24 de janeiro de 2016

Resenha: Alien - Alan Dean Foster, Editora Aleph

Informações do livro:
Título: Alien
Título original: Alien
Autor: Alan Dean Foster
Editora: Aleph
Páginas: 328






Sinopse: A tripulação da nave Nostromo é despertada antes do tempo de seu sono criogênico. Misteriosos sinais vindos dos confins do espaço são recebidos pelo computador de bordo, e a equipe é acionada para investigar um planeta desconhecido. Um tripulante é atacado por uma forma de vida estranha, e esse pode ser o início de uma história pior que os mais terríveis pesadelos da humanidade.




Resenha: "Alien", de Alan Dean Foster, é a novelização oficial de um clássico cinematográfico da ficção cientifica, e narra, não apenas uma história emblemática, profunda e arriscada, mas também cercada por curiosidades divertidas, medos diferentes, acontecimentos estranhos e emoções conturbadas demais.

O leitor já pode ter uma noção grande sobre os acontecimentos, porém o autor surpreende bastante pelos detalhes, já que já as características que definem bem todas as decisões, assim como as demais cenas e os interesses mais reservados de cada personagem. E são essas informações novas que valorizam ainda mais os contextos e suas interpretações.

A edição produzida pela Editora Aleph também não poderia estar mais fantástica e empolgante. Há tantas características positivas nessa obra que se torna extremamente difícil falar sobre todas as suas peculiaridades de uma vez só. Esse é aquele tipo de livro que sempre é possível tirar algum proveito ou reflexões diferentes.

Nas primeiras páginas ainda é possível conferir uma nota do autor, exclusiva à edição brasileira. E nesse texto inicial podemos compreender bem o que ele sente, seja porque consegue se ver dentro da trama ou porque sabe que as experiências e os medos presentes na narrativa também podem ser encontrados na realidade. Nas últimas páginas também há a reprodução das entrevistas com Sigourney Weaver (atriz que representou a Tenente Ripley no filme homônimo) e com Ridley Scott (diretor e produtor cinematográfico), dadas em 1984 para Danny Peary.

E é assim, em uma ambientação hostil e perturbadora, que conhecemos sete tripulantes de uma nave e suas características mais marcantes, além dos sonhos mais íntimos e esperados. Eram Ripley, Dallas, Kane, Parker, Lambert, Brett e Ash, mas também havia o gato, Jones, que sempre estava presente entre eles na espaçonave.

O terror e o suspense estão presentes desde o começo e as expressões individuais fazem todo o sentido durante as reviravoltas e nos trabalhos realizados. Algumas questões também são analisadas durante os capítulos e levantam hipóteses mais sérias e, de certa forma, objetivas, seja por conta de um ser desconhecido, pessoas fracas ou uma natureza apavorante, entre outros argumentos.

Classificação SEL: 4/5


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo