26 de junho de 2015

Resenha: Bom dia, Sr. Mandela - Zelda la Grange @Novo_Conceito

Informações do livro:
Título: Bom dia, Sr. Mandela
Título original: Good Morning Mr. Mandela
Autor: Zelda la Grange
Editora: Novo Conceito
Páginas: 432




Sinopse: Bom Dia, Sr. Mandela conta a extraordinária história de uma jovem que teve suas crenças, preconceitos e tudo em que sempre acreditou transformados pelo maior homem de seu tempo. A incrível trajetória de uma datilógrafa que, escolhida para se tornar a mais leal e devotada assessora de Nelson Mandela, passou a maior parte de sua vida trabalhando ao lado do homem que ela passaria a chamar de Khulu , ou avô.






Resenha: Bom dia, Sr. Mandela”, de Zelda la Grande, apresenta, de forma muito sincera, pessoal e ainda mais respeitosa, algumas das principais experiências inesquecíveis da própria autora como secretaria particular de Nelson Mandela. É, ao mesmo tempo, extremamente simples e marcante, porque explora bem todas as oportunidades vivenciadas, os detalhes analisados e todas as outras mensagens, apoios e variadas lições de vida que são repassadas.

Logo no começo, a autora já faz algumas considerações importantes sobre a obra, bem como informações sobre a própria convivência com Mandela. E é bem perceptível a influência que ele causou nela, seja por causa das transformações positivas ou por pontos de vistas mais diversificados e atraentes. É uma jornada que requer um trabalho incansável e é claro que é fundamental prestar atenção nos mínimos detalhes.

Os dois conviveram um bom tempo juntos e a parte mais interessante é que ela quis repassar tudo que aprendeu com Khulu, era assim que ela o chamava e esse nome é uma abreviação de Tata um’khulu, que significa avô. E ele a chamava de Zeldina. Assim, é perceptível a preocupação pelo bem estar de ambos.

Ao longo dos capítulos também é possível captar passagens extremamente importantes sobre a vida individual de cada um, seja por conta de desempenhos, acertos, erros e afins. Também conhecemos, de forma resumida, a família de Zelda, diante de muitas dificuldades, questionamentos sobre diferenças humanas – sobretudo o racismo – e tantos outros confrontos da época.

Zelda também se mostra bastante persistente, comprometida e organizada e valoriza seu tempo voltado aos serviços, mesmo porque Mandela dependia de seu esforço para muitas ocasiões sérias. E a gente sabe que decisões comprometedoras envolvem muitos riscos e dedicação para chegar ao objetivo desejado.

É tudo muito interessante mesmo, principalmente para que outras pessoas consigam encontrar mais aspirações na vida, tanto pessoais quanto profissionais. Portanto, há muitas compreensões, lições, reconhecimentos e crenças compartilhadas neste livro e é por isso mesmo que o texto se torna tão significativo.


“Você tem de ir para a cama todas as noites com seus próprios pensamentos e sua consciência, e, depois de escrever este livro, eu precisava sentir o conforto da consciência limpa. Preciso fazer que ele fique orgulhoso porque, apesar de parecer que nossas vidas foram eclipsadas por negatividade e turbulências nos últimos dois anos, existe uma bela história a ser contada, e preciso admitir que sou parte dessa história e que é meu dever contá-la. E, sobretudo, preciso ter cer­teza, do fundo do coração, de que, se ele lesse este livro, ficaria feliz pelo que eu conto e concordaria com os detalhes. Por ter passado dezesseis dos últimos dezenove anos com ele, dia após dia, sei o que o deixaria confortável ver em domínio público e o que não o deixaria, e é isso o que compete a mim proteger.” Pg.07


Classificação SEL: 4/5


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo