24 de março de 2015

Resenha: Dois garotos se beijando - David Levithan @galerarecord

Informações do livro:
Título: Dois garotos se beijando
Título original: Two boys kissing
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Páginas: 224




Sinopse: Baseado em fatos reais e em parte narrado por uma geração que morreu em decorrência da Aids, o livro segue os passos de Harry e Craig, dois jovens de 17 anos que estão prestes a participar de um desafio: 32 horas se beijando para figurar no Livro dos Recordes. Enquanto tentam cumprir sua meta — e quebrar alguns tabus —, os dois chamam a atenção de outros jovens que também precisam lidar com questões universais como amor, identidade e a sensação de pertencer.




Resenha: Dois garotos se beijando”, de David Levithan, expõe os sentimentos mais íntimos de uma geração tão marcante, ousada e decidida – no meio de doenças, mortes e novidades tecnológicas. Eles falam sobre música, encontros, confusões, esforços, mudanças, lembranças, sonhos e perdas, entre tantas outras características importantes. Mas acima de tudo, o que sempre se destaca mais é o amor, e claro que não importa o jeito com que se ama, desde que seja de uma forma verdadeira.
                                
Independente do assunto que o autor escreva, é possível se apaixonar apenas por sua narrativa, já que é tão significativa, prática, sutil e muito – muito – emotiva. Os sentimentos são tão realistas, que só nos resta torcer para o desenvolvimento do enredo. A gente sabe que há muitas negações, segredos, temores e PRÉ-CONCEITOS nesse mundo, por isso é tão revigorante ler frases e pensamentos sinceros e de comoventes.  

Craig, Harry, Peter, Neil, Avery, Ryan, Tariq e Cooper são jovens gays (entre tantos outros), que precisam aprender a lidar com as dificuldades de uma relação, assim como os tantos dramas que a envolvem. Como se não bastasse, há ainda o fato de precisarem enfrentar opiniões alheias em uma sociedade tão preconceituosa. O texto não poderia ser mais libertador, e não importa a opção sexual, porque é muito fácil entender as conexões e mensagens atribuídas em cada cena.

O plano de Craig e Cole gira em torno de um beijo. E não é um simples beijo, já que, além do próprio objetivo de quebrar um recorde mundial, há a questão por trás disso. O fato é que precisarão se beijar durante 32 horas, 12 minutos e 10 segundos. E nas referencias sobre o casal, o que mais se evidencia é o fato de serem tão vulneráveis e inseguros. Claro que também é possível conferir todos os motivos que os levaram a fazer essa tentativa.

As brigas dos pais são bem expressivas e realmente tristes. E o pior é que não tem como saber como tudo vai terminar. As sensações não param de aparecer, desde todas aquelas situações de descobertas até outras ocasiões que poderiam ser consideradas bem banais. Então, só o que podemos pensar é como tal pessoa não consegue ser mais compreensiva ou pelo menos um pouco paciente com as diferenças dos outros ao seu redor?!

Enfim há vários casos preocupantes, envolvendo bullying, desistências, agressões físicas e mentais, constrangimentos, etc Não deve existir um padrão único de amor, e uma das finalidades do autor é justamente poder interagir sobre isso. É, acima de tudo, um livro motivador, apesar de toda a aflição revelada nas entrelinhas. Nas últimas páginas deste livro também é possível conferir um nota do autor e agradecimentos, texto que expõe muitos fatos pessoais e também explica algumas alusões da obra em si.



“Sabemos que alguns de vocês ainda sentem medo. Sabemos que alguns de vocês ainda estão em silêncio. Só porque está melhor agora não quer dizer que é sempre bom.” Pg.12


Classificação SEL: 4/5


Um comentário:

  1. Amiga essa é a segunda resenha que leio desse livro (leia a resenha da Rachel do blog Por uma boa leitura) e estou cada dia mais curiosa para ler e formular minha opinião também.
    Acredito que o amor não deve ter barreiras de classe social, credo, gênero ... deve ser vivido como algo mágico que une duas pessoas que desejam compartilhar suas vidas e serem felizes. Enfim acredito que quanto mais falarmos no assunto, mais pessoas debaterão sobre ele e assim poderão formular suas opinião e com o tempo o preconceito diminuirá e quem sabe acabará.

    Beijos
    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo