10 de outubro de 2014

Resenha: A Viajante do Tempo - Diana Gabaldon @SdE_Brasil

Informações do livro:
Título: A viajante do tempo
Outlander #1
Título original: Outlander (Outlander #1)
Autor: Diana Gabaldon
Editora: Arqueiro
Saída de Emergência Brasil
Páginas: 800




Sinopse: Claire, a protagonista de A viajante do tempo é uma mulher de personalidade forte, lutando para se manter num mundo de homens violentos, que busca seu verdadeiro amor enquanto participa de importantes acontecimentos da história. Claire Beauchamp Randall foi separada de seu marido Frank pouco depois da lua-de-mel, quando ele foi convocado para lutar na Segunda Guerra Mundial. Ao final do conflito, Claire e Frank se reencontram e retomam a vida que tinham em comum numa viagem a Escócia. Mas o reencontro não ocorre da forma esperada. Parece haver entre a esposa e o marido um distanciamento muito maior do que aquele causado pelos anos de guerra. Ao visitar uma antiga e mística formação de rochas, Claire finalmente vai conhecer seu destino.





Resenha: Confesso que fiquei muito empolgada ao assistir a série de televisão Outlander e por isso resolvi ler o livro “A viajante do tempo”. Claro que a obra é muito mais extensiva e detalhada – e muito mais fascinante e também divertida –, mesmo porque muita coisa pode acontecer em 800 páginas. 

Assim, a sinopse já revela o principio de uma aventura complexa, inesperada e repleta de reviravoltas, e também apresenta alguns traços da ambientação que será trabalhada. Esses detalhes reúnem elementos instigantes, únicos e intensos, e é muito fácil se envolver na trama.

Claire Randall nunca poderia imaginar que sua vida poderia mudar tanto de uma hora para outra. Como enfermeira do exército britânico, deixa claro que já vivenciou experiências bem marcantes e no momento tudo que espera é um pouco de quietude com seu marido, o professor universitário Frank Randall. Os dois estão passando por uma fase conflituosa e por isso decidem fazer uma viagem para a Escócia. É como se fosse um recomeço para os dois e agora ambos se sentem mais livres e confortáveis.

A protagonista reside no ano de 1945, então imagine a surpresa ao ser transportada até o ano 1743. Esse é o grande desafio da autora: fazer com que o leitor interaja com esse período histórico exposto e se empolgue com as mudanças de comportamentos e afins. Os detalhes foram muito bem explorados e cada parte desse tempo se faz necessário para o entendimento de alguns questionamentos e problemas.

Um dos tantos pontos positivos é a personagem central e isso valoriza ainda mais as cenas e suas consequências. Claire é uma mulher extremamente forte, corajosa, dedicada, e audaciosa, e ainda pode servir como exemplo para várias iniciativas de transformações ousadas. 

Tentei me colocar no seu lugar, mas infelizmente nem sei afirmar o que faria numa situação semelhante. Sua independência se destaca bastante, afinal não é uma atitude ideal para a época e claro que assusta as pessoas ao seu redor. Poderia ficar escrevendo muito mais sobre sua personalidade, já que a história nem seria a mesma se não fosse por seus atos.

Claro que Claire causa muito tumulto quando é vista nesse período. Após passar por um tipo de portal, a moça ainda continua com as mesmas roupas e estilo, o que ocasiona vários momentos complicados e outras adversidades. Ninguém sabe o que ela é ou de onde surgiu, e por isso há tantos problemas e posteriores intrigas. Ela está cada vez mais abalada, porém não deixa de lutar por sua sobrevivência em nenhum momento, e é justamente isso que impressiona.

Tantos outros personagens surgem nesse caminho tortuoso, mas não poderia deixar de citar Jamie Fraser e todo seu carisma, gentileza e naturalidade. Assim pode-se afirmar que o romance é extremamente marcante, principalmente por causa das diferenças do casal. No final de contas o que importa mesmo são as pequenas coisas que os unem com um sentimento sincero e muito especial.

É muito interessante acompanhar a cultura desse tempo e a narrativa é impecável quanto a isso, sendo que expõe várias características da cultura, ocasiões diversas, tradições e afins. Infelizmente também há várias citações que fazem referencias aos conflitos e formas de tratamentos revoltantes. Algumas passagens são realmente tristes e ainda mais difíceis de aceitar, mesmo que seja um fato habitual.


“Não era um lugar muito provável para desaparecimentos, ao menos à primeira vista.” Pg.11


Classificação SEL: 4/5 


2 comentários:

  1. estou bem curiosa para ler este livro. tramas assim normalmente me interessam bastante, e é dificil vermos um autor escrever bem assim...
    não sabia que o livro tinha adaptação para série! :O
    pretendo ler este livro, e pretendo ler logo!!! parece ser tão fofo! *-*

    ResponderExcluir
  2. Assisti a série de TV e me apaixonei, desde então estou morrendo de vontade de começar a ler a saga. Mas, os livros são tão grandes, e o meu tempo é tão apertado!
    Adorei a resenha, ela só me confirmou o que eu já esperava. A Claire, de fato, é uma personagem incrível e marcante, ela é uma inspiração para qualquer mulher. E o Jamie é um amor, não tem como não se apaixonar kkk

    2surrealistas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo