30 de junho de 2015

Resenha: Rush sem limites - Abbi Glines, Editora Arqueiro

Informações do livro:
Título: Rush sem limites
Título original: Rush Too Far 
(Rosemary Beach #4)
Autor: Abbi Glines
Editora: Arqueiro
Páginas: 192





Sinopse: Rush sem limites conta a história de Paixão sem limites sob ponto de vista de Rush. Rush merece sua reputação de bad boy. Com seus carros de luxo e sua mansão de três andares à beira-mar, o filho de um famoso astro do rock tem uma fila de garotas a seus pés. No entanto ele precisa apenas de duas pessoas para ser feliz: seu irmão postiço e melhor amigo Grant e sua meia-irmã Nan. Até que Blaire Wynn chega à cidade em sua velha caminhonete. A beleza angelical da garota do Alabama logo chama a atenção de Rush. Mas, por causa de um segredo de família, ele decide manter distância de Blaire. Mesmo que ela precise de sua ajuda. E mesmo que ela lhe desperte sentimentos desconhecidos. Órfã de mãe e abandonada pelo pai, Blaire está sozinha no mundo – porém Rush entende que se aproximar dela pode destruir a vida da irmã, a quem protegeu desde que eram crianças. A relação secreta entre as duas e o ódio que Nan nutre por Blaire são mais do que bons motivos para Rush manter-se afastado. Só que ele não consegue. O desejo fala mais alto. Depois do sucesso da trilogia Sem Limites, Abbi Glines leva os leitores de volta ao início dessa história de amor. Em Rush sem limites, você entrará na mente do bad boy que já conquistou milhões de fãs mundo afora.



Leia também:
Rosemary Beach #1 Paixão sem limites - Abbi Glines (Editora Arqueiro)
Rosemary Beach #2 Tentação sem limites - Abbi Glines (Editora Arqueiro)
Rosemary Beach #3 Amor sem limites - Abbi Glines (Editora Arqueiro)
Rosemary Beach #5 / Perfeição #1 Estranha perfeição - Abbi Glines (Editora Arqueiro)
Rosemary Beach #6 / Perfeição #2 Simples perfeição - Abbi Glines (Editora Arqueiro)



Resenha: Rush sem limites”, de Abbi Glines, expõe traços diversificados e ainda mais curiosos a respeito de um personagem tão carismático, intenso, complexo e sensual. Claro que os fãs da série Rosemary Beach irão adorar conhecer um pouco mais de seus pensamentos mais íntimos, além do fato de poder compartilhar mais momentos sob suas perspectivas.

Nos últimos volumes, pode-se dizer que sempre houveram algumas passagens em que Rush se tornou mal compreendido, por isso que acho importante esta obra em especial. Tudo se torna mais empolgante e sincero, por mais que já esteja claro o desfecho desta história. Mas esse é justamente o destaque: o final não importa nem um pouco e sim todas as considerações feitas no decorrer de cada acontecimento.

E por incrível que pareça, Rush consegue identificar aspectos relevantes sobre sua irmã Nan, seja por conta de sua carência, de todo o sofrimento repassado ou pelas tantas angustias vivenciadas por causa de sensações de abandono e afins. E tem todo aquele ar carregado da família, de como os pais tiveram suas parcelas de culpa durante o amadurecimento dos filhos.

Percebemos todos os fundamentos que o levaram a sentir tanta raiva e desprezo de alguém que nem conhecia pessoalmente. De fato, a tortura se torna compreensível demais, porque ouvir o lado de uma pessoa sempre pode transformar alguma coisa ou evidenciar algo que antes nem tinha tanta importância.

A narrativa é muito emocionante, mesmo porque os sentimentos estão presentes desde as primeiras páginas, desde o prólogo e de cada encontro tão esperado com Blaire. Suas discussões, dúvidas e diversos questionamentos conseguem mesmo revelar características inovadoras e é extremamente interessante se aprofundar em cada uma delas.

A gente acha que sabe como tudo funciona, mas se surpreende ao perceber que tem muito mais do que imaginamos. Esta é uma leitura obrigatória para o desenvolvimento da história do casal, especialmente para entender como a jornada teve início. E agora sim parece mais completa do que nunca, sem pontas soltas e sem respostas incompletas. Apesar de tudo, ainda acho que Rush sempre irá nos surpreender...



“Esta não é uma história de amor comum. Na verdade, é tão complicada que nem chega a ser linda. Mas quando você é o filho bastardo do lendário baterista de uma das bandas de rock mais amadas do mundo, é de esperar que seus relacionamentos não sejam perfeitos. Você é até conhecido por isso. Acrescente à mistura a mãe egoísta, mimada e autocentrada que me criou, e o resultado não é nada bom.” Pg.09


Classificação SEL: 4/5


Um comentário:

  1. Adorei este livro, quero rele-lo pois quando eu o li ainda não tinha sido lançado no Brasil, então tive que me virar com o inglês.
    Te marquei em uma Tag no meu blog, se puder da uma olhada, e se quiser respondê-la ficarei muito feliz!
    beijinhos
    www.wonderbooksdaalice.com

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo