27 de julho de 2014

Resenha: A máquina de contar histórias - @mauriciogomyde @Novo_Conceito

Informações do livro:
Título: A máquina de contar histórias
Ficção Brasileira
Autor: Maurício Gomyde
Editora: Novo Conceito
Selo: Novas Páginas
Páginas: 192



Sinopse: Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das fi lhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar. Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V. Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.




Leia também:
O Rosto que Precede O Sonho - Mauricio Gomyde (Editora Porto 71)
Dias melhores pra sempre Mauricio Gomyde (Editora Porto 71)




Resenha: Quem já conhece a escrita do autor nacional Maurício Gomyde sabe que qualquer livro seu envolve muita emoção e descrições marcantes. Não seria diferente em “A máquina de contar histórias”, publicado recentemente pela Editora Novo Conceito. A trama é muito envolvente e se mostra ainda mais intensa, na medida em que os personagens e acontecimentos são revelados.

O escritor best-seller Vinícius Becker é conhecido por seus livros envoltos em muitos sentimentos e histórias inspiradoras. O próprio texto já se caracteriza com tantas mensagens acerca de credibilidades fortes e experiências emocionantes. As coisas parecem estar bem diante de sua vida corrida por causa de seu mais novo lançamento, até o período em que ocorre uma tragédia familiar.

Viviana Coltelli era sua esposa e após seu falecimento, Vinicius se encontra perdido e totalmente desesperado com o rumo dos acontecimentos. Ele tem duas filhas, sendo que a mais velha, Valentina, o despreza e o culpa pela morte de sua mãe, além de demonstrar não gostar nenhum pouco de seu estilo de vida. Vida é a filha mais nova e não consegue distinguir muito bem os problemas ao seu redor, apesar de que a menina ameniza um pouco a situação com suas maneiras infantis e sonhadoras.

A afinidade se mostra cada vez mais conturbada diante dos dramas e ainda reflete nos dias amargurados do protagonista. Ele esta impotente e fica num estado de choque compreensível, afinal ele não tinha entendimentos plausíveis sobre sua própria vida. Por isso surgem os questionamentos sobre a estrutura dos relacionamentos na família. E é nesse caminho que surgem novas respostas com o auxilio da escrita e dos métodos mais improváveis de reconciliação.

As características sobre os personagens são reveladas em cada capítulo, como se fossem recados nas entrelinhas. É muito fácil perceber as indecisões, anseios e medos de cada personagem, e o autor usa desse artifício para oferecer cenas cheias de tensão e tumultos. Me enganei ao pensar que a trama seria apenas sobre o desenvolvimento familiar, e o que mais surpreende são os fatos que conectam as novidades com o desejo de recomeçar.

A leitura é bem ágil e dinâmica, e é por meio da essência do enredo que o leitor consegue adentrar num ambiente tão sutil e ao mesmo tempo intricado demais. É impossível não se emocionar com esta história tão realista e significante. Mesmo porque o realismo é uma das principais características do autor, através da captação de sentimentos e palavras vigorosas.




“A primeira letra... o ponto final... No meio, os caracteres e espaços em branco que, por mágica, amarraram as duas pontas. A escolha das palavras, a pontuação e a sequência das ideias em cada página. Decisões. Amor recontado entre as aberturas e fechamentos de capítulos, por quem cedeu à tentação de se entregar. Infinitas possibilidades de entendimento, inúmeras histórias em uma só. Aquele foi o caminho trilhado, mas o que viria a seguir? Pouco importava, estradas sempre mudam.” Pg.09




Classificação SEL: 5/5 


Um comentário:

  1. ainda não li nenhum dos livros do autor, mas confesso que tenho curiosidade em ler todos!
    esse ai está recebendo tantos comentários positivos que preciso ler ele logo, e sinto que será ótimo! igual à todos os outros livros do autor né...
    parece ser uma trama linda! *-*

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo