4 de março de 2015

Resenha: Perdas e danos - Diane Chamberlain @editoraarqueiro

Informações do livro:
Título: Perdas e danos
Título original: The Good Father
Autor: Diane Chamberlain
Editora: Arqueiro
Páginas: 256





Sinopse: Travis Brown é um rapaz diferente da maioria dos jovens de sua idade. Aos 23 anos, já conheceu – e perdeu – seu grande amor, já precisou lutar pela guarda da filha na justiça e agora trabalha incansavelmente para sustentá-la. Sua rotina não é fácil, mas ele consegue levar uma vida digna. De repente, tudo começa a dar errado: ele perde o emprego, sua casa pega fogo e sua mãe morre. Sem ter a quem recorrer, precisa ir morar com a filha em um acampamento para trailers. Lá, conhece Savannah, uma jovem linda e sexy que realmente parece querer ajudá-lo. É ela quem lhe fala sobre a vaga em uma obra em Raleigh, uma cidade próxima. Travis não quer se mudar, mas não tem alternativa: seus últimos dólares estão acabando e ele não vê a menor perspectiva de conseguir mais dinheiro. No entanto, ao chegar a Raleigh e conhecer Roy, seu suposto empregador, ele descobre que o trabalho na verdade é um roubo. Roy garante que será a única vez e que a quantia que Travis receberá será suficiente para tirá-lo do sufoco por um bom tempo. Agora, de frente para a maior encruzilhada de sua vida, Travis precisa decidir que caminho seguir para continuar sendo um pai exemplar.




Outro título da autora:
Segredos e Mentiras - Diane Chamberlain (Editora Arqueiro)



Resenha: Perdas e danos” de Diane Chamberlain, apresenta uma história emocionante e intensa a respeito de um homem batalhador e responsável diante da paternidade. A autora consegue expor situações complexas diante de tantos receios, e o que torna mais emocionante é o fato de ter tantas preocupações marcantes e decisivas. Juntamente a isso, a Editora Arqueiro também fez um excelente trabalho editorial e a capa é simplesmente linda.

Travis Brown narra suas experiências com sua filha Bella, diante de tantas superações e obstáculos. Ele não estava preparado para tantas mudanças, mas se compromete com seu novo futuro e é isso que importa. É mesmo triste imaginar como ele pôde suportar tantos episódios infelizes, como a morte de sua mãe, o incêndio em sua casa e a falta de emprego. Mas esses fatos se mostram ainda mais importantes para que seja possível refletir que sempre surgem novas oportunidades para recomeçar.

Apesar de ser novo, Travis não hesitou sobre criar sua filha sozinho. Robin, a mãe, não ficou com a criança por conta de outros casos, bem complexos por sinal, e ainda bem que ele conseguiu ganhar a guarda de Bella na justiça. No decorrer dos capítulos narrados por Robin, percebe-se o quanto há pressões diante de características sobre posturas, sentimentos e outras decorrências. E mais uma vez, esses dramas fazem com que tudo se torne mais instigante e reflexivo.

A narrativa é feita por meio de três pontos de vista (Travis, Robin e Erin), o que facilita ainda mais o envolvimento na trama. Travis teve muitas perdas, mas aceitou encarar um novo desafio a fim de melhorar suas condições. As coisas ficam fora do controle e dá até um nervoso pensar em como tudo pode ser resolvido. Erin cria laços de amizade forte com Travis e Bella e se destaca bastante por seu desenvolvimento, e em paralelo com seus outros problemas pessoais.

Também entram em cena Savannah e Roy, sendo que cada um possui significados bem diferentes quando são mencionados. Travis começa a ter uma conexão forte com Savannah e é aos poucos que percebemos esses indícios. Roy surge como uma oportunidade boa, porém repleta de riscos enormes. Assim, a proporção desses acontecimentos surpreende bastante com a ligação de todos esses personagens. A aflição se torna maior ainda quando Erin não sabe o que fazer quando Travis não retorna como o previsto para levar Bella, por isso precisa ir atrás da mãe, Robin.

É uma leitura estimulante, agradável e muito comovente. Mais uma vez, a autora Diane Chamberlain me surpreendeu com uma história fantástica e comovente. E é claro que se torna inevitável não se emocionar com tantos dilemas e escolhas definitivas. Por fim, o desfecho se torna muito oportuno com tantos reencontros e passagens mais confortáveis.



“De repente, não consegui me mover. Eu queria levar Bella de volta ao banheiro e abraçá-la com muita força, mas tinha de me livrar daquela incumbência. Fazer o que fora combinado. Abaixei-me, dei um beijo na cabeça da minha filha e me afastei bem depressa. Para fora, do outro lado do estacionamento, para dentro da van. Depressa, depressa, depressa, antes que eu pudesse mudar de ideia. Virei a chave na ignição. Não podia deixar a van ali, onde Erin e Bella poderiam ver quando saíssem da cafeteria. Dirigi até o outro lado do estacionamento, quase batendo nos carros parados, pisando fundo no acelerador, o resto do mundo um borrão à minha frente e uma única palavra na cabeça.” Pg.12



Classificação SEL: 5/5


Um comentário:

  1. aii Fê, eu estou mega curiosa para ler este livro!!!
    li o primeiro capítulo dele na internet e nem tinha ideia de que iria gostar tanto! *-*
    achei que a narrativa iria ser só do ponto de vista do Travis. normalmente não gosto muito de livros com muitos narradores diferentes, mas espero que este não me decepcione, pois estou bem empolgada! :P

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo