1 de fevereiro de 2015

Resenha: Primeiras impressões - LRDO, Editora Kiron

Informações do livro:
Título: Primeiras impressões
Inspirado em Orgulho e Preconceito
Autor: LRDO
Editora: Kiron
Páginas: 304




Sinopse: Primeiras Impressões é uma adaptação moderna do clássico Orgulho e Preconceito de Jane Austen. O romance eterno de Lizzie e do Sr. Darcy é situado desta vez entre paisagens paradisíacas do Brasil e cenários surpreendentes dos Estados Unidos, em um relacionamento complexo entre uma carioca sarcástica e brilhante e um político americano de uma família conservadora.



Resenha:Primeiras impressões” é uma leitura deliciosa, aquela que a gente lê e nem percebe o tempo passar. Independente de ser uma adaptação de Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, a história é extremamente sutil, marcante e revigorante. A autora expõe traços incríveis, por meio de uma narração divertida, leve e repleta de sentimentos.

A trama inicia apresentando Frederick e seu amigo Charles, estes que viajaram para uma ilha particular. Através da narrativa descritiva e ágil, percebemos o quanto Fred se preocupa com Charlie, e por isso mesmo que é tão interessante acompanhar as expressões sinceras de ambos. Claro que Fred se mostra mais cauteloso quanto as suas ações, mas Charlie se mostra ainda mais carismático e crível.

Lizzie é uma garota muito inteligente e sabe muito bem aproveitar as oportunidade certas. Ao lado de sua irmã Jane e a melhor amiga Charlotte, sabia que tinha uma vida agradável. É realmente interessante ler sobre a personalidade dos personagens que vão aparecendo aos poucos, mesmo porque é um incentivo a mais para se envolver com a trama.
                      
A mãe de Liz, Janaína Benevides, planeja bem seus próximos passos, ainda mais quando o assunto refere-se a sua filha. Ela é muito preocupada com a vida amorosa das filhas, principalmente a de Liz. Por isso não pensa duas vezes ao tentar lhe arranjar um marido. Claro que acha maravilhoso quando descobre que Charles Bing, um americano rico, comprou uma ilha particular na região. De acordo com ela, é, sem dúvidas, a chance perfeita para que Liz e ele se apaixonem.

Os pensamentos de Janaína mudam quando ouve falar de Frederick Darcy. Concluiu que ele seria o par ideal para Liz, por ser mais centrado e vindo de uma família tradicional. Este, que se mostra envolvido com política, demonstra ser mais honrado, portanto é fato que as expectativas para com ele seriam maiores. Casais começam a se formar, e alguns podem ate ser improváveis, porém aos poucos é perceptível como se combinam.

Como o próprio título já sugere, as primeiras impressões podem ser bem decisivas. Liz e Fred não gostaram um do outro a primeira vista, e de certa forma, esses episódios fortalecem bastante o relacionamento. É uma emoção que surge aos poucos e a gente torce para que haja um encontro feliz ou uma simples menção de atração. Gostei bastante deste livro, já que ele reúne elementos tão diversificados e ao mesmo tempo simples. Fantástico!


“Frederick Darcy, por outro lado, era exatamente o que parecera ser quando chegou à festa de Ano Novo dos Benevides. Antipático, sério e mal-humorado.” Pg.29


Classificação SEL: 4/5


3 comentários:

  1. Precisando ler esse livro! Amo Orgulho e Preconceito e até já li e vi uma web série sobre ele. Já viu O diário de Lizzie Bennet? É bem interessante <3

    ResponderExcluir
  2. Dotado de um toque de sensibilidade, e valendo-se da velha dialética entre o antigo e o moderno, é um livro superdivertido de se ler, envolvente, e que traz temas atuais como o medo do amor, a descrença no relacionamento e a desconfiança que se sente perante o sexo oposto, além de retomar o clássico do romantismo inglês Orgulho e Preconceito, da Jane Austen. Temendo a relação amorosa, os românticos tendem a criar um ideal feminino. Porém, Elizabeth Benevides - a protagonista do livro - não é uma mera personagem típica, idealizada, mas sim uma mulher moderna, com todas as suas contradições, a qual consegue nos provar que ainda se vale a pena lutar pelo amor, e para isso inclusive se contrapor às convenções sociais. Além do mais, o livro ainda adota uma estética que mescla vários estilos, como e-mails e mensagens de texto, sem com isso perder a sua literariedade, muito menos o seu valor. Como Mestranda em Literatura pela Universidade de Brasília, eu MAIS do que recomendo este livro, e acredito veementemente que ele pode se tratar de um marco na literatura contemporânea.

    ResponderExcluir
  3. Já li ótimas críticas a esse livro. Estou cada dia mais curiosa, mas antes preciso ler Orgulho e Preconceito!!!
    Beijos

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo