4 de janeiro de 2015

Resenha: A última carta de amor - @jojomoyes @intrinseca

Informações do livro:
Título: A última carta de amor
Título original: The Last Letter from Your Lover
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 384



Sinopse: Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. Novamente em casa, com o marido, ela tenta sem sucesso recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante. Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido — em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado —, Ellie começa a procurar por “B”, e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas de seu próprio relacionamento. Com personagens realísticos complexos e uma trama bem-elaborada, A última carta de amor entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer. Um livro comovente e irremediavelmente romântico.





Da mesma autora:
Como eu era antes de você - Jojo Moyes (Editora Intrínseca)



Resenha:A última carta de amor” é um livro emocionante e sutil, levando em consideração todas as cenas marcantes e arrebatadoras. Jojo Moyes consegue entrelaçar histórias completamente diferentes e faz com que o leitor reflita sobre a história intrigante e sensível. E é num ambiente debilitado que a autora apresenta esperança e cenas inspiradoras.

No passado (1960) conhecemos uma moça chamada Jennifer Stirling, que logo demonstrará toda sua insegurança e problemas em sua vida. Ela é uma personagem muito bem caracterizada e é fácil perceber o quanto se esforça para que as coisas dêem certo. O problema é que Jennifer sofreu um acidente de carro e ao acordar se encontra perdida sem se lembrar de nada.

A partir disso acompanhamos seu desespero e constrangimento em poder se familiarizar com as pessoas e coisas ao seu redor. Jennifer não sentia nada ao observar o homem que dizia ser seu marido e muitas coisas não parecem fazer sentido. Mais triste ainda é seguir seus passos na escuridão, e pela maneira como ela desempenha um papel forçado e dependente.


“E, se sentir que foi a decisão acertada, saiba ao menos isso: em algum lugar deste mundo há um homem que a ama, que entende o quão preciosa, inteligente e boa você é. Um homem que sempre a amou e que, por mais que tente evitar, desconfia que sempre a amará.” Pg. 226


Quando Jennifer encontra uma carta de amor, sabe que precisa investigar para descobrir mais informações e pistas diversas. Afinal, muitos questionamentos surgem em sua mente. Aos poucos ela percebe que as cartas endereçadas a ela por ‘B’ expõem um romance intenso e revolucionário. É obvio que não estava apaixonada por seu marido e cada vez que li os bilhetes seu coração disparava como se esse sentimento fosse o certo.

Já em 2003, somos apresentados a Ellie Haworth, uma jornalista que se mostra confusa diante de um relacionamento instável e uma vida profissional arriscada. Ela é determinada, só que alguns fatos acabam inevitavelmente atrapalhando seu percurso. Sonhadora e romântica, Ellie acredita fielmente em seu parceiro, no entanto logo ela percebe que é necessário fazer sacrifícios quando se ama de verdade.

A vida dessas duas mulheres se encontram como se fosse o destino que estivesse arrumando as coisas na ordem certa. É muito comovente ler sobre ocasiões enredadas, sobre os desencontros e ainda melhor descobrir que há os encontros mais difíceis e aguardados. O desfecho não é tão emotivo quanto esperei, mas pelo menos as situações são bem realistas e criteriosas.


“Certa vez uma pessoa sábia me disse que escrever é perigoso pois nem sempre podemos garantir que nossas palavras serão lidas no espírito em que foram escritas. Portanto, vou ser direto. Desculpe-me. De verdade. Perdoe-me. Se houver algum jeito de eu poder mudar o que você pensa sobre mim, preciso saber.” Pg.368


Classificação SEL: 4/5 


2 comentários:

  1. Amiga que ótimo saber sua opinião sobre esse livro, tenho ele a tempos mas ainda não o li, pretendo ler esse ano com certeza. Que pena que o final não é tão emotivo quanto se espera. Beijos e parabéns pela leitura e pela resenha!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Tenho muita vontade de ler algum dos livros da Jojo Moyes e esse parece ser ótimo. A mistura de passado e presente deixa a história bem diferente do que eu estou acostumada, sem contar que adoro romances com um pouco de mistério :)
    Bjs
    sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo