15 de julho de 2015

Resenha: Naomi & Ely e a lista do não-beijo - David Levithan, Rachel Cohn @galerarecord

Informações do livro:
Título: Naomi & Ely e a lista do não-beijo
Título original: Naomi and Ely's No Kiss List
Autor: David Levithan, Rachel Cohn
Editora: Galera Record
Páginas: 256





Sinopse: A quintessência menina-gosta-de-menino-que-gosta-de-meninos. Uma análise bem-humorada sobre relacionamentos. Naomi e Ely são amigos inseparáveis desde pequenos. Naomi ama Ely e está apaixonada por ele. Já o garoto, ama a amiga, mas prefere estar apaixonado, bem, por garotos. Para preservar a amizade, criam a lista do não beijo — a relação de caras que nenhum dos dois pode beijar em hipótese alguma. A lista do não beijo protege a amizade e assegura que nada vá abalar as estruturas da fundação Naomi & Ely. Até que... Ely beija o namorado de Naomi. E quando há amor, amizade e traição envolvidos, a reconciliação pode ser dolorosa e, claro, muito dramática.




Resenha: Naomi & Ely e A lista do não-beijo”, de David Levithan e Rachel Cohn, é um livro que trata, de maneira sutil, dinâmica e ainda mais divertida, sobre uma relação que pode ou não dar certo. A narrativa expõe todas as incertezas e receios de personagens que querem ser felizes, porém cada um a sua maneira.

O titulo também não poderia ser mais engraçado, afinal de contas, o que seria essa lista do não-beijo? Claro que o leitor entende melhor a partir da sinopse e mais ainda durante a leitura, que se torna cada vez mais perspicaz. Impossível não compreender que é possível ocorrer certos atritos em um acordo que tem tudo para dar errado.

Os sentimentos não seguem padrões e esta trama esta ai para provar essa afirmação também. Naomi e Ely se dão muito bem, mas a gente sabe que as coisas podem mudar a partir do momento em que qualquer tipo de emoção apareça. E é justamente por isso que os dilemas expostos se tornam tão fortes e repletos de consequências para os dois.

Ely é gay e é melhor amigo de Naomi. Eles tem um histórico bem grande de aprendizados, já que foram criados juntos desde a infância. Ela não tem nada contra suas escolhas, a não ser o fato de que ela é muito apegada a ele para admitir que o ama mesmo. Mas será?! Talvez seja pelo fato de que o esperado por todos (e principalmente por Naomi também) era que acabassem ficando juntos em algum momento.

A lista é criada com o intuito de que não ocorram conflitos, porém tudo parece sair fora do controle a partir do momento em que Bruce, namorado de Naomi, entra em cena. Agora, depois de ocorrer certa distância, o que vai importar mesmo são as decisões para o destino deles.

A narrativa é alternada e claro que esse é um dos pontos positivos, principalmente porque as opiniões e explicações de atitudes são bem mais compreensíveis e envolventes. Os dois lados se tornam cada vez mais sensíveis pelo simples fato de não saberem lidar muito bem com as situações (especialmente por causa das brigas constantes), mesmo porque a confiança é colocada em risco várias vezes.

Mas o mais interessante é que a transformação dos dois é muito intensa a partir do momento em que percebem o que é mais válido em suas vidas. Também vale a pena poder conhecer essa amizade tão verdadeira e repleta de significados. Os dois se entendem bem, por mais que haja tantos dramas em suas vidas.

Mas não é apenas a relação dos dois que é apresentada, sendo que ao longo dos acontecimentos ainda são narrados sobre familiares e outros tipos de envolvimentos igualmente marcantes. Aquelas definições sobre o que é o amor real também são refletidos, bem como todas as implicâncias e confusões ao seu redor.

O livro é incrível com todos os seus toques ora delicados, ora engraçados e ora ousados. E uma ótima notícia é que o filme baseado na obra homônima vai estrear no dia 17 de julho deste ano durante uma première no Outfest Los Angeles LGBT Film Festival. É dirigido por Kristin Hanggi, e estrelado por Victoria Justice e Pierson Fode. Saiba mais AQUI.


Ely raramente se despede de mim ou desliga o telefone sem antes dizer “eu te amo”. É a maneira dele de dizer “tchau”; como uma promessa em relação a nosso futuro juntos. Minto quando respondo com as palavras “eu também”. Pg.12


Classificação SEL: 4/5


Um comentário:

  1. David gosta de ousar em seus livros né hahaha
    ainda não li nenhum deles, mas tenho curiosidade em ler todos!!! kkkkkk
    a trama parece ser ótimo, como não ficar curiosa? e essa capa, vamos combinar né... dá vontade de comprar o livro só por causa dela ;$
    não sabia que ele estava sendo adaptado :O
    fiquei mais curiosa ainda!!! *-----*

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo