22 de setembro de 2014

Resenha: Centelha - Amy Kathleen Ryan @geracaobooks

Informações do livro:
Título: Centelha
Em busca de um novo mundo - Livro 02
Título original: Spark (Sky Chasers #2)
Autor: Amy Kathleen Ryan
Geração Editorial
Páginas: 376




Sinopse: Depois de Brilho, a saga nas estrelas continua… Após uma fuga desesperada da nave inimiga, Waverly e as outras meninas sequestradas conseguiram voltar para a Empyrean. Mas o clima por ali não poderia estar pior. Kieran, o menino gentil e sonhador que Waverly amava, assumiu o posto de capitão e passou a agir como um tirano de sangue-frio, deixando a Empyrean sob uma tensão sinistra. Seth Ardvale, líder brilhante e arqui-inimigo de Kieran, foi trancafiado na prisão, sem julgamento. As crianças prodígios que mantêm a nave funcionando estão revoltadas com o autoritarismo do líder. Para completar, uma explosão faz soar o alarme de mais uma ameaça. Eles não estão sozinhos. A tripulação aterrorizada terá que lidar com um inimigo pior do que a New Horizon, ou o delírio de Kieran. Seth descobre um passageiro clandestino na nave, que se move silenciosamente, deixando rastros de sangue por onde passa. O criminoso quer vingança. E só Waverly é a chave para entender seu ódio e impedir que ele detone sua bomba-relógio.




Leia também:
Sky Chasers #1 - Brilho - Amy Kathleen Ryan (Geração Jovem)



Resenha:Centelha” inicia do mesmo ponto onde Brilho terminou e claro que surgem muitas expectativas e questionamentos sobre o rumo dos acontecimentos. Segredos são revelados e parece que os personagens estão cada vez mais fragilizados e inquietantes diante das dificuldades. Mais interessante ainda é poder acompanhar o amadurecimento dos personagens, sendo que depois de tantas aflições conseguiram encontrar algo para ter esperança.

Waverly e Kieran acabam se reencontrando, só que a garota percebe que ele está muito diferente. Ele está muito convicto de suas atitudes e é muito difícil fazê-lo mudar de ideia. É tão difícil reconhecer esse personagem, já que enfrenta uma mudança drástica, principalmente porque antes Kieran era tão carismático e atencioso.

Nesse cenário Waverly se aproxima de Seth, só que mesmo assim o que está realmente em jogo é saber em quem é possível confiar. Seth é um personagem que se destaca bastante e dá para notar isso através de suas demonstrações. Assim, pode-se mesmo afirmar que o que mais acontece nesse título são mudanças, extremamente visíveis e imprevistas.

A ambientação apresenta muitos riscos, tornando qualquer ação ainda mais perigosa, mesmo porque não dá para prever o que acontecerá na sequencia. As informações que estavam faltando no primeiro livro aparecem aqui e é ótimo perceber essas adições, já que é tudo que os leitores realmente esperam. O que mais tem é pressão psicológica, sugerindo que se houve tantas alterações foi exatamente por causa disso.

Todo mundo é suspeito nessa trama, o que deixa tudo ainda mais enigmático, intrigante e perturbador. Afinal de contas, a pergunta que fica é: quem são os verdadeiros inimigos? Waverly sabe que precisa manter a calma porque as garotas confiam nela e precisam de apoio incondicional nessa hora sombria, e é isso que ela está tentando fazer.

Com certeza há mais dilemas nesse volume, fazendo com que Waverly tenha que fazer muitas escolhas difíceis. Parece mesmo que tudo se resume em descobrir quem está escondendo algo ou quem está os enganando, mas a narrativa se encarrega de mostrar que ainda há muitas batalhas para enfrentar. Em paralelo ainda há as questões religiosas e políticas que envolvem muito mais a história do que se imagina. A partir desse ponto é possível expor várias mensagens reflexivas que servem tanto para o enredo quanto para a realidade em si.

É um livro repleto de ação e sentimentos intensos, e o que mais impera é a busca incessante por controle e poder. É ainda mais devastador por causa de algumas reviravoltas e o desfecho é ainda mais audacioso. Com certeza há mais dilemas nesse volume, fazendo com que Waverly tenha que fazer muitas escolhas difíceis. Parece mesmo que tudo se resume em descobrir quem está escondendo algo ou quem está os enganando, mas a narrativa se encarrega de mostrar que ainda há muitas batalhas para enfrentar.




“Seth Ardvale não sabia o que o havia acordado, apenas se lembrava vagamente de um som estrondoso que lhe estremeceu os ossos. Sentou-se e seu solitário catre na cela, nas entranhas de Empyrean, e esfregou os olhos. Procurava ouvir vozes. Às vezes, captava indícios do que estava acontecendo pela conversa dos guardas, mas não havia som nenhum.” Pg.11



Classificação SEL: 4/5 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo