7 de janeiro de 2015

Resenha: O lago místico - Kristin Hannah @Novo_Conceito

Informações do livro:
Título: O lago místico
Título original: On mystic lake
Autor: Kristin Hannah
Editora: Novo Conceito
Páginas: 368




Sinopse: Esposa e mãe perfeita, Annie vê o seu mundo desabar de uma hora para outra quando é abandonada pelo marido. A fuga momentânea é para Mystic, a pequena comunidade onde ela cresceu e onde o seu pai ainda vive. Lá, Annie começa a se reerguer novamente, descobrindo o amor por si mesma, por um velho amigo solitário e por uma garotinha que acaba de perder a mãe. Tudo está se encaixando na vida de Annie. Nick e Izzy se tornaram uma parte importante de seu processo de cura, e ela também se tornou essencial para a sobrevivência da relação entre pai e filha. Até que o seu ex-marido reaparece... e a tranquilidade rapidamente dá lugar ao desespero. Kristin Hannah encanta mais uma vez com uma história comovente, sensível e verdadeira sobre perda, paixão e os fios frágeis que unem as famílias.




Resenha:O lago místico” apresenta uma trama delicada, tocante e repleta de dramas a respeito de relações humanas. É um livro que consegue capturar a essência dos personagens diante da realidade e proporciona momentos surpreendentes e marcantes. Já li outros livros de Kristin Hannah (Amigas para sempre - Editora Arqueiro, e Por toda a eternidade – Editora Novo Conceito) e confesso que curti mais a leitura dos outros dois, mas é claro que este não deixa de demonstrar toda a sutileza e entendimento na narrativa da autora.

Annie Colwater é uma personagem acomodada e não esperava que sua vida pudesse mudar tão repentinamente. Ela prefere se sentir segura diante da rotina em que está acomodada como mãe e esposa modelo, e não gosta nem um pouco de mudanças. Por isso que começa a ficar tão desestruturada a partir do momento em que seu marido afirma estar apaixonado por outra pessoa mais jovem.

É realmente triste perceber como Annie se sente e o leitor consegue até se identificar com alguns de seus temores. Afinal de contas, quem não tem medo de perdas e transformações bruscas?! Ela sempre zelou muito por sua família e se dedicava ao máximo, sendo que, na maior parte das vezes, não recebia a atenção que merecia.

Nessa nova fase, a protagonista faz uma visita ao seu pai e retorna para o lugar onde cresceu. Lá tem a oportunidade de encontrar pessoas especiais e que podem dar novas motivações para ela. Dentre essas pessoas Nick Delacroix se destaca como uma bela recordação de um tempo passado. Os dois começam a se relacionar e é muito bom notar o quanto as coisas estão dando certo entre os dois.

Além disso, Annie se aproxima bastante da filha de Nick, Izzy, e isso é mais um detalhe que a faz pensar bastante sobre como deve agir para alcançar sua própria felicidade. Todos passam por momentos difíceis e essa é a grande lição a se aproveitar deste livro: saber aproveitar as oportunidades e como lidar com os problemas que ocasionalmente surgem no dia-a-dia.

O enredo trabalha bastante com segundas chances e escolhas difíceis ao longo do caminho. É uma história bem emocional e por ser tão centrada, se torna uma leitura rápida. Há algumas reviravoltas que, na minha opinião pareceram um tanto arrastadas, mas se for analisar bem, são situações que tornam as cenas mais envolventes e realistas. Tudo pode acontecer quando os sentimentos entram em cena e é impossível jugar esses atos, que de qualquer forma, sempre têm significados importantes.




“Mas, agora, tudo o que sentia era temor e uma vaga sensação de pânico sem forma. Depois de hoje, nada na bem-ordenada vida dela permaneceria igual, e ela não era uma mulher que gostasse das arestas afiadas e serrilhadas da mudança. Preferia as coisas correndo suaves, bem no meio da estrada. Era onde se sentia mais segura, no centro do comum, com sua família reunida ao seu redor.” Pg.09-10



Classificação SEL: 4/5


2 comentários:

  1. nunca me interessei muito pelas tramas desta autora, e essa, em particular, me desagrada mais ainda...
    apesar de gostar quando a história trata de recomeço e tudo o mais, mas quando trata de traíção não me agrada. tá que você não falo expecificamente em traição, mas esse negócio de abandonar a esposa para ficar com outra.... sei lá ;x
    acho que se fosse para conhecer a autora ia preferir começar por alguns dos outros livros dela hehe

    ResponderExcluir
  2. O livro já chamou a atenção pela capa e o título, me lembrou algo meio Neil Gaiman, mas agora que li a resenha é bem um drama familiar né? Vou procurar ler, me interessou pra caramba!!

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo