6 de julho de 2015

Resenha: Jackaby - William Ritter @UnicaEditora

Informações do livro:
Título: Jackaby
Título original: Jackaby (Jackaby #1)
Autor: William Ritter
Editora: Única
Páginas: 256




Sinopse: "Eu sou um homem de razão e da ciência. Acredito no que vejo e posso provar, e o que vejo geralmente é difícil para os outros compreenderem. Até onde eu descobri, tenho um dom ímpar. Isso me permite ver a verdade quando os outros só enxergam ilusão. E há muitas ilusões, muitas máscaras e fachadas. Como dizem, o mundo todo é um palco e parece que eu tenho a única poltrona da casa, com vista para os bastidores.” Abigail Rook deixou sua família na Inglaterra para encontrar uma vida mais empolgante além dos limites de seu lar. Entre caminhos e descaminhos, no gelado janeiro de 1892 ela desembarca na cidade de New Fiddleham. Tudo o que precisa é de um emprego de verdade, então, sua busca a leva diretamente para Jackaby, o estranho detetive que afirma ser capaz de identificar o sobrenatural. Contratada como assistente, em seu primeiro dia de trabalho Abigail se vê no meio de um caso emocionante: um serial killer está à solta na cidade. A polícia está convencida de que se trata de um vilão comum, contudo, para Jackaby, o assassino com certeza não é uma criatura humana. Será que Abigail conseguirá acompanhar os passos desse homem tão excêntrico? Ela finalmente encontrou a aventura com a qual tanto sonhara. Prepare-se para desvendar este mistério! Para os fãs de Sherlock Holmes e Doctor Who. Eleito o melhor livro jovem 2014 pela Kirkus Review e um dos 40 melhores YA da estação pela CNN. Obra vencedora do prêmio Pacific Northwest 2015.




Resenha: Antes de qualquer outro comentário, preciso mesmo dizer o quanto a capa desse livro é maravilhoso e representativa. Isso porque Jackaby”, de William Ritter, é um livro envolvente, misterioso e repleto de detalhes instigantes. Os personagens também são construídos com muita credibilidade, sendo que cada um dos destacados consegue impor respeito por suas ações e demais entendimentos.

Abigail Rook é a protagonista desse enredo e de início já é possível perceber o quanto é coragem por enfrentar um caminho desconhecido. Ela deixou os pais para se aventurar em algo que não tinha muitos planejamentos e a intenção sempre foi realmente essa. Na verdade, pode-se dizer também que apesar de tudo, a garota sempre teve esse desejo também por conta de certos atributos de sua família.

E claro que o leitor fica instigado com essa atitude, afinal de contas, tirando de lado os perigos envolvimentos, há muitas coisas para serem aprendidas nesse trajeto. E é impossível não se animar com sua personalidade decidida, ainda mais diante de tantos desafios impostos. Abigail é muito insistente e não desanima ao tentar evidenciar que possui as habilidades certas para o cargo almejado.

Ela conhece Jackaby, um detetive conhecido por ser muito estranho e peculiar. Ele chama a atenção por ser cheio de objetos, acreditar no “impossível” – como os assuntos sobrenaturais – e estar atento a qualquer tipo de movimento. Lembra mesmo o famoso Sherlock Holmes, alternando também com Doctor Who, ainda mais levando em consideração os casos envolvidos, bem como a própria ambientação carregada.



E é inevitável já ser conhecido por todas as suas excentricidades e pensamentos insanos, assim como pode também ter certos conflitos com outros personagens que não dão créditos sobre seus serviços. Mas uma coisa é certa: Jackaby é muito engraçado, por isso a história flui muito bem e ainda mais rápido que o esperado.

Abigail, ao procurar um emprego, acaba se deparando novamente com Jackaby, sendo que ele está procurando uma assistente para suas investigações. Nesse meio, as cenas acabam se desenrolando com uma intensidade incrível e quase não dá para acreditar como há tantas coisas acontecendo praticamente ao mesmo tempo. Nem mesmo a própria Abigail esperaria estar em uma cena de crime tão complexa. Ainda mais porque Jackaby não liga para o que os outros pensam ao seu respeito e só quer saber de achar o (s) culpado (s) diante de um assassinato, que é o caso explorado em questão.

Classificação SEL: 4/5


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo