12 de maio de 2015

Resenha: Síndrome psíquica grave - Alicia Thompson @galerarecord

Informações do livro:
Título: Síndrome psíquica grave
Título original: Psych Major Syndrome
Autor: Alicia Thompson
Editora: Galera Record
Páginas: 336




Sinopse: A Paciente, Leigh Nolan (essa sou eu), começou seu primeiro ano na Universidade de Stiles. Ela decidiu se formar em psicologia (apesar de seus pais preferirem que ela estudasse tarô, não Manchas de Rorschach). A Paciente tem a tendência a analisar demais as coisas, especialmente quando isso envolve o sexo oposto. Exemplo: por que Andrew, seu namorado de mais de um ano, nunca a convida para passar a noite com ele e dar o próximo passo no relacionamento — leia-se transar? E por que ela passou a ter sonhos eróticos com Nathan, o colega de quarto de Andrew que tanto a odeia? Fatos agravantes incluem: outros alunos de psicologia supercompetitivos, uma professora que precisa urgentemente de análise e uma colegial que acha que a Paciente é, em uma palavra, ingênua.




Resenha:Síndrome psíquica grave”, de Alícia Thompson, é aquele tipo de livro simples, sutil e despretensioso, que o leitor se perde nas leituras, que por sinal também é muito rápida. A gente se envolve tanto que mal percebe o tempo passar. Melhor ainda é reparar nos pequenos detalhes da trama, que podem ou não fazer algum sentido em nossa vida. Nesse caso, não é difícil se deparar com alguma cena que nós mesmos já vivenciamos ou ao mesmo parecidos.

A protagonista do enredo se chama Leigh Nolan e é extremamente divertida, excêntrica, cuidadosa, complexa e demasiadamente preocupada. Cursa psicologia, e tem a mania de pensar demais sobre coisas que as vezes são meio banais. A propósito, o livro conta com várias referencias ao longo do texto, que incentivam ainda mais os pensamentos sobre assuntos variados.

Seu namorado, Andrew, é um personagem que nem deveria aparecer. Isso porque ele não acrescenta nada e só faz com que Leigh fique analisando demais algumas de suas atitudes. Em paralelo, há outros personagens que se destacam bastante, como Ami e Nathan, respectivamente colegas de quarto de Leigh e Andrew. Confesso que quem me conquistou mesmo foi Nathan, já que dá uma pontinha de ansiedade quando este entre em cena.

Impossível não notar a insegurança por parte de Leigh, e por vezes isso até pode ser um pouco irritante. Claro que há outras complicações no caminho, mas será mesmo que tudo gira em torno de avaliações? Diante disso que ela começa a pensar se suas escolhas são as melhores mesmo e é aos poucos que se consegue perceber algumas alterações em sua rotina.

O romance também é bem desenvolvido e é fácil perceber as alterações de sentimentos no decorrer das páginas. Os personagens também precisam se adaptar com inovações e ainda bem que a narração se encarrega de explicar certas atitudes, que inicialmente, parecem ser desnecessárias. Apesar de tudo, gostaria de saber um pouco mais sobre a vida de Nathan e suas próprias percepções.

A mensagem que se pode tirar da história é que é necessário entender nossos próprios problemas primeiro antes de tentar compreender o que se passa com as pessoas ao nosso redor. Além disso, muitas coisas podem estar fora de nosso próprio alcance. Existem muitas orientações que são direcionadas para ela, mas que ao mesmo tempo também conseguem ser extremamente proveitosas para nós.


“— Bem, então a minha vida é uma total enganação.” Pg.12


Classificação SEL: 4/5


2 comentários:

  1. parece ser um romance legal, e eu gosto quando a trama é mais realista assim, e quando lemos pensamos que pode realmente acontecer com a gente, se já não aconteceu né... :P
    me identifiquei com a personagem porque também sou assim, de pensar demais em coisas que não tem tanta importância ;x
    estoou curiosa para ler este livro... espero conseguir ler ele logo *-*

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da premissa da personalidade da personagem, parece ser do tipo complexa metida a sabichona do jeito que eu gosto, apesar de que o romance me parece meio previsível (partindo do princípio que ela tem algo com o Nathan, acertei?). Mesmo assim fiquei curiosa, me parece ser um livro inteligente e bacana para descontrair.
    Gostei da sua resenha.
    Abraços!
    http://www.rascunhocomcafe.com/2015/05/ligeiramente-maliciosos-os-bedwyns-2.html

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo