10 de março de 2015

Resenha: Fingindo - Cora Carmack, Editora Novo Conceito

Informações do livro:
Título: Fingindo
Por quanto tempo você consegue prender alguém?
Losing It # 2
Título original: Faking It (Losing It #2)
Autor: Cora Carmack
Editora:Novo Conceito
Páginas: 336





Sinopse: "Meu nome é Cade Winston. Aluno de mestrado em belas-artes, voluntário, abraçador de mães e seu namorado pelas próximas vinte e quatro horas. Prazer em conhecê-la." Com seus cabelos coloridos, tatuagens e um namorado que combina com tudo isso, Max tem exatamente o estilo que seus pais mais desprezam... E eles nem sonham que a filha vive assim. Ela fica em apuros quando seus pais a visitam na faculdade e exigem conhecer o futuro genro . A solução que Max encontra para não ser desmascarada é pedir para um desconhecido se passar por seu namorado. Para Cade, a proposta veio em boa hora: é a chance que ele esperava para acabar com a sua fama de bom moço, que até hoje só serviu para atrapalhar sua vida. Um faz de conta com data marcada para terminar... E um casal por quem a gente vai adorar torcer. Fingindo vai seduzir você.




Leia também:
Losing it #1 Perdendo-me - Cora Carmack (Editora Novo Conceito)



Resenha: Fingindo”, de Cora Carmack, é o segundo volume da série Losing It e continua explorando relacionamentos repletos de dramas e afins. Suas histórias exploram bastante o lado emocional dos personagens, desde questões envolvendo o romance até superações e descobertas de personalidade. O primeiro volume, Perdendo-me, é extremamente cativante e esse também conseguiu ser tão emocionante quanto.

Cade Winston já apareceu na trama anterior, mas claro que com menos destaque de suas ações. A exploração de suas emoções e dúvidas se intensifica agora pelo fato de ele perceber estar frustrado com sua situação atual. Ele gostava de Bliss, mas sabe que ela já está mais que envolvida com outra pessoa (Garrick <3) e não há como competir nesse caso.

Esses casos de amizades que se transformam em amores não correspondidos podem desestabilizar totalmente a vida de uma pessoa e é o que ocorre com Cade. Ele é um garoto muito carismático e passa a impressão de ser feliz, quando nem sempre isso pode ser verdade. Ainda mais porque pode ser considerado um garoto perfeito diante de tantas coisas realizadas, mas será que as pessoas conseguem enxergar seus defeitos também?

Mackenzie, ou simplesmente Max, tem medo de expor sua verdadeira identidade (com seu cabelo colorido, tatuagens e piercings), pelo menos aos seus pais. Sua irmã morreu em um trágico acidente e é aos poucos que o leitor começa a compreender as consequências dessa perda. Quando não está perto da família, demonstra ser muito decidida sobre suas ações e fechada diante dos sentimentos, mas quando seus pais estão ao seu lado tudo parece girar em torno de uma enorme mentira. Acima de tudo, é evidente o quanto extravasa as emoções quando canta, e é assim que a música refere-se como seu porto seguro.

Cade e Max se conhecem em uma situação bem inusitada. E é logo neste primeiro encontro – muito ousado, por sinal – que ela lhe pede para que ele finja ser seu namorado. São bem diferentes, seja no estilo ou jeito de pensar, pelo menos é o que a narração quer deixar transparecer. Porém, aos poucos é possível perceber que ambos se combinam bem mais que o esperado, e que ficam bem melhores quando estão próximos um do outro.

É uma leitura maravilhosa, e eu não me importo nem um pouco se pode parecer clichê ou não. Pelo jeito como a autora escreve, nota-se também que o romantismo é um de seus principais aspectos. Não há como não se encantar com as confusões citadas, assim como os encontros tão esperados. A gente quer mesmo que o casal protagonista se entenda, porque no final as pequenas conversas e demais ocorrências, fazem com que tudo possa valer a pena.


“Acho que elas fecham os olhos ou dão uma corridinha ou tomam um banho demorado para se esquecer só por um segundo de quem são e do que têm que fazer todos os dias. Viver é difícil.” E todos os dias os nossos ombros pesam mais e nós acumulamos mais bagagem. Assim, paramos e respiramos fundo, fechamos os olhos, apagamos a mente. É natural. Desde que você abra os olhos e siga em frente.” Pg.197
  

Classificação SEL: 5/5


Um comentário:

  1. aaah, eu li o primeiro livro 2 vezes já hahaha
    é lindo demais a história dos dois!
    eu adorei a escrita da Cora e estou mega curiosa pela história de Cade!
    confesso que, apesar dele não ter aparecido muito no primeiro livro, não tinha ido muito com a cara dele, mas agora estou curiosa pelo livro só dele hehe

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo