante pra perseguir seus sonhos. Amey esse livro!

    Beijos

    www.desigusson.wordpresss.com

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo