28 de setembro de 2015

Resenha: O pulo da gata @fernandafranca @PlanetaLivrosBR

Informações do livro:
Título: O pulo da gata
Autor: Fernanda França
Editora: Planeta
Selo: Essência
Páginas: 288






Sinopse: A paulistana Maggie May ama os animais e exerce sua profissão de veterinária com paixão. Mas seu maior sonho é casar com tudo que uma mulher romântica tem direito: vestido branco, cerimônia religiosa, festa com todos os seus amigos e parentes, lua de mel... O noivo nem importa muito, desde que seja alto. O que mais interessa a ela é o evento. Apesar de jovem – tem 23 anos –, ela faz de tudo para se casar e age como se fosse uma solteirona desiludida. Não é a toa que está na sua quinta tentativa, mas Meggie é confiante de que Felipe, que ela conheceu num site de encontros, a tornará, enfim, feliz. Só que as estrelas, que tudo veem lá de cima, não têm tanta certeza assim. Nem Eric, o comediante gato que ela conhece por acaso, no dia do seu primeiro encontro físico com Felipe. O Pulo da Gata é uma comédia romântica cheia de reviravoltas, algumas trágicas, outras curiosas e divertidas, que prende e emociona a cada capítulo. Impossível não rir ou chorar.




Da mesma autora:
Bolsas, beijos e brigadeiros - Fernanda França (Editora Planeta)
                                                              


Resenha: Adoro a escrita juvenil, inspiradora e ainda mais empolgante da autora Fernanda França. E sua nova obra, “O pulo do gato” apresenta um enredo dinâmico e muito engraçado. Adorei a protagonista, por mais que demonstrasse ser um tanto imatura e descontrolada. Surgem tantas reviravoltas nessa trajetória que o leitor não consegue imaginar qual será o desfecho de toda a confusão.


Maggie May tem 23 anos e quer muito se casar, mas ela não achou a pessoa ideal para passar os dias ao seu lado. A moça é um pouco neurótica quanto a isso, como se tudo dependesse apenas dessa realização. É independente, dedicada em sua profissional – é formada em medicina veterinária – e um pouco obsessiva na verdade, considerando que é bem nova e que ainda poderá vivenciar várias experiências amorosas.


A personagem exige muito de si mesma, e principalmente dos homens que são do seu interesse. Se ele tivesse uma estatura alta já seria perfeito, além de ter os mesmos gostos que ela. Por mais que as pessoas lhe falem o quanto ela está se esgotando pela espera de um casamento e de sofrer por alguém desconhecido. Maggie até compreendia algumas coisas, mas o medo a impedia de se sentir mais livre.


Ela conhece Felipe pela internet e está confiante de que poderá investir no rapaz. O problema é que esses encontros às cegas podem surpreender bastante, já que as duas partes não se conhecem em nada. Mas quando Maggie vai encontrar Felipe, ela conhece o comediante Eric Vasconcelos

Ele também entra em cena para provar que o destino é capaz de bagunçar toda a programação, e é por isso que as dúvidas insistem em aparecer. E Felipe não conseguiu aparecer nesse tal encontro, mas depois explicou o que ocorreu e se desculpou por não ter comparecido. 

É praticamente impossível não rir com alguns pensamentos insanos de Maggie. Como alguém pode pensar em casar com uma pessoa estranha? A autora trabalha bastante com reflexões nas entrelinhas do texto, já que essa procura pelo par ideal é mais comum do que podemos imaginar. Assim, a narrativa é, ao mesmo tempo, séria, sutil e muito deliciosa.


A capa é linda, além de representar bem a trama proposta. Fora todos os detalhes fofos da diagramação e do próprio texto, a leitura flui bem rápido por causa do entrosamento dos personagens, assim como todas as confusões e demais dilemas em destaque. O leitor meio que já sabe o que pode acontecer no desfecho, mas não é por isso que não deixa de torcer diante dos reencontros e se emocionar com o final feliz.


“Suas amigas a chamavam de maluca, afinal, como poderia uma moça de vinte e três anos querer se casar a qualquer custo? Fazer de tudo para juntar os trapos na mesma máquina de lavar roupas? Mover mundos na tentativa de colocar a escova de dente de um gato ao lado da sua? Sonhar em dividir sua gaveta de calcinhas rendadas com um monte de cuecas? Inconcebível Elas tinham muitos sonhos diferentes, alguns bem inusitados, mas nenhum deles envolvia se casar.” Pg.09


Classificação SEL: 4/5


Um comentário:

  1. O plot do encontro me lembrou muito o filme Mamãe Quer que Eu Case, com a Mandy Moore.
    Acho que é um livro assim que estou precisando. Acabei de ler Proibido e estou numa ressaca literária dos infernos.
    Quero muito ler o outro livro dela, Bolsas, Beijos e Brigadeiros.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo