2 de março de 2015

Resenha: Boa noite, estranho - Jennifer Weiner @Novo_Conceito

Informações do livro:
Título: Boa noite, estranho
Detetive por acidente
Título original: Goodnight Nobody
Autor: Jennifer Weiner
Editora: Novo Conceito
Páginas: 432




Sinopse: Para Kate Klein, que, meio por acaso, se tornou mãe de três filhos, o subúrbio trouxe algumas surpresas desagradáveis. Seu marido, antes carinhoso e apaixonado, agora raramente está em casa. As supermães do play-ground insistem em esnobá-la. Os dias se passam entre caronas solidárias e intermináveis jogos de montar. À noite, os melhores orgasmos são do tipo faça você mesma. Quando uma das mães do bairro é assassinada, Kate chega à conclusão de que esse mistério é uma das coisas mais interessantes que já aconteceram em Upchurch, Connecticut, nos últimos tempos. Embora o delegado tenha advertido que a investigação criminal é trabalho para profissionais, Kate se lança em uma apuração paralela dos fatos das 8h45 às 11h30 às segundas, quartas e sextas, enquanto as crianças estão na creche. À medida que Kate mergulha mais e mais fundo no passado da vítima, ela descobre os segredos e mentiras por trás das cercas brancas de Upchurch e começa a repensar as escolhas e compromissos de toda mulher moderna ao oscilar entre obrigações e independência, cidades pequenas e metrópoles, ser mãe e não ser.



Da mesma autora:
Dias melhores virão (Editora Novo Conceito)



Resenha: A premissa de “Boa noite, estranho” sempre me pareceu muito atraente, talvez pelo fato de se tratar de um romance policial ou simplesmente por envolver cenas repletas de mistério e ao mesmo tempo casualidade. Assim, a autora Jennifer Weiner fez um ótimo trabalho ao inserir passagens emocionais sobre uma rotina desgastada diante de assuntos inesperados, perigosos e de certa maneira, empolgantes.

Já havia lido outra obra da autora e já percebi que seu texto possui um estilo fácil de ser lido. Apesar de ter me envolvido mais com essa trama, acredito que é muito interessante acompanhar o seu desenvolvimento diante de todas as descrições apresentadas. Na verdade, o enredo é bem simples e é isso que torna tudo mais crível e sincronizado.

A protagonista, Kate Klein, passou por algumas mudanças em sua vida, e mesmo que tudo pareça bem normal, é fato que ela está se sentindo bem desajustada e ainda mais insegura. Ela é mãe de três filhos e tem um marido que demonstra ser um tanto indiferente. A história já expõe seus dilemas de modo que fique claro que Kate nunca imaginou estar numa situação parecida.

Sua vizinha foi esfaqueada e é a partir disso que iniciam as investigações. Claro que ela demonstra estar desesperada, mas são as habilidades de verificações que se destacam nessa caminhada. Você pode pensar que Kate estava entediada e se intrometeu em assuntos que não lhe dizem respeito. É certo mesmo que há suas parcelas de culpa, mas quando surgem coisas relacionadas é mais fácil perceber as conexões ao seu redor.

Há alguns episódios que são bem dinâmicos, e acredito que essas características estão presentes para repassar ao leitor um tipo de descontrole sobre as ações e suas consequentes escolhas. Ora se sente culpada, ora acha graça das situações. De qualquer maneira, sua determinação e apoio é o que fazem toda a diferença.

É um livro que reúne elementos bem complexos, como o delito, o romance e a enfim satisfação por inovações e desfechos. Surgem vários questionamentos acerca dos sentimentos que rodeiam os personagens e nesse caminho o leitor pode até perceber algumas semelhanças sobre suas próprias experiências. Enfim, tem muita emoção envolvida, mesmo porque existem vários tipos de crises pessoais e o apoio sempre deve ser visível nos momentos mais difíceis. Essa é uma das mensagens a serem apreendidas.




“Polícia primeiro, eu decidi. Levei uma eternidade para conseguir enfiar a mão no bolso, tirar meu celular e ligar para a polícia. — Sim, alô, aqui é Kate Klein, estou visitando a casa da minha amiga Kitty Cavanaugh, no número cinco da Folly Farm Way e ela... Está... É... — minha voz falhou. — Ela está morta. Alguém a matou.” Pg.20



Classificação SEL: 4/5


Um comentário:

  1. desde que li a sinopse dele pela primeira vez já fiquei mega curiosa!
    a trama parece ser ótima. nunca li nada da autora, mas falam que a escrita dela é boa mesmo...
    não li o outro livro dela, então nem sei o que esperar, mas estou ansiosa! hahaha
    e amei este quote!! *--*

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo