23 de setembro de 2015

Resenha: O Grande Gatsby - F. Scott Fitzgerald @geracaobooks

Informações do livro:
Título: O Grande Gatsby
Título original: The Great Gatsby
Autor: F. Scott Fitzgerald
Geração Editorial
Páginas: 204                





Sinopse: Obra-prima de F. Scott Fitzgerald, este clássico do século XX retrata a alta sociedade de Nova York na década de 1920, com sua riqueza sem precedentes, festas nababescas e o encanto das melindrosas ao som do jazz. O sol em ascensão desse universo cintilante e musical é o enigmático milionário Jay Gatsby, ao redor do qual orbitam três casais glamorosos e desencontrados, numa trama densa, repleta de intrigas, paixões e conflitos que precipitam o trágico eclipse. Recriação soberba de um dos períodos mais prósperos da história dos Estados Unidos, O grande Gatsby é uma crítica mordaz à insensibilidade e imoralidade revestidas de ouro da chamada Era do Jazz, e um dos melhores romances — talvez o melhor — já escritos nesse país.




Resenha: Conhecido como um dos clássicos da literatura, O grande Gatsby”, de F. Scott Fitzgerald, é um livro que ironia bastante a sociedade da época retratada. De fato, se mostra extremamente realista e por vezes até cruel, levando em consideração todas as dificuldades vivenciadas pela população de um modo geral. Inicialmente, foi com esse pensamento, que me interessei por essa leitura. Já conhecia o autor e a premissa de sua obra, mas confesso que nunca havia tido a oportunidade de lê-lo.



Existem várias publicações dessa obra-prima, porém a minha versão é a da Geração Editorial. A edição está maravilhosa, sendo que conta com capa dura e várias imagens. A editora está de parabéns por todos os detalhes apresentados, sendo que é possível perceber a vasta informação sobre o enredo e suas diversificações.

O narrador, Nick Carraway, é uma pessoa sonhadora, e que tem uma vida estável, considerando suas condições. Ele fica extremamente curioso por seu vizinho, sendo que na mansão onde ele vive, são realizadas várias festas, porém ninguém sabe que é o anfitrião. Só o conhecem por Gatsby e as várias histórias (que não há como saber se são verdadeiras ou não) que o rodeiam.


Aos poucos nota-se o quanto as coisas estão interligadas umas com as outras. É ao mesmo tempo assustador e ambicioso. Isso porque Nick começa a ser convidado para as festas e quando, enfim, conhece o incompreensível Jay Gatsby, tende a se sentir pressionado pela lealdade, pelas brigas travadas e por toda as emoção dos momentos.


Próximo a eles, é possível encontrar Daisy – prima de Nick – e seu marido Tom Buchanan. O casal é bem sucedido e é também cheio de dilemas internos. A casa deles fica bem de frente a casa de Gatsby e Nick, porém é do outro lado da baía. Posteriormente, iremos descobrir que Daisy é o grande amor da vida de Gatsby. Então, eu pergunto: como não se emocionar com o jeito como ele enxerga Daisy? Ou melhor, suas tentativas de reconquistá-la fazem sentido a cada vez que ele demonstra o que sente de verdade.


Há uma mistura de elementos que se tornam essências na medida em que ocorrem os encontros e reencontros, as decisões e demais tragédias envolvendo esses personagens tão peculiares. E é normal o leitor se questionar sobre a vida dos personagens, porém acredito que a intenção nunca foi falar abertamente sobre eles.

Minha opinião sobre a adaptação ( de 2013):



Eu também nunca tinha visto nenhum filme de O grande Gatsby, então depois que finalizei esta leitura, assisti a adaptação com os atores Leonardo DiCaprio (Gatsby), Tobey Maguire (Nick), Carey Mulligan (Dayse), Joel Edgerton (Tom Buchanan) e Isla Fisher (Myrtle Wilson). E eu adorei o filme, tanto quanto o livro. A ambientação fantasiosa (e por vezes fútil) é muito representativa, e é fácil perceber os encantos atribuídos na época.



O fascínio de Nick Carraway por Jay Gatsby é contagiante, por mais que a amizade dos dois pareça tão improvável. Muitas coisas são, de fato, inquestionáveis, mas o bom humor e o estilo garantem perspectivas maravilhosas. As festas são motivadoras e até excedidas demais, mas conseguem evidenciar todo o glamour de um período tão conturbado.

Para quem ainda não conferiu, precisa ouvir a trilha sonora deste filme. Sem exageros: está delirante e muito charmosa.


Claro que o romance também se destaca bastante nas cenas e cada momento se torna ainda mais arriscado e repleto de enigmas e loucuras. Leonardo DiCaprio está sensacional nesse papel, ainda mais porque ele consegue demonstrar toda a beleza e ousadia de sua personalidade. 



É triste, comovente, perigoso e, acima de tudo, admirável! Tento organizar minhas ideias, mas só consigo lembrar e afirmar que amei o livro e o filme de uma maneira indescritível.

Classificação SEL: 5/5


Um comentário:

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo