27 de outubro de 2014

Resenha: Deslembrança - Cat Patrick, Editora Intrínseca

Informações do livro:
Título: Deslembrança
Título original: Forgotten
Autor: Cat Patrick
Editora: Intrínseca
Páginas: 384




Sinopse: Toda noite, quando London Lane recosta a cabeça no travesseiro e dorme, cada mínimo detalhe do dia que viveu desaparece de sua memória. Pela manhã, restam-lhe apenas lembranças do futuro: pessoas e acontecimentos que ainda estão por vir. Para conseguir manter uma rotina minimamente normal, London escreve bilhetes para si própria e recorre à sempre fiel melhor amiga. Já acostumada a tudo isso, ela tenta encarar a perda de memória mais como uma fatalidade que como uma limitação. Mas, quando imagens perturbadoras começam a surgir em suas lembranças e London precisa, de algum modo, escapar delas, fica claro que para entender o presente e o futuro ela terá que decifrar o que ficou esquecido no passado.




Resenha: Levei um tempo para entender a premissa real de “Deslembrança”. Não que o texto seja complicado ou algo do gênero, é que eu queria encontrar uma explicação lógica para o problema da protagonista. E mesmo que a história deixe em aberto algumas questões, ainda assim é muito fácil se apegar a trama repleta de dramas, emoções e enigmas.

London Lane sempre deixa bilhetes para si mesma. Isso porque ela perde a memória em determinado horário da noite e precisa se atualizar sobre os detalhes de sua vida no dia seguinte. Não é que ela não se lembre de sua mãe ou quem é, a complicação é que a garota não recorda dos acontecimentos de cada dia. Seria um caso comum, mas no lugar das memórias passadas ela se lembra do que ainda vai acontecer. Que loucura né?! É como se ela tivesse algum poder de clarividência, o que de fato é como se fosse.

Ela parece uma garota complicada, mas nem de longe consegue apresentar aos outros o seu verdadeiro jeito de ser. London passa a impressão de ser solitária e temerosa, mas com as pessoas ao seu redor é extremamente afetuosa, alegre e sutil. Sua melhor amiga se chama Jamie Connor e no decorrer dos acontecimentos são apresentados várias fases dessa amizade conturbada. É notável o quanto as duas se gostam e confiam uma na outra, mas Jamie é muito, muito teimosa e rigorosa.

A rotina de London seguia tranquila, até que conhece Luke Henry e é como se nesse momento tivesse nascido um tipo de desafio para mudanças radicais. Mas é claro que ao longo da narrativa, é possível perceber que a história dos dois é bem maior e ainda mais complexa do que se imagina. Eles começam a se envolver e sentimentos intensos são expostos a medida em que a relação do casal cresce.

É como se ele precisasse conquistá-la todos os dias, como se ela o beijasse sempre a primeira vez e tivesse aquela sensação de frio na barriga, êxtase e comoção. As partes em que os dois ficam juntos são as melhores, mas é muito importante poder conhecer mais sobre a família de London, seu passado e o que ocasionou essa sua dificuldade.

É um livro bastante reflexivo, pelo menos foi no meu caso. Tentei me colocar no lugar da personagem e pensei que não é nenhum pouco legal perder aqueles momentos e detalhes mais alegres, entretanto por outro lado seria interessante poder esquecer os episódios ruins ou tristes de nossa vida. Apesar desses pontos positivos e negativos, há sempre implicações e é melhor enfrentar os problemas do que esquecer e não ter experiências. Afinal de contas, é justamente isso que move o conhecimento.

É muito fácil falar sobre um livro que a gente sabe que é bom. Deslembrança é muito mais que isso: é surpreendente, inovador, instigante, entre tantas outras peculiaridades. Eu adorei a história, só não se tornou um favorito por causa do desfecho. Senti que poderia ter mais páginas com os ocorridos. Houve imprecisão com esse final – como se estivesse faltando um elemento.


“Quando finalmente aceito o fato, a verdade dói. Mas não há tempo para me demorar no assunto, e existem apenas duas possibilidades: posso lembrar a mim mesma de alguém que não faz parte da minha vida ou posso deixá-lo fora dos meus bilhetes e me poupar de passar por tudo isso amanhã, de novo.” Pg.22

Classificação SEL: 5/5


4 comentários:

  1. Oi Fernanda,
    A premissa deste livro lembra o filme "Como se fosse a primeira vez", você conhece?
    Já tem um bom tempo que desejo lê-lo e sua resenha só despertou ainda mais meu interesse! Não consigo imaginar qual seria a sensação de acordar sem as lembranças do dia anterior...
    Adorei sua resenha :)
    Beijos,

    versosenotas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. li este livro já faz um tempo, mas na época ele também me fez refletir bastante.
    fiquei com vontade de ler ele de novo depois dessa sua resenha ;~~
    tenho que concordar com você que queria mais páginas nele também :P

    ResponderExcluir
  3. Eu comecei a ler esse livro, porém não consegui continuar (talvez porque eu estivesse lendo em PDF rs) , mas de começo achei a história meia boba, não me apeguei à personagem e acho que isso é o principal a se fazer, mas gostei de sua resenha, provavelmente voltarei à lê-lo, fiquei com um pouco de curiosidade agora para saber o resto da história. Adorei a resenha , obrigada! ^^

    http://conectbook.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Esse livro foi tãaaao mais ou menos pra mim! Faz muito tempo que eu li, mas achei corrido e não curti muito.

    Clara - Blog Incantevole
    clarabeatrizsantos.blogspot.com
    @clarabsantos

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo