12 de julho de 2016

Resenha: Na ponta do leque - Jocelyne Godard @primaveraeditor

Informações do livro:
Título: Na ponta do leque
Título original: Au bout de I’eventail
Autor: Jocelyne Godard
Primavera Editorial              
Páginas: 452




Sinopse: Em uma manhã de primavera dos anos 1000, Yasumi deixa sua província de Masushi levando como bagagem somente uma bolsa com um quimono, alguns hashi, um pequeno altar budista, um leque e um sabre. A estrada que leva à capital é longa e cheia de perigos. Mas Yasumi, a quem não falta audácia nem determinação, quer reencontrar um pai que não conheceu e reabilitar seu nome ante a grande família Fujiwara, tão ponderosa na corte. Com a ajuda e a companhia da soberba égua Longa Lua, Yasumi, jovem temerária, primitiva e um pouco bárbara, ao chegar em Kyoto, deve se curvar aos costumes de uma corte extremamente letrada e re­finada, na qual o peso da maquiagem, as cores das roupas sobrepostas e o manejo do leque, na ponta do qual se coloca poemas, são os símbolos de uma cultura suprema. Enquanto os Fujiwaras dominam o reinado, Yasumi vive o grande amor de sua vida e conhece as mulheres mais eruditas da época. Envolta em uma engrenagem inesperada, sua vida avança a um destino insólito. Na ponta do leque permeia diferentes culturas, especialmente a japonesa, a qual é transpassada pela cultura francesa, nacionalidade da autora do livro, Jocelyne Godard.



Resenha: Na ponta do leque”, de Jocelyne Godard, é um livro que possui tantas características interessantes que é um pouco complicado descrever tudo que chama a atenção para o leitor, pelo menos foi assim que me senti ao escrever sobre ele. Primeiramente, fiquei encantada pela capa, mas o que mais me motivou mesmo a querer fazer essa leitura foi a sinopse e a promessa de que haveria uma exploração sobre diferentes culturas, principalmente sobre a japonesa, tão diferente da nossa.

A protagonista, Yasumi, não poderia ser mais corajosa, e é fácil perceber isso até para quem só leu a sinopse. O fato de ela ir em busca de respostas, para encontrar o pai e assumir o seu nome diante da família Fujiwara, a faz perceber que tem muito a aprender, assim como terá que enfrentar muitos obstáculos pela frente.

É incrível como a personagem consegue arranjar forças para aguentar tantos problemas e desorientações, visto que há muito pelo que se batalhar ainda mais que a ambientação não ajuda nem um pouco. Os anos 1000 são um tanto estranhos e pouco empreendidos, dentre outros fatores, o que torna a caminhada ainda mais intrincada.

Vale ressaltar que a garota tem uma energia mais abrangente por causa de sua criação, o que acaba facilitando um pouco seu percurso. A mãe de Yasumi nunca havia concordado com o fato de que homens poderiam ter mais de uma esposa, por isso escolhera cuidar da filha por conta própria. Mas após sua morte, Yasumi, enfim, resolve enfrentar o seu destino.


Como esperado, surge muitas desconfianças por parte do pai, que não a conhecia, e outras pessoas próximas também não contavam com sua presença e das demais consequências que surgem. Então, pode-se dizer que a tarefa de se estabelecer confortavelmente e de modo a agradar a todos, é uma das tarefas mais difíceis, se não a pior.

Há muito pelo que desvendar nessas páginas, mesmo porque a autora consegue elaborar um texto rico em orientações repletas de empolgação e acontecimentos marcantes, além de revelar muitas emoções contraditórias. E é muito interessante poder conferir o desenvolvimento de Yasumi diante de suas experiências de vida em um cenário histórico. E é claro que quem curte esse estilo, poderá se deliciar muito com o enredo.

Mais uma vez, preciso afirmar que estou apaixonada pela capa e por todo o trabalho de diagramação da Primavera Editorial. O livro possui mais de 400 páginas, mas a leitura se torna tão envolvente, e é claro que a edição também influencia bastante nesse processo, o que me fez concluir a leitura em apenas quatro dias.


Classificação SEL: 4/5


11 comentários:

  1. Olá Feh!
    Nossa que lindo, eu queria saber mais do desenvolver, como, por quem ela se apaixona? haha sou muito curiosa, embora você tenha falado pouco sobre o inicio do livro eu me sinto extremamente curiosa, o livro me ganhou na sinopse embora a capa seja realmente muito linda e kawaii... amo a cultura japonesa e espero ter a oportunidade de ler esse livro o quanto antes... obrigado Feh por me apresentar a essa obra, vou guardar a dica com carinho...
    Beijocas...
    https://westfalllivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Feh!

    Estou apaixonada por esse livro, não conhecia este livro, amo histórias do Japão Feudal. Amei a resenha e com certeza já está anotado a dica.

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Não conhecia a obra, mas fiquei bem interessada nela, a personagem parece ser muito determinada e forte. E ainda não li nada relacionada a cultura japonesa, mas sempre tive curiosidade em conhecer um pouco mais sobre ela. Adorei a sua resenha. Dica anotada.

    ResponderExcluir
  4. A capa do livro já chama muito a atenção para uma história que será no mínimo, original. Fiquei bem curiosa quanto às orientações que você mencionou que a autora dá no decorrer da escrita e fiquei com muita vontade de ler o livro.
    Amei a dica.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oie!!!
    Que livro diferente, amei, não conhecia a obra, mas fiquei muito interessada, recentemente desenvolvi um caribho por romances que se desenvolvem nesses período da cultura asiática e fiquei animada com a obra, dica anotada!
    Bjokas

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Nunca li nenhum livro que falasse sobre a cultura japonesa nem chinesa e gostava muito, no entanto, parece que nenhum livro capta a minha atenção :/ Na Ponta do Leque não foi diferente: a premissa não me interessou e ao contrário de você eu não gostei da capa. Mas vou continuar à procura de livros sobre esta cultura até achar algo que eu queira ler.
    Beijinhos
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  7. Oie!
    Estou surpresa com o livro, pois é um título que desconhecia e me chamou bastante a atenção. Fico a imaginar tudo o que ela passará dentro da história, assim como as emoções contraditórias que citou na resenha. Estou bem curiosa para conferir esse livro, bem diferente daqueles que estou acostumada a ler.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  8. Oi, Fê

    A ilustração da capa é tão fofa! *-*
    Eu nunca li nada sobre a cultura oriental, e até por isso que me interessei por Silêncio. Mas Na Ponta do Leque com certeza aborda a questão cultural de maneira muito mais profunda e válida.
    Em certos aspectos ele me lembrou Memórias de Uma Gueixa, sabia?
    Leria o livro pelo valor cultural, pois a história em si não chamou taaaanto assim minha atenção.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi, Fê!
    Interessante como esse livro, além de ter uma capa simples e belíssima, mistura cultura e história japonesa (dá pra ver que foi feita uma pesquisa sobre os anos 1000 lá). Gostei da protagonista, forte, decidida, mesmo para aquela época. Não conhecia a obra, mas gostei bastante! Beijo! Nu.
    As 1001 Nuccias | Curte aí!

    ResponderExcluir
  10. Olá Fê,
    Achei essa capa muito legal e fiquei bem curiosa com a história. O livro deve ter bastante coisas para desvendar. Além disso, acredito que a protagonista é muito bem construída e forte.
    Fico me perguntando como a protagonista vai encontrando forças e acho que isso é muito bacana.
    É impossível eu não querer ler esse livro. Preciso dele para ontem.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Gosto muito de livros que mostram outras culturas, principalmente a japonesa (ou asiática), porque é muito distante e diferente da nossa.
    E achei bem interessante o enredo do livro. Não deve ser tão fácil você ir atrás de alguém que te deixou e você nem conhece ( pior ainda quando é seu pai ou mãe...), então imagino a força que ela tirou.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Muito obrigada por visitar o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre! Fê ♥

© Fernanda Prates - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo